1

11K 463 43

Acordo com as mãos de Alexia acariciando o meu rosto. Abro os olhos lentamente tentando me acostumar com a claridade do quarto.
"Bom dia, Ruby. É hora de levantar." ela diz com sua voz tão suave que só me apetece voltar a dormir.
"Só mais alguns minutos, por favor.'' peço.
"Nada disso, você tem que ir pra escola daqui alguns minutos."

Alexia é responsável por mim aqui no orfanato e não tenho do que reclamar, ela é uma ótima pessoa, tem me ajudado muito desde que perdi meus pais e vim parar aqui.

Sinto um nó se formar na minha garganta ao lembrar deles. O jeito doce e carinhoso da minha mãe somados ao jeito brincalhão e cuidadoso do meu pai me fazem tanta falta.
Quando eu tinha dez anos vivenciei o pior dia da minha vida, três ladrões invadiram a minha casa e meus pais imediatamente me esconderam no armário com a seguinte ordem: Aconteça o que acontecer, não faça nenhum barulhos, vai ficar tudo bem. Nós te amamos muito, filha.

Hoje, eu tenho quinze anos e ainda espero pelo dia em que tudo irá ficar bem.

Chego na escola alguns minutos atrasada e corro para sala de aula.

Primeira aula.
Segunda.
Terceira.
Intervalo.
Saio da sala e vou direto para cantina, como não tomei o café da manhã hoje estou morrendo de fome.
"Oi, Ruby! Por que você está aqui sozinha? Nós estamos te esperando lá na outra mesa." Valentina diz me despertando do meu transe.
"Oi, Vale! Hoje eu prefiro ficar aqui, tenho muita lição pra fazer e se eu for lá sentar com vocês vou acabar me distraindo." digo dando risada.
"Ah qual é, Ruby. Vamos!"
"Fica pra amanhã, Vale. Amanhã eu prometo que vou."
"Guarde bem essas palavras, mocinha, pois eu vou te cobrar." ela diz fingindo um tom de ameaça e eu não consigo evitar uma gargalhada.
"Sim senhora." digo.
"Então até amanhã, Ruby."
"Até amanhã, Vale."

Abro alguns livros juntamente com o meu caderno e vou respondendo algumas questão que ficaram por fazer.

Assim que termino o último exercício o sinal toca e eu sei que já é hora de voltar para sala. Suspiro aliviada por ter conseguido fazer tudo a tempo.

O professor responsável pelos dois últimos tempos entra na sala cumprimentando todos os alunos e sorrindo, que estranho.
Professores...

O último sinal toca e eu saio pra fora da escola, por fora sou apenas mais uma aluna voltando pra casa, mas por dentro estou correndo por campos de girassóis gritando "Liberdade!".

Agora só preciso voltar para o orfanato.
Espera.
A Alexia me pediu para entregar um papel pra uma amiga dela que trabalha em uma loja aqui nesta rua.
Agora só falta eu encontrar o papel.
Tiro a mochila das costas vasculhando todos os bolsos em busca do papel, mas a bagunça aqui dentro não está ajudando. Acelero o passo.

Sinto o meu corpo embater contra outro, me fazendo ir parar no chão.
"D-Desculpa." peço para o homem que está em pé na minha frente.
Ele estende a mão me ajudando a levantar, mas sem dizer uma única palavra, os seus olhos verdes estavam fixados em mim.
Olho para baixo e muita coisa que estava na minha mochila agora está no chão. Me abaixo para pegar todos os papéis e canetas e encontro o papel que a Alexia me deu. Finalmente.

Quando me levanto percebo que o rapaz ainda está aqui e os seus olhos fogem rapidamente do meu traseiro, encontrando o meu rosto.
Tarado.
Coloco a minha mochila nas costas e caminho em direção a loja, deixando o homem de cabelos cacheados e olhos verdes para trás.
Entrego o papel e saio rapidamente.

Preciso voltar para o orfanato, ou melhor, para casa.

Daddy's Princess || H.SLeia esta história GRATUITAMENTE!