Capítulo - 15

Começar do início

George moveu a cabeça de forma lenta concordando, sabia que quando se tratava de serviço, seu irmão mais velho não gostava de ser incomodado, empurrou a cadeira e se afastou até a porta, deixando Charles sozinho com seus pensamentos e o cantarolar dos passarinhos nas árvores. Ele por sua vez terminou de ler o artigo sobre a corrupção no mercado imobiliário naquela região de Boston e dobrou o jornal, o depositou sobre a mesa e terminou de tomar seu café que já estava ficando frio.

Encostou suas costas um pouco no descanso de metal gelado e observou por alguns minutos o belo jardim lateral que praticamente circulava a casa de veraneio dos Gooding. "É um lugar secreto" a voz suave de Eve ecoou em sua mente, estava tão distraído que nem sequer notou um sorriso tímido curvar seus lábios.

Um estalo dentro de sua mente o puxou bruscamente para a realidade, respirou de forma profunda e por fim se levantou, afinal, precisava terminar as planilhas de contas em vez de ficar ali perdendo seu tempo precioso com devaneios.

Charles caminhou até a porta de madeira maciça de cedro, para sua sorte não tinha ninguém no hall de entrada, prosseguiu com passos rápidos até a escadaria, subiu o mais rápido que pôde, mas ao ouvir a voz de Steven vindo de um dos cômodos que estava com a porta entreaberta, parou.

Sabia que não era nada educado ouvir a conversa alheia, mas ouviu precisamente o nome de Evelyn, o que aguçou a maldita curiosidade, verificou se não tinha ninguém no corredor e deu um pequeno e tímido passo ficando um pouco mais próximo à fresta.

— Já está tudo resolvido mesmo? – resmungou Steven.

Houve um breve silêncio, deixando evidente que algo de ruim estava acontecendo, Charles aproximou-se um pouco mais da porta para dar uma espiada no interior da sala, pôde ver por relance, Michael sentado na poltrona enquanto Steven andava de um lado para o outro na frente dele.

— Relaxa Steven, fiz o que te prometi, afastei Evelyn de sua vista. – O rapaz pausou por um breve momento enquanto erguia a mão direita e prosseguiu — A fiz acreditar que tivemos mesmo uma noite, subornei o imbecil do camareiro do hotel onde aconteceu a festa despedida de solteira de Claire, agora é só manter as aparências e ninguém desconfiará.

Steven parou bem na frente da poltrona onde estava Mike e cruzou os braços.

— Você não...

A risada debochada de Michael Bolton interrompeu-o.

— Não me aproveitei da embriaguez de Eve, mas implantei pequenas provas para que ela acreditasse que passamos a noite juntos. Posso até ser um cretino, mas sei os limites meu caro. – Se defendeu com um tom de arrogância na voz.

Charles sentiu uma onda de raiva percorrer seu corpo, mas controlou-se para não entrar na sala e dar uma lição naquele maldito canalha. O som de saltos ecoou por todo o corredor fazendo Charles se afastar rapidamente na direção de seu quarto.

Enquanto caminhava sentia raiva de si mesmo por ter sido tão imbecil e não ter deixado que Evelyn ao menos tentasse se explicar, trancou a porta atrás de si, seguiu até a pequena varanda suspensa e abriu as portas de vidros, ao sair virou seu rosto e fitou a outra varanda onde costumava se encontrar com Eve.

Depois de ter ouvido aquela conversa de Steven e Michael, perdera praticamente o rumo do que iria fazer naquela tarde, puxou a cadeira e sentou-se de frente para o belo campo verde da propriedade.

O som de seu celular o fez sair daquele transe, se levantou e entrou no quarto para pegar o celular que estava sobre o criado-mudo, ao verificar na tela quem estava ligando, deixou um leve suspiro escapar.

"Jael – administrador financeiro."

Charles desculpa te incomodar a essa hora, mas é que ainda não recebi as planilhas para o financeiro. – A voz baixa e rouca de Jael ecoou do outro lado da linha entre alguns chiados. — Talvez seja um problema na caixa de e-mail, pois não recebi nada ainda.

Amor  Por AcasoLeia esta história GRATUITAMENTE!