Capítulo 14

1.7K 140 79

Dois dias se passaram depois que a Janet entrou no escritório de Hazz e nos flagrou, quebrando todo o clima existente no local
e desde então não ficamos mais sozinhos na cafeteria, claro, os olhares eram reveladores, cheios de desejo, mas tivemos que controlar toda a nossa vontade. Após fecharmos a cafeteria, nós ficávamos abraçados, conversando e nos beijamos até ele me levar pra casa e ficarmos mais tempo juntinhos no carro ou na praça próxima dali.

O Sr. Payne ainda não apareceu, ouvi dizer que está resolvendo alguns problemas particulares, gostaria de saber quais são esses problemas, na verdade, eu gostaria de saber qualquer coisa relacionada à ele. Eu deveria me sentir bem com a sua ausência, mas ao contrário disso, estou sentindo sua falta, falta dos seus lábios, da sua voz, do seu cheiro, dos seus olhos, do seu sorriso, sinto falta das diversas sensações que ele me provocava e me odeio por isso. Odeio ter que sentir essas coisas mesmo estando com o Hazz, sei que ele não merece que eu pense em outra pessoa, mas é difícil evitar, não consigo controlar, por mais que eu me esforce para arrancar o Sr. Payne do meus pensamentos, ele se faz presente, não sei de que forma, mas faz.

Eu gostaria de odiá-lo, de não querer vê-lo nunca mais, mas ele mora em mim, em um lugar de difícil acesso, onde nem mesmo eu tenho condições de retirá-lo, por mais que a vontade de fazer isso esteja em mim, eu não tenho forças, não tenho coragem, não tenho nenhuma vontade.

...

Caminhar tranquilamente em plena quinta-feira me parece tão estranho quanto acordar às 04:00 da manhã em um domingo, sem contar nas pessoas da minha vizinhança que me olham de uma forma estranha e eu realmente me sinto estranha. Eu poderia correr somente para manter a rotina, manter o mesmo ritmo, fazer como todos os dias, mas estou cansada de mesmisse.

Chego na Coffe Payne's às 07:25 e me assusto ao ver uma silhueta masculina em uma das mesas, de cabeça baixa, seu perfume passeia por todo o local e ao entrar em contato com as minhas narinas me arrepia até a espinha.

" Eu sabia que você chegaria cedo, mas não imaginava que seria tanto. " Sua voz faz meu coração acelerar e meu corpo estremecer. É incrível o poder que ele exerce sobre mim.

" Você sumiu, está tudo bem? " Pergunto com a voz trêmula.

" Preocupada comigo, Tina? " Ele ergue os olhos e me encara.

" Eu sempre irei me preocupar. " Falo sem pensar e me arrependo logo em seguida.

" Pensei que agora você só se importasse com o Harry, afinal, vocês estão juntos, não é mesmo? " Ele pergunta com a voz cortante.

" Não vai adiantar mentir, sim, estamos juntos. "

" Você não deveria ter feito isso, eu te avisei. Não deixei que se envolvesse com outra pessoa. "

" Não sou sua propriedade, sinto muito. Eu faço o que eu quero e fico com quem eu quero. Não preciso da sua permissão. " Respondo decidida.

" Você está sendo muito mal criada, acho que está precisando de uma lição. " Seus olhos ganham um tom mais escuro.

" Não, eu não estou. " O enfrento. " E se estivesse, eu pediria para o Hazz me ensinar. "

" Eu não estou brincando, Christina. " Ele levanta e agarra meu braço com força. Meu coração quase desfalece ao ouvir ele falar meu nome com raiva. " Eu avisei que nenhum homem poderia te tocar. " Ele me puxa para mais perto, colando nossos corpos. " Você é minha! " Inesperadamente ele sela nosso lábios e ao invés de eu me derreter e me entregar completamente em seus braços eu me esforço para me manter indiferente.

" Me solta. " Falo e o empurro. " Você não vai mais me usar. "

" Tudo bem, mas seu querido Harry será demitido. Eu já te falei que odeio envolvimentos entre funcionários. " Ele diz próximo ao meu ouvido.

" Não precisa demiti-lo. " Recuo.

" Muito bem. " Ele acaricia meu rosto. " Será uma boa garota a partir de agora? "

" Não. Você não precisa demiti-lo porque eu me demito! " Grito e me afasto. " Você não vai me fazer de fantoche, eu não serei seu brinquedo. "

" O que houve com você? Cadê aquela garota meiga, doce e inocente que eu conheci? "

" Ela se perdeu no exato momento em que te conheceu. Você roubou a inocência que ainda existia nela. Agora ela mudou. "

" Não, eu não fiz isso. "

" Sim, você fez e você sabe disso. Com esse jeito autoritário, possessivo, com as suas paranóias de castigo, você me mudou e agora terá que conviver com isso. "

" Por que está fazendo isso? Eu pensei que você gostasse, achei que sentisse algo por mim. "

" Eu comecei a gostar, mas não queria gostar, e sim, eu sinto, mas não quero sentir. "

" Isso quer dizer que você vai continuar com o Harry? "

" Sim. Da mesma forma que você vai continuar com a Sofia. "

" É diferente. "

" Não me venha com essa história de é diferente. A única diferença é que você já estava com ela antes e eu nem fazia idéia, o que só te torna pior e não te dá o direito de me cobrar nada. "

" Mas eu quero ficar com você. "

" Então termine com ela. "

" É complicado. "

" Então me esquece. "

" Eu sei que não é isso que você quer. "

" Não, não é, mas será melhor para os dois. " Falo e sigo até a porta, me segurando para não chorar.

Ando lentamente pelas ruas enquanto o vento frio bagunça meus cabelos, as vezes eu queria ser um pássaro, ou apenas ter asas, para sair voando por aí, sem rumo, sem preocupação, somente apreciando a vista, sentindo a brisa leve, olhando pro grande abismo que é a vida sem medo de cair e me machucar.

...

N/A: Capítulo curtinho pra vocês u.u

Bjos, Big Payne's ❤

Até a próxima

O Chefe || L.PLeia esta história GRATUITAMENTE!