SENTENÇA CORRETA - CENA 1: INÍCIO

11.9K 228 24


Lá estava ela, pronta pra encontrar a melhor amiga na boate nova da cidade. Quase todos os seus colegas e conhecidos tinham convites antecipados para a balada daquela noite e, é claro, Juliana não podia estar atrás.

Ela estava ansiosa. Na verdade, queria curtir a noite. Ela estava em um relacionamento com um garoto bonito, alto, moreno e magníficos olhos azuis, chamado Diego, mas faziam alguns dias que ele não ligava para ela, então ela achava que era melhor desencanar dessa.

Mas, no fundo, ela esperava que Diego estivesse na lista de convidados.

Com um vestido mais curto do que ela normalmente usaria, preto – e ela negou pra si mesma que não era porque Diego gostava daquela cor, ela desceu no ponto de ônibus mais próximo da boate, olhando para os lados, procurando pela amiga. Não havia nenhum sinal dela.

Juliana odiava esperar. Ainda mais esperar pra entrar numa boate pra encher a cara. Ainda mais com a roupa fatalmente sexy que ela tinha colocado. Ainda mais com o maldito salto agulha que estava matando seus pés antes mesmo da noite começar.

Então ela não poderia perder uma oportunidade perfeita de ter a desculpa perfeita, não é mesmo?

- Alex! – Ela chamou o rapaz assim que avistou-o.

Conhecia-o vagamente de algumas saídas com Diego. Sabia que eles eram do mesmo círculo de amizades, mas não lembrava o quão próximos eram. Bom, ela não se

importava. Talvez fosse legal se Diego ficasse sabendo que ela havia ficado com um de seus amigos, não é? Vingança, ah, doce vingança.

- Ah...! – O garoto parou, tentando reconhecê-la. Ela teve certeza de que ele não sabia quem ela era, mas o olhar que ele lançou em seu corpo a fez crer que ele não se importava nem se ela fosse uma mendiga, ele iria investir. – Oi... Ahn...

- Juliana! – Ela riu, jogando sua voz mais doce. – Você está entrando? Posso ir com você? Me perdi da minha amiga...

- Claro! – Ele respondeu sem nem pestanejar. – Eu me perdi dos meus amigos também, isso aqui está fervilhando.

Com um sorriso vitorioso ao sentir a mão dele se apoiar acima de seu quadril pra guia-la para dentro da boate, ela mandou uma sms pra amiga, avisando que iria sumir na multidão. Sabia que depois ia ter que se resolver, mas ela tinha planos loucos para essa noite.

Ao entrar na boate, teve certeza que colocara a roupa certa porque todos os olhares se voltaram para ela. Ela capturou o olhar de um cara bonito, muito mais bonito

do que ela poderia arrumar em dias não produzidos. Alex, percebendo, resolveu tomar uma atitude.

- Ei, vamos pegar aquela mesa? – Ele apontou pra uma das poucas mesas vazias. – Você pode ir pra lá enquanto eu pego uma bebida pra gente, o que acha? 

Juliana, aceita essa bebida?
Sim: Cena 2
Não: Cena 3

Contos Eróticos... Ou quaseLeia esta história GRATUITAMENTE!