Eu Que Tanto Te Amo

260 4 0

Existe uma centelha de esperança, oculta dentro de nós, que sempre se fortalece cada vez que nos apaixonamos por alguém. Quando Katie conheceu Christian, essa centelha se transformou em fogo. Um fogo que a consome diariamente, mesmo depois do fim do relacionamento dos dois. E a tênue linha entre o amor e a obsessão, que, algumas vezes, costumamos ultrapassar, Katie já havia mais do que ultrapassado, ela permanecia longe do limite aceitável há bastante tempo e parecia confortável ali.

Fazia anos desde que Christian e ela estiveram juntos, mas, ao invés de se conformar com o fim, seguir em frente, Katie alimentava a esperança de que o relacionamento dos dois ainda poderia dar certo.

Machucava vê-lo com outras mulheres, era como sentir uma facada em seu coração, mas Katie era paciente, Christian pertencia a ela, e ela estaria pronta para quando ele voltasse.

Mas algo mudou na noite em que ele a conheceu. Luisa. A garota branca, baixa, de olhos e cabelos negros. O que havia de mais naquela mulher? Katie não conseguia enxergar, mas sabia que precisava agir, porque sentiu, pela primeira vez, que perderia Christian. Definitivamente.

Passou a segui-los, a planejar sua atuação, mas suas ideias não formavam nada inteligível e seu pensamento repetia em um eco sem fim uma única palavra: Christian.

Sua ansiedade e inquietação lhe fizeram decidir. Iria vê-lo. Precisava visitá-lo, estar perto dele, queria acalmar aquele desespero interior.

Alô? — ele perguntou, assim que atendeu ao telefone. Katie sentiu seu coração acelerar.

— Christian! Eu preciso vê-lo, quero...

Katie? — ele interrompeu, parecia irritado. — Já disse para você ficar longe de mim. Não me ligue mais. Esse é meu último aviso.

— Christian, eu... — se calou, ele havia desligado. Mas Katie não daria por vencida tão cedo, e meia hora depois estava no apartamento dele.

— Você só pode estar brincando! — Christian exclamou ao ver Katie, assim que abriu a porta de seu apartamento.

— Você desligou o telefone na minha cara! — ela gritou irritada, e o empurrou, forçando-se a entrar.

— Katie, eu já fui muito paciente com você, mas você não merece tanta paciência assim, então saia daqui antes que eu ligue para a polícia.

— Para a polícia? — Katie desdenhou. — Desde quando você passou a ter medo de mulheres, meu amor?

Christian, irritado, esfregou a ponta de seus dedos na testa e fechou os olhos, respirando fundo. Era notável o vermelho lhe tomando o rosto e as orelhas conforme sua raiva aumentava, mas ele se forçou a continuar calmo, ou ao menos tentar.

— Pelo visto você está esperando alguém. — Katie comentou ao notar dois pratos na mesa e comida comprada no restaurante indiano perto dali.

— O que você quer, Katie? — Christian perguntou, por entre dentes.

— Você. Quero você mais do que tudo, Christian. — respondeu se aproximando dele, o acariciando, enquanto ele tentava se esquivar, de forma não grosseira, daqueles toques que um dia o agradaram.

— Já conversamos sobre isso, Katie, não lhe amo mais, você precisa aceitar isso.

Katie ajoelhou-se no chão e começou a desabotoar o jeans de Christian.

— O que você está fazendo?! — Christian exclamou, agarrando Katie pelo braço e levantando-a do chão. — Eu já disse que não lhe amo mais, você escutou o que eu falei?

Eu Que Tanto Te AmoLeia esta história GRATUITAMENTE!