Capítulo doze

661 54 0

Rodrigo

Depois dessa noite,eu estava me sentindo mas leve,como não me sentia a muito tempo!. Cecilia entrou em minha vida, trazendo de volta a motivação para encontrar algo melhor para meu futuro. Essa noite dormirei tranquilo,pois sei que amanhã ela estará comigo novamente.

Mal tinha amanhecido e eu já estava acordado, tudo que eu queria era estar com ela. Tomei um banho rápido, me arrumei,e avisei para minha mãe que traria Cissa para almoçar, mas pedi para ela não dizer nada para Bel, queria fazer uma surpresa para minha pequena. Então fui para casa da Cecilia, mas ansioso do que quando prestei meu primeiro vestibular. Estava morrendo de saudades dela, realmente aquele médica me enfeitiçou.

Logo que cheguei no prédio de Cecilia, fui avisado pelo porteiro que eu podia subir,pois Cissa havia liberado minha entrada.Quando ela abriu a porta, não perdi tempo, puxei-a pela cintura com a intenção de beija-lá, mas fui impedida por ela,pois colocou sua mão na minha boca.

_ Meus pais estão na sala!. Cissa disse baixinho,depois me deu apenas um selinho.

_ Vem,vou apresenta-los!.então eu à segui.

_ Rodrigo,esses são meus pais,Augusto e Marina. Cissa disse sorridente.

_ É um grande prazer conhecer vocês!.disse enquanto os cumprimentava.

_ E grande prazer conhecer você também Rodrigo...já ouvi falar tanto de você que parece que até ti conhecia!. Dona Marina disse.

_ Espero que seja bem! Falei fazendo todos rir.

_ Algumas vezes sim,mas em outras ocasiões, nem tanto! .senhor Augusto disse, enquanto Cecilia olhava feio pra ele.

Então Dona Marina, nos convidou para ir até a cozinha tomar café.Agora sei porque Cecilia é essa pessoa tão maravilhosa, seus pais são pessoas incríveis. Realmente esse tempo com os pais de Cecilia fui muito bom, então depois disso nos despedimos, com a intenção de voltar outro dia para um almoço.

Quando eu e Cissa entramos no elevador, puxei ela belo cintura para próximo de mim,ela deu um sorriso encantador e ficou corada.

_ Você está me devendo um beijo!...aquele selinho não valeu! .Falei, depois a beijei com urgência.

_ Para Rodrigo!,sabia que aqui tem câmeras,...! Cissa disse enquanto me empurrava.

_ Desculpa!...e que eu não consigo resistir, quando você fica vermelhinha assim!

_ Ah! Eu já percebi!...você adorava ficar me olhando só pra ver ficar vermelha,...quando a gente fazia o cursinho!.falou fazendo biquinho.

_ É!...eu só estava completamente apaixonado por você, é nem tinha me dado conta!

_ Ao contrário de você, eu havia percebido que você era especial pra mim,...achei que com o tempo pudesse ti esquecer!.

_ Ainda bem que você não conseguiu! Falei a beijando novamente.

Não sei,oque seria de mim se não tivesse encontrado Cissa, ou sê ela já estivesse com alguém. Tudo que sentia por ela agora ,era tão grande,que não saberia viver sem ela novamente.

Durante o caminho até minha casa só ficava admirando, e quando ela percebia meu olhar, sorria pra mim envergonhada.

_ Cissa espera um pouco aqui,...que quero fazer uma surpresa para Bel! Disse assim que entramos na varanda de casa.

_ Bom dia família! Falei empolgado.

_ Oi papai! ...onde você estava! Bel disse, enquanto me abraçava.

_ Eu fui buscar uma surpresa pra você!. Falei olhando para minha mãe que já sabia do que se tratava._ surpresa pode entrar!falei alto.

Quando minha pequena vio Cissa entrar,correu ao seu encontro à abraçando.

_ Tia Cissa, você veio me visitar? Bel perguntou entusiasmada.

_ É eu vim!...é também pra ti contar uma novidade! Cissa disse, depois cochichou algo no ouvido de Bel,que à fez dar pulos de alegria,então conclui que ela havia dito,que nos dois estávamos namorando.

Depois de apresentar Cissa para meus pais, que ficaram admirados com ela, não só pelo sua beleza, mas pela pessoa que ela era, Bel a arrastou Cecilia para sua casinha de bonecas,que eu havia construído para ela no fundo do quintal,para brincar com ela!. É dessa vez fiquei sem minha namorada.

Como era de costume aos domingos ,meu pai preparou um delicioso churrasco, junto com alguns amigos seus. E eu não me cansava de olhar pra Cissa, enquanto ela brincava com Bel e outras crianças, ou conversava com minha mãe e suas amigas,ela era linda! Tanto por fora como por dentro. Já não aguentava ficar mas longe dela e de seus beijos,então a arrastei para meu quarto, mesmo ela protestando,quando eu fechei a porta.

_ Rodrigo abre essa porta!...oque seus pais vão pensar, se virem nos dois trancados aqui dentro. Cissa falou,tentando escapar dos meus beijos.

_ Eles estão ocupados demais com seus amigos, e a gente não está fazendo nada de mais,...só tendo um pouco de privacidade!.disse, conseguindo enfim beija-lá como queria.

_ Você realmente sabe ser convincente!.

Então ficamos ali, deitados em minha cama abraçados, as vezes em silêncio, outras conversado sobre nossas vidas.

_ Como é a sensação de ter um filho?.Cissa perguntou, enquanto olhando uma foto de Bel,quebrando assim silêncio.

_ E a melhor coisa do mundo!...você se senti feliz e com medo ao mesmo tempo!,...sua vida tem mais valor!.falei emocionado.

_ Não sei como,ela teve coragem de abandonar algo tão precioso como a Bel. Cissa disse, se referindo a Carol.

_ Também não sei!...mas na verdade ela nunca quis ser mãe, quando descobriu que estava grávida, cogitou a ideia de abortor,...eu a proibi, e disse que se ela fizesse isso eu não a perdoaria!...,mas mesmo assim ela não estava feliz com a gravidez. A convidei para morar aqui com minha família, e as coisas pioraram!ela estava acostumada com o luxo da casa dos seus tios,e aqui as coisas eram simples. Teve que trancar a faculdade,e me culpava por isso, quando Bel nasceu mal cuidava dela,se não você minha mãe não sei que seria da minha pequena!...um dia cheguei em casa depois de vir do meu estágio, não há encontrei, ela havia deixado Bel com minha mãe no salão que ela trabalhava, e apenas um bilhete, dizendo que estava indo embora, pois não aguentava mas uma vida miserável ao meu lado!. Concluí me sentindo com raiva,por relembrar isso.

_ Na verdade quem saiu perdendo foi ela!...pôs não vio aquela criança linda crescer,...e nem teve o prazer,de viver com esse homem maravilhoso,que é você!.Cissa disse olhando em meus olhos.

_ Maravilhosa é você!...que eu acho que eu nem ti mereço!.falei,enquanto colocava uma mecha de seu cabelo,para traz da sua orelha.

Então a beijei,como se eu dependesse disso para continuar vivo. Estava feliz, que as vezes sentia medo!. Medo que tudo acabasse,que algum dia não pudesse tê-lá em meus braços novamente. Pois eu há amava, um sentimento que eu nunca havia sentido antes por mulher nenhuma. Estava completamente louco por ela, era como um vício! Do qual eu nunca mais poderia viver sem!,e se depender de mim,Cissa ficará pra sempre ao meu lado!.................................................

Destinos Traçados (completo) Leia esta história GRATUITAMENTE!