Capítulo 13

1.8K 148 71


Segunda-feira pode ser o pior dia da semana para muita gente, mas na maioria das vezes eu não sinto diferença entre ela e os outros dias. Hoje, por outro lado, estou envolvida por uma felicidade incontrolável, claro que o motivo tem nome e sobrenome. Acordei sorrindo até para o teto de tão bem que estou me sentindo, ou pelo menos estava, até agora, ao me lembrar que ainda tenho que encarar meu maravilhoso chefe. Eu odeio o fato dele conseguir restringir minha felicidade mesmo de longe, odeio o fato de me importar com o que ele pensa, odeio o fato de não conseguir odiá-lo realmente.

Eu não sou aquele tipo de garota esnobe que se importa mais com aparência do que com qualquer outra coisa, mas até eu sei que em dias como esse, quando o seu coração acorda sorrindo simplesmente por lembrar o nome de alguém, é importante tentar ficar bonita o máximo possível, não que isso seja um problema, afinal, meus cabelos loiros e olhos azuis fazem isso por si só, mas não custa nada dar uma caprichada no visual para mostrar que estou me sentindo amada. Eu sempre achei isso, quanto mais sorridente, bonita e bem arrumada uma mulher está, mais visível é o quanto ela se sente bem consigo mesma, feliz, realizada e acima de tudo amada. É assim que me sinto hoje, então esqueço os velhos hábitos e faço uma trança ao invés de coque, coloco um batom ao invés de gloss, passo lápis e delineador ao invés de rimel. Por fim, sorrio, um riso simples e satisfeito.

...

Pensando bem nos últimos acontecimentos estou me sinto uma verdadeira idiota por ter me envolvido com o Sr. Payne, como é que eu pude deixar esse sentimento nascer ? Eu deveria ser mais durona, mas percebo que eu apenas pensei ter herdado essa característica do meu pai, o que não é verdade, pois deixei me levar, me entreguei sem pudor à um homem que só queria um brinquedo, um passatempo.

Balanço a cabeça para afastar tais pensamentos pois não quero em hipótese alguma ficar pensando no Sr. Payne, me parece injusto com Harry ficar pensando em outro, mesmo sendo com arrependimentos.

Saio de casa sorrindo para o mundo, sentindo o perfume das flores, conversando com os casais de velhinhos que caminham calmamente, chutando a bola de volta para as crianças, reconhecendo pela primeira vez na vida o quanto estar vivo é bom e como o amor faz com que a gente enxergue as coisas de uma forma mais bonita, mais positiva, mais colorida.

Quando chego na praça, avisto um ser lindo de cabelos encaracolados me esperando, o sorriso crescendo enquanto vou me aproximando e meu coração acelerando em cada passo que vou dando.

O abraço com força, encaixando meu rosto na curva de seu pescoço, sentindo o cheiro que me inebria.

" Bom dia. " Ele diz enquanto coloca uma mecha da minha franja atrás da minha orelha. " Você está linda. "

" Bom dia. " Sorrio constrangida. " Você também está lindo, como sempre. " Digo e o encaro, selando nossos lábios em seguida.

" Sabe, eu acho melhor nós mantermos nossa relação em segredo por enquanto. Por causa do Liam. " Meu coração pára por um momento. " Você sabe que ele é contra envolvimentos entre funcionários, ou seja, acho melhor não demonstrarmos nenhum tipo de afeto na cafeteria. "

" Eu concordo, Hazz, mas duvido que vamos conseguir esconder por muito tempo, nossos olhares e sorrisos vão nos entregar, querendo ou não, eu não vou conseguir fingir que não está acontecendo nada. De qualquer forma a gente pode tentar. "

" Vai ser difícil, pequena, eu admito, afinal, eu não suporto ficar perto de você sem poder te tocar, mas vamos nos segurar pelo menos por enquanto. "

" Tudo bem. " Sorrio e o abraço.

Novamente selamos nossos lábios em um beijo doce e calmo, minha mão em sua nuca o puxando para mais perto e sua mão em minha bochecha acariciando meu rosto, ficamos ali, nos beijando por alguns minutos e em seguida nos direcionamos até seu carro de mãos dadas. Ao chegarmos na cafeteria, Harry me dá um selinho e estaciona o carro nos fundos, meu coração começa a acelerar, talvez por receio de ser pega pelo Sr. Payne, não que isso importe no momento, porque eu não estou ligando para o que ele acha ou deixa de achar, mas de alguma forma eu estou temendo por causa de Hazz, medo de que o meu querido chefe o demita, eu acho que ele não faria isso, mas também não posso garantir que não.

O Chefe || L.PLeia esta história GRATUITAMENTE!