Eve estava sentada na cadeira da varanda, mas algo lhe chamou atenção no campo. Levantou-se e encurvou-se sobre a barra de proteção, apenas o observava. Um barulho a fez endireitar-se deixando a xícara de café cair de sua mão. Charles estava parado na outra varanda, usava uma camisa social branca que deixava evidente seus ombros largos. Segurava o jornal com a mão esquerda. Ambos permaneceram em silêncio, apenas trocaram olhares. Charles desviou seus olhos para o jornal.

- Boa tarde pra você também. - Disse Eve pendendo a cabeça para o lado.

Charles desviou seus olhos do jornal e os fixou na morena que continha um sorriso cativante.

- Boa tarde, senhorita Gooding. - Respondeu.

Eve franziu a testa e sorriu. Caminhou até a barra de proteção que ficava ao lado da de Charles. O aroma do perfume caríssimo misturava-se com ambiente e era convidativo. A morena mordeu o lábio inferior e encurvou-se de forma provocativa sobre a barra de ferro. Sentia uma onda de prazer percorrer todo seu sistema nervoso, ela o consumia com os olhos enquanto afastava uma mecha teimosa que insistia em cair em sua testa.

- Já falei que pode me chamar apenas de Eve. - Corrigiu.

Charles novamente desviou seus olhos do jornal e em vez de fixá-los nos olhos castanhos, deu uma boa olhada no decote generoso da morena, mas desviou seus olhos para o jornal novamente, disfarçando seu constrangimento.

Não disse absolutamente nada, apenas se limitou em gesticular com a cabeça, fazendo-se de distraído.

Eve mordeu o canto do lábio e deu uma boa e demorada olhada em Charles. Como pode alguém como ele ser tão inseguro, talvez seja um julgamento precipitado, mas vendo por esse lado. A jovem pensou com os olhos fixados nele.

- Não é nada educado ficar encarando alguém dessa forma. - Repreendeu-a sem ao menos tirar os olhos do jornal.

Ela não resistiu a uma leve risada, coçou o braço esquerdo o qual estava escorando seu rosto, virou-o na direção do campo, sentiu uma leve brisa fresca envolver seu rosto.

- Sei sim, mas é que tenho esse pequeno defeito e adoro ficar analisando as pessoas. Dá pra descobrir alguns segredos escondidos em seus movimentos. - Disse.

Charles baixou o jornal e fixou seus belos olhos azuis nos olhos dela, Evelyn, ou melhor, Eve continha um largo e singelo sorriso nos lábios pálidos, o que a deixava muito atraente e ao mesmo tempo com um ar inocente, uma via de duas mãos e perigosa.

- Me diga o que meus "movimentos" dizem, então? - quis saber.

Eve se inclinou na direção dele e respondeu:

- Sério!? - indagou enquanto o observava. - Okay! Vamos começar, é um bom ouvinte e muito inquieto, digamos que se encaixa em um perfil tradicional dos homens que não gostam muito de se misturar.

Charles arqueou a sobrancelha, soltou um leve suspiro e dobrou o jornal, colocou sobre a mesa e cruzou os braços, ostentou o olhar curioso e minucioso na direção da jovem que ainda permanecia sorrindo.

- Boa sugestão, mas prefiro "cauteloso" em vez de inquieto.

- Não! - soou espontânea a resposta de Eve.

Ele descruzou os braços.

- Por que não? - perguntou curioso enquanto se recostava na cadeira.

Eve se endireitou, pôde notar que ele prestava muita atenção nela e principalmente em suas palavras e claro, não pôde deixar de sentir um leve aroma de orgulho inglês se esvair no ar.

Amor  Por AcasoLeia esta história GRATUITAMENTE!