17

787 61 15


Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Como não bastasse eu ter duas reuniões  hoje pela manhã, ainda tenho que ir à escola do Phillipe, por que a Kellin não pode se dispor a comparecer quando o responsável é chamado

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Como não bastasse eu ter duas reuniões  hoje pela manhã, ainda tenho que ir à escola do Phillipe, por que a Kellin não pode se dispor a comparecer quando o responsável é chamado. Definitivamente tenho que ter uma seria conversa com ela. 

Desmarco tudo o que ainda preciso fazer na empresa hoje e vou em direção ao colégio. O que será que aconteceu, meu filho não é de se meter em confusão e acompanho seu rendimento, ele é um dos melhores da sala. Pego um transito dos infernos, não sei como uma cidade é 'projetada' e não conseguiram diminuir esse transito infernal. Depois de quase quarenta minutos para chegar, estaciono e vou para a secretaria. A PLANOT sempre ajuda a escola em seus eventos, sendo assim o diretor é um bajulador, tenho que respirar fundo para atura-lo. 

Avisto o Sr. Guedes e cumprimento apertando sua mão.

- Bom dia Sr Guedes. Por que me chamou aqui? - Vou direto ao ponto.

- Bom dia Sr. Collins, na verdade não só o senhor, mas três pais precisam comparecer a reunião. Estamos esperando só a mãe de uma aluna e logo logo informo o ocorrido. Pode entrar. - Diz o Diretor formalmente me conduzindo para sua sala.

Sento cruzando as pernas e fico olhando pela janela. Realmente estou tentando adivinhar o porque da reunião. Do meu lado está um Senhor gorducho, que não saiu nem do celular para me cumprimentar. Depois de uns dez minutos mais ou menos ouço a voz do diretor voltando para dentro da sala e um teco teco de salto alto. Deve ser a mãe que estava faltando, até que fim! Não tenho o dia todo para ficar esperando uma mulherzinha resolver aparecer.

- Sr. Guedes eu não entendo, esse é o primeiro dia da minha filha nessa escola. Por que precisei comparecer, aconteceu alguma coisa? - Uma voz conhecida fala antes de passar pela porta.

Pera ai, eu conheço essa voz de algum canto... Essa voz doce, não pode ser... Me levanto esperando a mulher adentrar a sala e quando ela aparece não acredito no que eu vejo. Só pode ser uma miragem. Só posso estar sonhando, depois de tanto tempo esse reencontro só pode ser o destino. Fico parado olhando fixamente para ela sem reação...Não sei se corro e a agarro, se saiu correndo... pareço um adolescente. 

DOCE LOUCURA - Quando menos esperamos aconteceLeia esta história GRATUITAMENTE!