Capítulo Quatro

738 62 1

Rodrigo

Apesar de ter demorado para dormir consegui descansar um pouco, mas mesmo assim não consegui esquecer aquela estranha sensação de que já conhecia Cecilia.

_ Da onde será que ti conheço tia Cissa! falei alto imitando Bel.

Foi aí que a palavra" Cissa" ecoou em minha mente...mas será que era ela? A Cissa do meu cursinho! Pensei comigo,só a um único jeito de confirmar isso,era revendo as fotos dessa época. Por sorte dona Heloisa minha mãe era uma pessoa organizada, e sempre tinha tudo em ordem então foi fácil achar as fotos.

Então lá estava ela na foto que o professor Silas havia tirado da turma na nossa última aula, o mesmos olhos, o mesmo sorriso! Como não percebi isso antes? Era muita coincidência entre tantas pessoas,logo ela foi quem me ajudou?.

Era tudo tão confuso, oito anos havia se passado é tudo que sentia por ela não havia mudado fazendo parecer que tudo foi ontem mesmo!.

Cissa foi única garota por quem senti algo diferente, talvez seja porque para mim ela parecia um mistério! Sempre séria focada nas aulas, não era como as outras que sempre que tinha alguma oportunidade estavam flertando com algum rapaz . Talvez meu interesse por ela no começo era mas por curiosidade do que por outra coisa.

Adorova olhar pra ela,e ver o quanto seu rosto corava quando ela percebia isso!. Mas sempre que tentava me aproximar Carol me impedia, naquele época eu já havia ficado com ela algumas vezes,nada sério mas ela não dava trégua sempre marcando em cima e me impedindo de me aproximar de outras garotas.

A única oportunidade fui naquele jogo de futebol ,sem querer chutei a bola no no rosto de Cecilia,realmente achei que tinha quebrado seu nariz quando vi que ele estava sangrando, mas felizmente não foi nada grave! Então foi ali que vi minha chance de conhecer melhor aquela garota de olhos verdes. Aproveite que Carol não estava por perto e levei ela dali.

Depois que Cissa lavou seu rosto ficamos sentados no gramado conversando, e eu estava certo em achar ela diferente das outras,pois eu nunca tinha me sentindo tão a vontade para conversar com alguém e falar sobre meus sonhos,apesar de sua timidez ela era uma pessoa cativante,e o jeito que ficava constrangida e corada quando eu a elogiava me encantava mais ainda!. Quando ela estava indo embora não perdi tempo, segurei sua mão e dei um beijo em seu rosto, sinceramente minha vontade era beijar aqueles lábios, mas me contive, e outra vez vi ela ficar vermelha de vergonha.

Depois disso só vi Cecilia no cursinho e não consegui conversar com ela até agora, como morava longe sempre chegava atrasado e na saída Carol estava lá de prontidão me esperando. Sei que ela queria ser muito mas que minha amiga, foi bom ficar com ela algumas vezes,mas agora eu estava interessado em Cissa!,e pelo jeito ela desconfiava disso.

Só no último dia de aula consegui falar com Cissa, iria convida-lá para ir à festa comigo mas fiquei decepcionado quando ela disse que iria ficar em casa estudando, mesmo assim disse que se ela fosse teria que dançar uma música comigo. Infelizmente ela não apareceu, fiquei triste por isso, eu estava enganado ao achar que ela sentia algo por mim. Resultado tomei todos que pude aguentar e fiz a burrada de pedir Carol em namoro.

Uma semana depois passeando no shopping com Carol, vi Cecilia com outro mulher muito parecida com ela,que deduzi que era sua mãe,as duas estavam sentadas na praça de alimentação quando passei próximo a elas não pude me conter e olhei para Cissa . Quando nossos olhos se cruzaram dei um sorriso fraco, ela apenas me olhou sem se mover e pode notar que seus olhos estavam cheio de lágrimas, senti meu peito doer ao ver aquilo!,então percebi que estava enganado ela sentia sim algo por mim, mas agora já era tarde demais para voltar atrás.

Essa foi a última vez que há vi! É agora ela aparece em minha vida novamente, tão diferente parecendo outra pessoa mas com aquele mesmo olhar, e entre tantas pessoas ela foi a única que me ofereceu ajuda. Eu sei que nunca acreditei em destino,mas agora tudo me levava a crer que estávamos destinados a nos encontrar.
E se fosse ela a mulher da minha vida,e se eu não tivesse pedido Carol em namoro,tudo poderia ser diferente e quem sabe eu estaria com Cecilia.

_ Não, eu nunca acreditei em destino!...não é agora que vou começar a acreditar! Falei comigo mesmo.

Nesse momento minha mãe entra em casa, eu ainda tento limpar as lágrimas do meu rosto, mas ela percebe que alguma coisa está errada.

_ O que foi meu filho?...não me diz que Bel piorou?.minha mãe pergunta assustada.

_ Não mãe está tudo bem com a Bel,...eu só estava vendo algumas fotos e acabei me emocionando relembrando o passado. Falei omitindo a verdade.

_ Há meu filho e melhor você guardar isso!...você já está passando por tantos coisas, e não faz bem ficar se martirizando assim. _Dona Heloisa disse beijando meu rosto.

_ Está bem mãe! A senhora tem razão!...bom acho melhor voltar para o hospital. Disse me levantando e indo até a porta de saída.

_ Fala pra Bel que mandei um beijo! Disse minha mãe.

_ Pode deixar! Falei.

Eu não sei oque faria sem minha mãe,em todos os momentos da minha vida ela sempre me apoiou, quando Carol foi embora deixando Bel com apenas quatro meses de vida eu estaria perdido se não fosse ela, dona Heloisa era meu alicerce!

*********

Quando cheguei no hospital fiquei feliz ao ver que Bel estava bem melhor, tudo isso graças a Cecilia.

_ Hum! Que abraço gostoso! Disse enquanto Bel me abraçava.

_ Você demorou papai!Bel disse fazendo beicinho.

_ E que o papai estava descansando, mas agora eu não saiu mas daqui prometo! Disse fazendo cócegas nela.

_ Correu tudo bem enquanto eu estava ausente?...seu tio ficou paquerando as enfermeiras? Falei olhando para Lucas.

_ Realmente hoje não foi meu dia de sorte! Todos as enfermeiras eram velhas feia e mau humoradas! Lucas disse fazendo Bel e eu rir.

Logo depois ele foi embora pois ainda tinha que ir pra faculdade,pelo menos ele iria conseguir se formar.

_ Enfim a sós princesa! Oque você quer fazer?...que tal assistir um desenho?sugeri.

_ Eu assisti desenho um tempão, eu queria uma estória igual da tia Cissa, eu queria que ela tivesse aqui! Bel disse triste.

_ Bel eu sei que você gostou dela, mas ela não é nada nossa,ela é apenas a médica que está cuidando de você!...quando você tiver alta talvez nunca mais à veremos de novo, então é melhor você não se apegar a ela!...tudo bem meu amor!
Falei com dor no coração,mas não poderia mentir para Bel.

Ela apenas balançou a cabeça e não disse mas nada,mas sei que ela compreendeu oque eu disse, Bel apesar de ter apenas seis anos era uma criança muito esperta e inteligente. Logo depois que eu improvisei uma estória para Bel,ela adormeceu, então me acomodei na poltrona que na noite passada dividi com Cecilia.

Seu cheiro ainda estava presente nele, me fazendo sentir sua falta, mas eu não tinha esse direito, minha vida havia saído totalmente dos eixos, enquanto ela tinha conseguido realizar todos seus planos e se tornando uma grande médica,eu não poderia estar sentido tudo aquilo por ela novamente depois de tanto tempo.

O melhor que eu posso fazer e fingir que não me lembrei dela,e ter a esperança de que ela não tenho se recordado de mim. Quando Bel tiver alta tudo voltará a ser apenas lembranças do passado, nada mas que isso!
Apenas uma boa recordação.............................

Destinos Traçados (completo) Leia esta história GRATUITAMENTE!