Duas semanas depois... Sábado, casamento de Claire Gooding e George Bradbury

***

Era uma bela manhã ensolarada, Charles permanecia sentado com os olhos fixados no jornal matinal enquanto os funcionários terminavam de organizar o espaço lateral da casa de veraneio para o casamento.

George caminhou lentamente até a mesa onde seu irmão estava, o louro parecia distraído e um pouco preocupado com a cerimônia que aconteceria naquela noite quente de verão.

— Vejo que caiu da cama novamente? – indagou Charles sem desviar os olhos azuis do jornal.

— Devo considerar isso uma piada? – rebateu enquanto puxava a cadeira para sentar-se. — Claire não conseguiu dormir devido à... – Calou-se antes mesmo de concluir sua fala, Charles abaixou o jornal e lançou um olhar analítico no irmão, George sentiu sua saliva queimar ao descer a garganta, rapidamente mostrou um sorriso e continuou. — Toda essa organização que está devagar. Americanos, sempre deixando tudo para os últimos minutos.

Charles moveu a cabeça lentamente em forma de aceitação.

— Acostume-se meu caro irmão, pois nem todos são pontuais como gostaria, beba seu café antes que fiquei mais frio.

George soltou um suspiro e concordou com um leve gesto, esticou a mão direita e pegou na alça da xícara de porcelana chinesa, segurou a garrafa térmica onde estava o café e despejou o líquido na xícara.

— Não está tão quente como ontem, não acha?

— Pra mim está igual, mas se você está dizendo. – Charles abaixou o jornal e observou o irmão por um segundo, logo voltou sua atenção para a matéria.

O louro deu uma golada no café.

— Charles, está tudo bem pra essa noite? Quero dizer... está confortável em continuar a ser o padrinho, depois de tudo que aconteceu?

— Não vejo por que não estaria, sabe que sou um homem de palavra, posso até ter me sentido um pouco desconfortável devido ao que aconteceu, mas estarei lá para te dar apoio. – Baixou o jornal e encarou o irmão dentro dos olhos, afinal, um tinha o outro para se apoiar e era esse o dever de Charles sendo o mais velho. — Lembre-se do lema dos Bradbury: "Nunca abandonar". Não vou fugir, fique descansado.

George soltou uma risada nervosa, era evidente em seus olhos que estava apreensivo com tudo que estava acontecendo, sua vida estava dando uma guinada, em menos de algumas horas estaria casado com Claire Gooding, a sua garota perfeita.

— Não sabe o quanto isso me deixa aliviado, saber que estará lá. – Disse, mas o som de seu celular o fez desviar os olhos, rapidamente retirou o aparelho de dentro do bolso do short e notou que era um lembrete: "Pegar sua tia no aeroporto às dez em ponto". — Meu Deus, estava me esquecendo, preciso ir com Byron até o aeroporto para buscar a tia Margaret, se quiser vir.- sugeriu.

Margaret Bradbury era a irmã mais nova de Geoffrey Bradbury, depois da morte repentina da mãe dos garotos ainda na adolescência, a tia passou a ser uma figura mais presente na vida dos rapazes e como não tinha planos para formar uma família para ela, acabou adotando a de seu irmão.

O rapaz se levantou todo afobado – o que era típico dele – e passou a mão direita sobre os cabelos perfeitamente penteado para trás enquanto Charles o observava atentamente.

— Gostaria de ir, mas terei que terminar de arrumar as planilhas para as contas com o governo. – justificou com um meio sorriso. — Ficarei trancado no quarto para finalizar esse trabalho e por isso peço que avise para que ninguém me incomode.

Amor  Por AcasoLeia esta história GRATUITAMENTE!