punish me - 07

8.5K 569 871

Nota: sei que demorei mas eu andei me afastando um pouco do wattpad porque estava com medo de fazerem com a minha fanfic algo que já fizeram três vezes... espero que compreendam, mas agora vou tentar atualizar toda quinta-feira, tudo bem? amo vocês, não se esqueçam de comentarem porque posso atualizar mais depressa conforme a inspiração. falem comigo no fc se quiserem!!!!! (larrydisturb) 




  ❀ 


       Harry apoiava-se nas mãos e joelhos, mantendo o quadril empinado na direção dos olhos atentos de Tomlinson, que o analisava minuciosamente, decidindo onde deixaria a primeira marca de seu chicote. Acontece, que Harry já estava mais que impaciente e como o bom virgem que era, duro. Duro simplesmente por imaginar o que Louis poderia fazer com ele, ali, naquela posição, com um chicote em mãos. Um chicote que deslizava por todas as suas curvas de forma ameaçadora e que a qualquer momento poderia lhe dar um baque forte. Louis então resolveu falar, talvez falar não tivesse sido uma decisão muito conveniente para os hormônios de Styles.

-Olhe só para esse corpo... — Passou as tiras do chicote pela cintura de Harry e logo em seguida, as encaminhou para a bunda. — Você é tão delicado, babe, sua pele é tão delicada, e vai ficar tão, tão, tão vermelha.

-Uhn, por favor. — O pensamento fez com que Harry implorasse pela segunda vez desde que se encontrava de quatro. Louis adorava vê-lo assim.

-Cale a boca. — Tomlinson ordenou, erguendo seu chicote e o estirando com força na bunda de Harry, que soltou um gemido alto, que demonstrava nitidamente que adorava tudo aquilo, toda aquela cena. Eles eram bons naquilo. Sua pele queimava.

       O cacheado empinou-se mais ainda para seu dominante, se isso era possível. Louis acabou não resistindo ao impulso de tocar aquela bunda já avermelhada com as próprias mãos e deixar alguns beijos estalados, seguidos por mordidas suaves. Ao ouvir as lamentações de Harry escapando por seus lábios carnudos, lá estava o chicote novamente, e de novo, mais uma vez e algumas outras. Porque aquilo era um jogo ótimo de se jogar. A medida que o chicote estalava firmemente na pele do cacheado, ele empinava-se mais e choramingava pela ereção já bem evidente.

       Louis não era virgem, mas seus instintos gritavam o contrário. Seu pau duro dentro da boxer gritava "Harry Styles me deixa virgem", porque ele estava louco para simplesmente arrancar suas roupas e fodê-lo sem parar. Os braços de Harry tremelicavam, demonstrando certa fraqueza após os gemidos contidos, e aquela sensibilidade também excitava Louis. As marcas de tiras na bunda delineada de Harry, faziam isso com Louis.

-Não se mova, agora eu só quero que você gema para mim, como a boa vadiazinha que você é. Seu daddy lhe dá autorização para gemer. — Louis sussurrou e deixou uma mordida suave no lóbulo da orelha de Styles, fazendo-o se arrepiar e uma trilha de pequenos choques percorrem sua coluna vertebral pela voz aveludada.

-D-Daddy? Hum, me puna, p-por favor. — Harry gemeu de forma melodiosa e então Louis sorriu.

-Minha boa princesa, eu quero que imagine seu daddy chupando e tocando todo o seu corpo e me diga se isso lhe soa bom. — Pediu Louis, mantendo Harry de quatro e agora ajoelhando-se na cama, de frente para o cacheado, que o fitava curioso.

-Sim, muito bom, daddy. Por favor? — Harry tentou pedir mas, Louis apenas o ignorou. Ele queria continuar sendo punido, ele sentia sua pele quente nos lugares onde havia apanhado e queria mais daquela sensação. Queria mais, queria tudo e aquilo era tão submissivo que Louis estava completamente encantado, apesar de preferir não esboçar seu choque fisicamente.

    Harry deixou um gemido escapar e sentiu sua boca salivar ao que Tomlinson havia desabotoado sua calça e a abaixado juntamente com a boxer. Louis se masturbava vagarosamente na frente de Harry, enquanto o ouvia gemer. Suor grudava os cachos de Harry em sua testa e pequenas gotículas se acumulavam acima de seu lábio superior, a tensão e o tesão eram duas coisas tão evidentes naquele ambiente que quase chegavam a serem sólidas como rochedos.

transpholiarOnde as histórias ganham vida. Descobre agora