Chapter 21: MadMuss, meu heroi

Começar do início

- Ah não! – Aleluia, pensei que Mina tivesse reparado que o chamei pelo primeiro nome. – Ele que me pediu para chama-lo de senhor Knox, disse que não gosta desse outro sobrenome dele e tals. – balanço a cabeça rindo um pouco. – Na realidade eu nem entendi muito bem, mas também não perguntei nada.

- Ah, entendo. – responde surpresa. – É que eu trabalho aqui há um tempo e nunca soube desse outro sobrenome do senhor Crawford, tudo bem que ele chegou há pouco tempo... Enfim, posso ajuda-la sim. Aliás, vim aqui para isso, irei auxilia-la junto com o senhor Clark.

- Que ótimo! Muito obrigada, sério mesmo. Tô meio perdidona aqui, na real eu nem sei quem é quem, só conheço a senhorita e Sea-enhor Knox. – Vou ter que começar a praticar isso de chamar Sean de senhor Knox, porque não tá rolando...

- Não precisa agradecer. - responde calma. – Qualquer dúvida é só me chamar, meu número é o 224. – indica o telefone em minha mesa. - Mas a minha sala é ao lado, se quiser pode dar uma passadinha lá.

- Somos vizinhas então? – falo um pouco alegre demais. - Maravilha, porque eu não vou saber mexer nisso aqui por enquanto e como falei tô bem perdida ainda. – sorrio.

Mina se levanta e eu a acompanho. – Sem problemas. – acaba rindo da minha afobação. – Confesso que quando entrei aqui também estava totalmente confusa, não sabia nem onde era o toalete.

Solto uma risada alta e Mina não se contém e sorri também.

- Foi um prazer conhece-la senhorita Smith. – se despede.

- Obrigada e digo o mesmo.

Mila acena e já vai saindo da minha sala quando a chamo.

- Ah, só mais uma coisinha...

- Sim?

- É... Onde fica o toalete? – pergunto acanhada e Mila gargalha de tanto rir.

- Vem comigo. – responde sorridente.

(...)

Depois de descobrir onde era o toalete feminino e o masculino, sim o masculino também (já errei de toalete muitas vezes, mais do que eu gostaria, então é bom saber onde os dois ficam), voltei a minha sala. Fiquei explorando ela por alguns minutos. Não tinha muita coisa, mas ela é tão linda!

Enquanto fuçava nas gavetas de um pequeno armário que havia no canto, achei um controle remoto. É um controle bem pequeno com apenas três botões, uma seta para cima e outra para baixo, e um botão de ligar. Fiquei extremamente curiosa porque não tinha nada eletrônico em minha sala, nenhum computador, televisor, impressora ou algo parecido para que esse controle fosse necessário. Porém não me aguentei e apertei o botão ligar, afinal o que poderia acontecer. E estava certa. O controle ligou, mas nada mudou, até olhei em volta para ver se havia alguma mudança.

Mas quando apertei a seta para baixo ouvi um barulho. Na realidade parecia que alguma coisa estava travada ou vibrando. Comecei a seguir o som pela sala e acabei chegando à parede de trás da minha mesa. Havia uma cortina bege enorme que a cobria toda e o barulho parecia que vinha de lá. Decidi apertar o outro botão com a seta indicando para cima e quase morri do coração, pois a cortina começou a se mexer, subindo. Continuei apertando o botão e a cortina continuou subindo. Só quando ela estava no meio que descobri o que ela escondia. Era uma enorme janela, parecida com a que havia na sala de Sean e a vista era de tirar o fôlego. Quase chorei, de novo, só por ver a incrível cidade de Manhattan da minha sala e sei que Sean tem algo a ver com isso. Quase derrubo o controle no chão quando o deixo em cima da minha mesa e decido ir falar com Sean novamente para agradecê-lo... Tá eu já agradeci demais... Mas quero agradecer de novo... Ou só tô querendo vê-lo novamente... Pra agradecer, é claro...

Sempre sua Luce  (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!