Capítulo Oito

656 62 0

Rodrigo

Fiquei ali parado na mesma posição sem entender oque aconteceu!

Cecilia havia me beijado, e não foi um beijo qualquer, nunca havia sentido algo parecido, era uma mistura de alegria,desejo e medo ao mesmo tempo!. Minha vontade era ir atrás dela e provar mas daqueles lábios!,mas eu não podia dar falsas esperanças para ela, já que nos dois não tínhamos futuro juntos. O pior de tudo seria esquecer aquele beijo!.

Então montei na moto e voltei para casa, minha cabeça dava mil voltas. Porque ela fez aquilo? Agora tenho certeza que ela gosta de mim, e assim as coisas ficam mas difíceis.

Quando cheguei em casa para minha sorte Lucas estava dormindo,melhor assim, eu não estou com cabeça para suas gracinhas. Então fiz a única coisa que consegue me acalmar,trabalho!.

Passei praticamente a noite toda consertando o fusca de Cissa, adorava trabalhar em carros antigos, onde muito viam coisas ultrapassadas,eu vio transformação com um pouco de modernismo mas sem tirar o valor histórico do carro, era nisso que trabalhava como estagiário quando fazia faculdade, adorava meu emprego naquela empresa de design de carros antigas!,infelizmente quando Carol foi embora deixando Bel ainda bebê tive que trancar a faculdade, e com isso perdi meu emprego. E assim se foi meu sonho para o ralo, não me arrependo de ter largado tudo para cuidar da minha filha, pois ela é o meu bem mas precioso!,mas queria muito ter concluído minha faculdade.

Quando terminei o conserto já era de madrugada, mas estava feliz com o resultado!. Invés de somente trocar o carburador, fiz alguns reparos, dando um ar mas moderno, limpei,encerrei e ilustrei o fusca deixando mas branco que uma noiva, pelo menos de algum jeito eu iria poder recompensa-lá por tudo que fez por Bel. Agora poderia dormir,com o cansaço que eu estava não conseguiria pensar em mas nada.

Acordei um pouco tarde,mas minhas ideias estavam mas claras, e já sabia qual atitude tomar em relação a Cissa, mesmo que isso fosse me fazer sofrer.

_Até que enfim acordou a bela adormecida! Lucas disse me tirando dos meus pensamentos.

_ Eu fiquei até tarde trabalhando no fusca de Cecilia! Falei enquanto me sentava no sofá.

_ Em falar nela!...tá rolando alguma coisa entre vocês dois, não é?.
Lucas disse,mas pra minha sorte a porta da entrada abri, e de lá vejo entrar minha pequena Bel,me salvando do interrogatório do seu tio.

_ Papai eu tava com saudade! Bel disse enquanto abraçava meu pescoço.

_ Eu também estava com saudade baixinha! Disse

_ De quem é aquele fusca lá na oficina? Meu pai perguntou.

_ E de um amigo!...ele pediu para dar uma revisão nele! Falei omitindo a verdade.

Não queria que Bel soubesse que Cissa esteve aqui,conheço muito bem minha baixinha, e com certeza iria ficar triste por não ter visto Cecilia.

********

Como hoje era domingo resolvi me dar um dia de folga, como não queria que Bel visse Cecilia, não esperei ela vir buscar seu fusca, decidi levá-lo eu mesmo e também tinha que esclarecer as coisas com ela.
Cheguei em frente ao seu prédio,e pedi para o porteiro avisar que o mecânico havia trazido seu carro,com todo certeza ela saberia que era eu.

Alguns minutos depois vejo ela chegar até a portaria, e como ela estava linda!,com um vestido florido que vinha até a altura do joelho e com seus cabelos saltos, fazendo seus cachos voarem com o movimento do seu caminhar. Ela estava um pouco seria, apenas deu um sorriso fraco quando me vio,e não sabia como dizer sobre minha decisão para ela sem mágoa-lá.

_ Oi,Rodrigo! Ela disse chegando perto de mim.

_ Oi Cissa,...vim trazer seu carro,achei que você podia estar precisando dele.

_ E realmente ele me faz falta!...como ele está irreconhecível, pelo visto você deu um trato nele...e aí quanto vai me custar? Cissa perguntou.

_ Eu não vou cobrar de você!...é um presente de agradecimento pelos cuidados que você teve com minha filha!

_ Tudo bem então!...mesmo não achando justo!
Cissa disse dando um lindo sorriso, e assim tornava mas difícil dizer tudo oque tinha em mente pra ela.

_ Cissa será que você tinha um tempo para conversar! Falei sentido minha boca seca.

_ É claro,...se você quiser subir até meu apartamento, ou em outro lugar,está tudo bem!.

Eu apenas concordei e acompanhei, depois guardamos o carro na garagem do prédio, subimos até seu apartamento.

_ Entra, fique a vontade! Cissa disse me dando passagem.
Agora,mas do que nunca eu tinha certeza que estava fazendo a coisa certa. O apartamento de Cissa era um palacete comparado com minha casa.

_ Cissa eu queria falar com você sobre ontem a noite! Falei me sentando próximo a ela.

_ Nossa você deve achar que sou doida!...mas pra falar a verdade foi a primeira vez que eu faço isso...beijar alguém sem nem pensar,... mas é que encontrar você depois de tanto tempo,mexeu comigo!...,pra mim você só era uma paixão adolescente! Mas não, acho que nada mudou...apenas estava adormecido!. Cissa disse com brilho nos olhos, e eu me sentia mal por isso.

_ Cissa eu realmente não sei como te dizer isso!..mas não posso ter nada com alguém agora !...eu estaria mentindo se dissesse que não sinto nada por você ou que não adorei ti beijar ontem!...mas no momento, eu não posso me envolver com ninguém, minha prioridade agora é minha filha!...me desculpe!
Disse sentido uma bola se formar em minha garganta,pois a cada palavra que disse vio seu rosto mudar e o semblante se entristecer.

_ Ok! Bom,achei que você iria me dizer outra coisa!...mas tudo bem,acho que anda assistindo filmes românticos demais,que as vezes confundo as coisas!...não se preocupe Rodrigo,vou ficar bem! Assim como fiquei bem a oito anos atrás!. Ela disse se levantando é indo até à porta.

_ Acho que não temos mas nada pra dizer!...e melhor você ir! .Ela disse com aqueles olhos verdes marejados. Então me levantei para ir embora.

_ Cissa eu não quero...!.
Mas mesmo antes de terminar de falar ela me interrompe.

_ Eu já disse que está tudo bem Rodrigo!...,só me faz um favor?...quando me encontrar em qualquer lugar, fingi que não me conhece!...pois eu farei o mesmo!.Cissa disse com mágoa.

Então ela fechou a porta do apartamento sem me deixar falar alguma coisa . Eu me sentia um aperto por dentro, que droga de destino é esse que me faz encontrar meu grande amor, e ter que abrir mão dele, por não ser capaz de lhe oferecer um futuro decente?.

O que um simples mecânico, que ainda vivia com os pais,pois não tinha condição de manter uma casa sozinho, e nem dinheiro suficiente para comprar os remédios da própria filha!,tinha a oferecer a uma médica bem sucedida como Cecilia? Nada!...,apenas meu amor por ela, mas quando as dificuldades chegassem, nem o amor resistiria!
Eu sei disso, a vida real infelizmente não é um conto de fadas!

Agora não tinha mas volta!,depois do que falei nunca mas iria ter seu amor de volta!.

E se um dia eu cruzar seu caminho vou fazer oque ela me pediu!, fingir que não há conheço, mesma que minha vontade seja de abraça-lá!.
E mesmo que meu coração esteja gritando de amor por ela! .................................................

Destinos Traçados (completo) Leia esta história GRATUITAMENTE!