Capitulo Sessenta e Um

61.3K 4K 293

–Luke. –O olhei séria. –Nós vamos até a cantina, falamos com os garotos e então eu vou tomar meu remédio! –Falei.

–Emily, você tem noção da quantidade de doce que eu te dei? –Ele perguntou. –Ou melhor, que você me obrigou a te dar? –

–Tudo bem! –Levantei as mãos em rendição. –Mas eu estou viva. –Dei de ombros.

–E isso é maravilhoso e vai melhorar quando você tiver tomado todos os seus remédios, pois então, não terá perigo de Daniel, Math e todos os outros tentarem nos matar. – Falou me empurrando. –Agora vai! –

–Você é um inferninho! –Gritei.

–E você meu céu! –Ele devolveu rindo.

Eu havia mudado, eu sentia isso. Eu não havia perdido meu lado inconsequente, nem mesmo minha rebeldia. A dor não havia ido embora, eu sabia, até porque, ela estava ali, conversando e gritando comigo, mas agora eu podia ignora-la, pelo menos quando estava com eles. Com eles eu podia despencar e me esquecer de que estava caindo.

Não era como se conhecer pessoas novas tivesse levado meus problemas e minha dor, não era como se tudo que eu precisasse fosse disto, mas eu havia aprendido a apreciar os momentos bons.

O amanhã importava, mesmo eu torcendo para ele não vir.

Tudo importava afinal.

Talvez eu fosse a egoísta da historia. Ou talvez sejam todos nós, mas eu ainda estava ali e queria transformar isso em uma nova história. Queria criar um novo lado meu.

Talvez, tudo que eu precisasse fosse uma nova versão minhas todos os dias, como eu vinha fazendo desde que eu acordei morta por dentro.

Ora, Dan! Você está tão nervoso, porque não toma esse suco? –Ouvi a voz de Julliane atrás da porta.

–Só sai daqui Julliane e fica com a droga do seu suco. Se Emily chegar e você me causar problemas com ela... –

Emily, Emily... Sempre a Emily. –Quase pude vê-la revirar os olhos. –Não sei por que insistem tanto em alguém que obviamente não vale a pena. –

–E você vale? –Perguntei entrando no quarto. –Hum, acho que não. Você é tão baixa quanto sua irmã, só da valor ao que vai aumentar seu status. Você é podre! –Falei. –Mas me diz qual a droga que você colocou no suco? "Boa noite Cinderela"? –Perguntei e ela riu.

–Você é esperta Emily, Viviane e eu te subestimamos demais. –Ela disse ainda de costas. –Como você sabia que eu havia colocado droga no suco? –Ela perguntou se virando.

Vi o espanto passar por seus olhos assim que ela encontrou algo atrás de mim:

–Era com você mesmo que eu queria falar! –Ouvi a voz Séria de Sophia.

–Diretora... –Ela começou.

–Só me acompanha! –Disse ela se virando. –E obrigada por isso Emily. –Disse e saiu.

–Parece que passei para o time dos bonzinhos, não é mesmo? –Disse irônica.

–Você sempre estraga tudo Emily Madson! –Disse Julliane entredentes. –Você me paga, eu juro que você me paga! –Disse ela.

–Tá bom, eu supero! –Disse puxando-a para fora.

Virei-me para Daniel e revirei os olhos fechando a porta:

–Putas. –

–Qual o seu problema com garotas problemáticas? –Perguntei e ele riu.

–Bom, elas me perseguem e a única que eu quero que me persiga simplesmente complica tudo e me torna o perseguidor da história. –Disse me fazendo arquear a sobrancelha.

S.O.S Internato: A Marrenta tá na área!!!-EM REVISÃO ||LIVRO ÚNICO||Leia esta história GRATUITAMENTE!