Eve girou sobre os saltos e arfou enquanto olhava de minuto em minuto a tela de seu relógio, Todd nunca esquecia seus deveres, estava há quase quinze minutos aguardando-o na frente do belo restaurante "Nereu". Sentia seu rosto queimar devido à arfada de ventos gelados, assim que sentiu o celular vibrar, sentiu um alívio,  retirou-o da pequena bolsa e o desbloqueou.

"Desculpaaa, mas terá que encontrar meu amigo estilista sozinho! Problemas com o novo bofe! Beijos e até amanhã. Ass.: Todd Benson."

Eve leu incrédula aquela mensagem umas quatro vezes e fechou os olhos por um minuto enquanto guardava o aparelho dentro da bolsa, sentiu uma imensa vontade de esganá-lo. Aquela era a primeira vez em quase cinco anos que ele a deixara sozinha. Ela não respondeu o SMS, mas suas mãos se fecharam em punhos.

— Nunca abandone seu parceiro. – Resmungou a norma da empresa enquanto caminhava lentamente na direção da entrada — Me aguarde Todd Benson.

Aproximou-se da recepção do lugar, onde estava um belo rapaz alto de cabelos louros, que a saudou como sempre fazia, sem delongas a morena disse o nome reservado, o rapaz achou a reserva em segundos, pediu para que o seguisse. Ela o seguiu em silêncio na direção da mesa que estava ocupada, sentiu o rosto ferver de vergonha, estava novamente atrasada.

Eve lançou um olhar confuso, o estilista nem sequer se levantou, estava de costas para ela sendo indelicado, rapidamente ela agradeceu ao funcionário que os deixou sozinhos. Ela franziu o cenho e se aproximou da mesa, como se o tal estilista lhe parecesse alguém que conhecia muito bem.

— Me perdoe pelo atraso. – Se justificou ao se aproximar, mas parou bruscamente assim que ele se levantou. — Impossível! – ela sentiu suas pernas amolecerem e a cor de seu rosto desapareceu. — Não pode ser. Cha... Charles? – se odiou por gaguejar.

Ele se levantou e permaneceu imóvel enquanto fazia uma leve análise, deixando-a ainda mais confusa, pressentia que Todd tinha arquitetado toda aquela situação. Charles estendeu a mão na direção dela que sem vacilar apertou.

— Acho que foi um engano, estava esperando um estilista e enfim... – Balbuciou Eve ainda em pé parada frente a frente com ele.

Tinha que concordar que ele estava divinamente vestido com aquele terno, sem falar no seu perfume amadeirado. Eve tentou se afastar da mesa, mas sentiu a mão dele impedi-la. Causando-lhe uma onda de adrenalina percorrer suas veias, rapidamente ela se afastou.

— Não tem engano nenhum, pedi para que seu assistente providenciasse um encontro com você. Já que toda vez que nos encontramos, você da um jeito de fugir sem ao menos dar chance para conversarmos. – Respondeu de forma categórica.

Ela arqueou a sobrancelha, então Todd era o responsável por aquele encontro, por fim assentiu e se sentou sentindo-se confusa.

— Então ele fez isso e mentiu que era um estilista. – Disse com um tom de surpresa na voz. — Acho que ele deveria saber que nossos ramos são completamente diferentes e que poderia acabar em desastre iminente. Não sei o que dizer. Agradeço por sua paciência e não irei tomar-lhe seu precioso tempo, passar bem. – Concluiu.

Antes que Eve pudesse se afastar a voz rouca de Charles quebrou o silêncio.

— Boa comparação, mas creio que ainda precisamos conversar. – disse.

 Eve permaneceu de costas para ele e fechou os olhos, sentiu uma leve pontada de culpa, arfou, por fim a morena voltou para sua cadeira. Olhou-o toda embaraçada por alguns minutos, mostrou um sorriso fraco pra ele, antes que pudesse falar o garçom se aproximou e de forma gentil anotou os pedidos. 

Amor  Por AcasoLeia esta história GRATUITAMENTE!