TERCEIRA: TAKE ME THERE

1.5K 60 6


Eu sentia seus lábios nos meus, seu corpo ardente, tão ansioso quanto eu, encostando-se ao meu.

Nossos toques eram quase incertos do que se deveria fazer, mas eu sentia-me explodir a cada pedacinho de pele que seus dedos tocavam. Cada suspiroe gemido dela me fazia arrepiar e me perguntar o que eu havia feito de tão bom na minha vida para merecer estar ali com ela.

Eu só conseguia pensar que ela me levara até ali, até aquele nosso momento, nosso momento especial.

Flashback on
Já havia passado da hora e eu estava morrendo de ansiosidade. Alguns convidados estavam chegando apenas agora, ao por-do-sol, mas os que haviam chegado junto comigo, por volta das três horas, começavam a bocejar. A praia estava cheia pro meu casamento. Pro nosso casamento.

Como uma martelada, eu fui atingido pelo pensamento que ela não viria mais e que me deixaria esperando no altar na frente de toda aquela gente. Soltei uma exclamação doída e senti uma mão em meu ombro.

- Relaxa, Yago - Meu amigo disse, apertando-me o ombro. - Garotas demoram mesmo pra colocar todas aquelas coisas que garotas precisam colocar pra se casar e que... - Ele deu uma risadinha, abaixando a voz - Não sei pra quê elas colocam. Bom, você vai tirar tudo depois, não?

Eu suspirei, estremecendo com a ideia. Tinha um padre atras de mim, eu não podia ficar pensando em beijá-la, eu tocá-la... Eu ia pro inferno!

- Você não está ajudando - Eu disse, batendo com o pé no chão.

O idiota riu de mim e deu três tapinhas nas minhas costas. Tapinhas não, tapões. Eu cheguei a me curvar para livrar-me dele.

- Desculpa, cara - Ele disse, ainda rindo - Esqueci que ela é certinha e que vocês ainda não fizeram isso.

Com uma risada, ele deu-me outro tapa e voltou ao seu lugar de padrinho. Eu devia ter escolhido um padrinho menos panaca.

Continuei batendo os pés no chão, nervoso. Enão todos se levantaram e eu prendi a respiração. Eu queria vê-la eu precisava, e todas aquelas cabeças não me permitiam.

Quando a vi, toda linda em branco, ela sorriu, os olhos brilhando em reflexo ao Sol laranja do por do sol, eu soube que ela era o que eu queria pra mim.

Flashback off

Eu sentia seu peito subir e descer enquanto ela sugava o ar que eu tentava tirar-lhe. Abri meus olhos por um momento, afastando-me por alguns segundos e acariciando seus seios por cima dosutiã. A feição dela, de extremo prazer me fez estremecer. Eu tive a certeza, por menos experiente que eu fosse, que eu estava fazendo do jeito certo e qyue se eu resolvesse finalizar agora, ela não sentiria dor, mas , por mais ansioso que eu estivesse, eu queria aproveitar cada segundo daquela noite.

Ela abriu os olhos e encarou-me, claramente envergonhada por ter me pego observando-a. Então, forçando-a a relaxar, eu arrisquei um sorriso que foi rapidamente correspondido por um vacilante dela. Passei minhas mãos por seu tranco e ela fechou os olhos, entorpecida.

- Relaxa, por favor - Eu pedi, com medo de estar assustando-a e acabar machucando-a quando chegasse o momento certo.

E, então, supreendendo-me, ela levantou ocorpo e seus labios e dentes encostaram-se em minha orelha e foi minha vez de fechar os olhos e gemer.

Flashback on

Ela caminhou até mim com o sorriso estonteante em seus lábios e os olhos bvrilhantes escondidos pelo véu cor de neve.

Contos Eróticos... Ou quaseRead this story for FREE!