Capítulo Nove

662 60 0

Cecilia

Senti pelo segundo vez o mesmo vazio em meu peito, igual a que senti a oito anos atrás, quando ó vi beijando Carol,foi realmente insuportável, mas nem assim as lágrimas saíram. Neste instante meu pai chega da academia a onde dá aula.

_É minha filha,esta ficando cada vez mas difícil acompanhar o pique dessa garotada! Falou assim que me vio.

_ O que foi filha?...você está pálida...esta sentindo mal? Ele disse se sentando perto de mim.

_ Pai,será que estou velha demais para ganhar um daqueles abraços,...igual que o senhor me dava quando eu caia?.Perguntei sentido a primeira lágrima escorrer.

Ele não disse nada apenas me abraçou, e eu me senti protegida nos braços do senhor Augusto meu querido pai, assim como quando eu era apenas uma menina!.

Depois de me acalmar, pode contar tudo oque havia acontecido, mas omiti a parte do beijo, meus pais sempre foram assim, grandes amigos do qual eu podia confiar, em qualquer momento.

_ Filha, eu sei que você ficou magoada,mas pelo menos ele foi sincero...,e não ficou ti enganando!,eu no lugar dele também faria a mesma coisa, quando se tem filhos, eles sempre vem em primeiro lugar!...você vai ver quando tiver o seus. Meu pai disse, me fazendo cair na realidade.

_ O senhor tem razão pai!...mas mesmo assim não quero vê-lo mas!.falei.

Mesmo que isso seria quase impossível!.

*******

Não pode esconder,por muito tempo das minhas amigas,que eu havia beijado Rodrigo, e depois levado um fora dele, mas como sempre elas me apoiaram!. Nos dias, seguintes procurei me focar no meu trabalho, na verdade passava mas tempo dando aulas e atendendo no hospital, do que na minha própria casa. Desse jeito tinha menos tempo de pensar em Rodrigo!.

Como não queria lembrar mas dele, pedi para Edu devolver sua jaqueta, aquilo lá guardado no meu armário já estava virando tortura. E assim sê passaram dois meses, eu trabalhando como uma doida, evitando estar em lugares,que eu sabia que Rodrigo iria estar, mas nem assim conseguia deixar de gostar dele!,nem em sonho eu conseguia esquece-lo. Então resolvi fazer algo, vou me candidatar para fazer parte, da equipe da universidade para trabalhar com os médicos sem fronteiras no norte do país, será uma ótima oportunidade para minha carreira,ficar seis meses longe poderá por meu coração em ordem , é isso eu que espero.

Como eu já esperava, nem meus pais nem minhas amigas, gostaram da notícia que eu iria passar seis meses trabalhando fora. Mas eu já havia decidido, é não voltaria atrás, amanhã eu embarco rumo ao meu novo destino.

_ Nem acredito,que você vai nos aabandonar? .Julia disse dramática como sempre.

_ você falando assim,até parece que vai sentir minha falta? Falei provocando ela.

_ Mas é claro que vou!,você e Nati são minhas únicas amigas!.Julia disse me abraçando.

_ Julia tem razão, porque você ter que ir?...não dá pra tentar esquecer o Rodrigo aqui mesmo! Nati disse.

_ Eu não vou apenas para esquece-lo!...vai ser legal expandir meus conhecimentos !.disse.

_ Já que não tem,outro jeito de ti convencer a ficar, vamos aproveitar o passeio!,está até parecendo que voltamos a oito anos atrás!...nós três num campo de futebol, vendo os meninos jogar! Julia disse.
_ Só espero que dessa vez, eu não leve uma bolada! Falei.

_ Você tem grandes chances disso acontecer, já que o Rodrigo acaba de chegar! Nati disse,fazendo meu coração acelerar.

Destinos Traçados (completo) Leia esta história GRATUITAMENTE!