Manhattan, cerca de sete horas depois... Como de costume o voo sofrera uma pequena alteração, deixando Eve furiosa e com uma tremenda dor de cabeça, já que não conseguira pregar os olhos nem um segundo passando a madrugada toda acordada mexendo em seu celular. Deveria chegar por volta das 08h30min daquela segunda-feira. Logo estaria em terras americanas e sua vida voltaria à normalidade, mas de uma coisa não poderia esquecer, a forma que Charles a olhou.

Assim que a voz do copiloto anunciou o pouso, sentiu seu coração encolher dentro do peito. Antes de embarcar em Londres tinha ligado para um taxista conhecido ir buscá-la no aeroporto. Ela fechou os olhos e sentiu o calor do seu corpo contra a macia poltrona da primeira classe. Não tinha tomado nenhuma decisão, e se Gaillard soubesse que a jovem tinha desmarcado com os estilistas em Londres por causa de um problema pessoal, acabaria na rua.

Ao olhar seu relógio para verificar as horas lembrou-se do fuso horário entre a Europa e a América do Norte, um sorriso torto surgiu timidamente no canto direito de seus lábios, Todd estava em um sono ferrado ao seu lado.

Assim que as luzes se acenderam, Eve cutucou Todd para que despertasse daquele sono.

— Já chegamos belo adormecido. – Balbuciou Eve encarando-o.

Todd retirou seu protetor de pescoço e se espreguiçou, estava com os olhos pesados.

— Preciso da minha cama macia. – Resmungou.

Eve moveu a cabeça de forma lenta.

— Já chamei um velho taxista, dentre alguns minutos vai estar em sua cama macia.

— Assim espero. – Resmungou enquanto se levantava.

Seus passos eram lentos e despreocupados, enfim os ares da bela ilha de Manhattan. Ao adentrar no saguão pôde avistar o taxista perto dos balcões de atendimento. Todd a seguiu puxando sua mala enquanto arrastava os pés pelo saguão.

— Senhorita Gooding é bom revê-la. – Saudou Alfred com um singelo sorriso nos lábios.

Eve sorriu.

Os três caminharam na direção da saída, a morena parou antes de entrar no táxi, estava desacostumada com aquela movimentação, enfim estava em casa. As ruas de Manhattan eram como uma trilha sonora de Sin City. O táxi deslizava pelas ruas congestionadas da ilha e enquanto Todd estava com a cabeça encostada na janela Eve olhava atentamente as ruas.

A jovem solicitou que Alfred deixasse o pobre Todd primeiro em seu prédio, que não ficava tão longe do aeroporto, o motorista fez uma conversão para a esquerda saindo das ruas movimentadas e entrou em um bairro residencial.

— Acorda. – Cutucou novamente Todd que dormia.

O rapaz acabou tomando um susto e saltou do banco, fazendo Eve rir daquela reação.

— Não precisa me assustar dessa forma. – Resmungou Todd enquanto passava a mão sobre os cabelos rebeldes.

— Não fiz nada, apenas o acordei.

Todd suspirou.

— Okay! Te encontro mais tarde, para nosso jantar de rotina no Royal Presidente? – perguntou.

Eve fez uma leve careta, era evidente que não estava a fim de sair, mas não poderia negar esse gesto ao amigo.

— Tudo bem, nos vemos mais tarde. – Respondeu.

Todd se aproximou do rosto de Eve e depositou um beijo na bochecha dela, novamente se despediu e por fim saiu. Alfred já estava segurando as malas do rapaz que agradeceu, retirou uma boa gorjeta do bolso e entregou ao taxista.

Amor  Por AcasoLeia esta história GRATUITAMENTE!