Descubro meu real poder

58 2 0
                                                  



Bom, não sei como começar isso então... Oi, meu nome é Telaran, sou descendente de Hariza e Elteron, dois "magos" que até certo ponto de minha vida achei que estavam mortos, vulgo mamãe e papai. Nunca liguei para o fato de que não tinha pais, sempre me virei como pude, e sempre, não sempre sempre, mas SEMPRE dava errado algum plano que eu criava, você deve estar se imaginando, "Que nome horrível você tem, por que não um nome normal?" ou sentindo pena de mim, bom meu amiguinho sou uma elfa, não uma elfa qualquer e sim uma mestiça, grande coisa, somos tão desconhecidos que ninguém sabe que é da nossa árvore que todas as coisas mágicas vêm, e não, não preciso que sinta pena de mim, meu nome significa "vinda da mana", eu sei "O que é mana", mana é uma força mágica que ajuda aos magos e magas a evocar feitiços e essas coisas esquisitas que eu tenho certeza de que você nunca ouviu falar, esse nome segundo o ancião Hetal'thuris, que é a única pessoa, ou melhor elfo, com quem tenho o maior contato pessoal, para ser sincera não gosto muito do pessoal daqui, o nome dele e extenso e sem graça então o chamo sempre de "Hett" tipo "Et", foi meu pai que escolheu, voltando a parte élfica e esquecida, nós descendemos dos titãs caóticos, segundo os livros da biblioteca central são dez titãs, Thurin, o titã do fogo e patrono dos perdidos na magia, Jinaten, a titã do gelo e a semeadora da discórdia, Hatella a titã da natureza, mãe dos centauros, druidas, sátiros e dríades Getreon o titã das marés, segundo o livro / enciclopédia / ilustrações / chatice ele não é considerado um titã pelos outros, coitadinho mas odeio o mar ainda, Barun o titã da luz, pai da justiça e devoção, que clichê sim eu sei, Kerianth a titã das trevas, sim, tem trevas e luz, mas acredite se quiser os dois são casados, por incrível que pareça ela e a luz-guia dos perdidos e ilumina o caminho dos exilados, Vatella a titã do caos, a sonhadora, a chamam assim pois ela invade seus sonhos e lhe leva a loucura, bizarro e legal eu sei, os outros três eu não consegui ler pois runas antigas são proibidas para garotas, chato eu sei mas fazer o que, ninguém tem conhecimento do local onde os titãs habitam, mas sempre imagino um lugar enorme e feito de mármore, sim mármore, adoro deitar em qualquer lugar feito de mármore, é tão gelado. Eu vivo numa ilha cercada por árvores, e várias dessas árvores são habitadas por outros elfos, que particularmente eu conheço a metade, sim não temos muito o que fazer aqui, no centro da floresta existe a árvore da magia, onde fica a fonte de mana, as bibliotecas e as catacumbas da cidade, eu sempre vou à biblioteca sempre adorei o assunto magia, mesmo não sabendo do meu real poder, todas, literalmente todas as crianças nascidas na ilha possuem alguma relação com magia consequentemente com os titãs principalmente quatro, Thurin, Getreon, Barun e Vatella, e adivinhe quem causa mais problemas aos anciões, isso mesmo os filhos de Vatella, sempre achei que os filhos e filhas de Thurin fossem mais destrutivos e piromaníacos, mas depois do incidente da filha de Vatella que ficou tão louca que dominou a mente de um ancião, não aceitam mais suas proles acho isso uma injustiça, não existe ninguém nessa ilha que ajude os aspirantes a magos e magas a controlar seus novos poderes. Bom existe mais um titã, essa não é muito conhecida, é a titã da guerra, segundo Hett ela é o pivô das desavenças entre todos os titãs juntamente com Jinaten as duas causam o horror entre os titãs e os mortais, seu nome é Liantre e minha opinião pessoal eu gosto dela, não pela facilidade com brigas e sim pela transparência, bom opiniões a parte, Como ia dizendo todas as crianças nascidas aqui possuem alguma relação aos antepassados mágicos, os titãs, elas possuem magia em si, mas eu até um momento não sabia qual era minha afinidade, toda criança nasce com um cristal, esse cristal é de onde elas veem seu progresso na magia, cada titã possui uma cor, por exemplo as proles de Thurin possuem seu cristal vermelho e cada progresso que eles tem a cor do cristal fica mais forte e brilhante, e cada um possui apenas uma afinidade, mas eu não nasci com meu cristal isso sempre me deixou confusa, e perguntas como "Eu sou realmente parte daqui", sempre entram na minha mente e me confundem cada vez mais, mas eu sempre sentia uma forte conexão com a natureza mas nunca consegui fazer magia da vida, mas deixe isso de lado, eu estava, como sempre, na biblioteca lendo e aprendendo runas antigas escondido, na parte mais reservada da biblioteca, as pessoas da ilha não se interessam muito para a leitura, só alguns anciões que vem aqui para pegar seus módulos de magia para se aprimorarem em questão de poderes, a ia me esquecendo, todos os anciões tem seu patrono, Hett era o ancião das trevas, Kaliri, sua irmã, era a anciã da natureza, Thoromir era ancião do fogo, Geres era o ancião das marés, Retellnir era a anciã da luz, Barethum era o ancião do gelo e Crifella era a anciã do caos, todos muito ocupados tentando administrar a cidade-ilha de Meredir, o lar da magia e dos esquecidos, bom, sempre tive uma amizade com Hett ele sempre me ajudou quando eu mais precisava sempre me ouvindo quando eu queria desabafar ou me dando um conselho quando eu aprontava, sua irmã era meio desligada da vida, sempre ouvindo a voz da natureza e essas coisas de ambientalistas. Bom a parte ruim começa a partir do ponto em que eu acordei coberta de vinhas, não vinhas normais e fáceis de se romperem e sim vinhas duras como aço escuras como a noite, totalmente diferente do que eu sempre via, eu me debatia enquanto xingava em élfico, quando Hett chegou na minha árvore-casa para me desejar feliz aniversário, bom nós elfos comemoramos aniversários sim, somos imortais na idade temos que aproveitar, bom voltando ao assunto, eu estava enrolada em uma vinha densa e escura enquanto meu amigo me olhava com cara de espanto enquanto segurava um bolo feito de nozes, meu favorito.

Um poder escondidoWhere stories live. Discover now