Capítulo dezoito

517 45 0

Rodrigo

Apenas fiquei ali parado vendo Cecilia ir embora,sem entender porque eu tinha que passar por isso. Nem súbito de fúria, comecei a quebrar tudo dentro daquela oficina, mas nem isso fazia minha dor passar.

_ O que isso Rodrigo!...para com isso agora!.meu pai me diz,me segurando. _ o que aconteceu pra você está assim,feito um louco?.

_ Mas uma vez fui abandonado feito um cachorro sarnento!...Cecilia terminou tudo, e foi embora!...eu sou mesmo um miserável,...que nunca vai ser feliz!.falei em prantos.

_ Não diga isso filho!...você só está passando por um momento ruim!

_ Então esse momento deve ser eterno!...,tudo bem pai,eu vou sobreviver!,assim como fiz das outras vezes!.falei me levantando,saído pra fora.

_ Aonde você vai Rodrigo?.meu pai pergunta.

_ Afogar minhas mágoas!

E foi isso que fiz, bebi uma atrás da outra. E nem assim a dor de ser largado por Cecilia diminuía. Olhei para minha mão e vi aliança, tirei do meu dedo e pensei em jogá-lá fora, mas não consegui, acabei colocando ela de volta. Por mas que olhar pra ela me fazia sofrer,era minha única lembrança de Cissa.

_ Mano!...não faz isso com você!...anda vamos pra casa, nosso mãe está preocupada! Lucas disse, me ajudando a levantar. Me apoie nele, pois estava tão bêbado que não conseguia parar em pé.

_ Lucas !...Cecilia não me ama!...logo ela, oque vou fazer,...sem aqueles olhos verdes! Falei com a voz embargada.

_ Você mano,vai erguer a cabeça!...e em primeiro lugar lutar pela sua filha, e depois lutar pelos seus sonhos!..entendeu?. Lucas disse,me encarando.

Então percebi que a vida continua,e que agora eu tinha que viver pela minha filha e por mim mesmo. E Cecilia teria que ficar no passado.

*******

No dia seguinte,minha cabeça doía pelo excesso de álcool,mas serviu para que eu pudesse fechar meu coração,estava decidido que daqui pra frente,Cecilia não existiria mas na minha vida. Como ela mesmo disse, Bel seria minha prioridade!,é isso que estava fazendo nesse momento,lutando por ela.

Estava com medo,mas não perderia a esperança. E assim que o juiz nos chamou, Resperei fundo e tentei ser confiante.

_ Estamos aqui, pela ação de quem ficará com a guarda, de Isabela Mendes Gullar,...os senhores estão certos que querem continuar com o processo,ou pretende entrar em acordo?. O juiz pergunta!

_ Na verdade,minha cliente deseja um acordo!...ela preferi ter a guarda compartilhada da filha com o pai ,pois acha que assim será melhor pra criança!.O advogado de Carol diz,nos deixando surpresos.

_ E oque vocês acham, senhores?...estão de acordo!.O juiz pergunta para nós.

_ Meu cliente concorda, senhor juiz!.meu advogado diz. Então termina a audiência.

Sei que compartilhar a guarda de Bel com Carol não seria nada fácil, mas meu advogado disse que era melhor assim que perde-lá definitivamente para Carol,já que ela tinha mas chances do que eu,pois suas condições financeiras era melhor.

_ Não vai me agradecer, Rodrigo?...no fim não sou tão cruel assim!. Carol disse,provocativa como sempre.

_ Acho que isso foi a única coisa sensata que você já fez em sua vida!.falei frio, ela apenas sorriu e foi embora.

E eu fiquei sem entender, o porque dela mudar de ideia?,e não tirar Bel de mim. Agora não importava, estava aliviado por poder ficar com minha pequena. O difícil seria dizer para Bel quê ela iria passar alguns dias com sua mãe, e ainda ter que contar sobre a partida de Cecilia,e que nós não iríamos mas casar.

Destinos Traçados (completo) Leia esta história GRATUITAMENTE!