Dezesseis

6.9K 579 136

— Me desculpe Rafael - Patrícia disse, sendo sincera. Sabia que o garoto tinha percebido que no começo, ela não tinha ido muito com a cara dele.

Não que ela fosse gostar se a filha chegasse e dissesse que estava namorando com ele, mas estava feliz que ele tinha corrido para chamá-la quando ouviu Daniel gritando com  Lívia. Se não fosse por ele, coisas graves poderiam ter acontecido. Agora que ela sabia de toda história, queria Daniel bem longe daquela casa.

— Tudo bem, eu não fiz nada demais. - Ele respondeu sorrindo.

— Então, nós vamos pra Angra amanhã, passar 3 dias, seria legal se você viesse conosco. - Ela disse sorrindo.

— Uau, é... Legal. Tudo bem. Eu vou falar com a Lívia e ver o que ela acha. - o rapaz disse, saindo a da cozinha e subindo direto para o quarto da morena.

Victor e ela conversavam tão baixo que ele não era capaz de decifrar nenhuma palavra. Não observou muito a cena, pois logo o irmão da menina o avistou e veio até ele, sorrindo.

— Fala com ela aí, ela tá meio confusa. - disse ele saindo do quarto, dando dois tapinhas leves no ombro de Rafael.

Meio receoso, ele andou até a cama de Lívia. Faltavam apenas alguns minutos para a meia-noite.

— Tá tudo bem? - Ele já sabia a resposta, mas foi a única coisa que ele encontrou para dizer naquela hora.

— Não, não tá! - quando a menina virou seu rosto para Rafael, ele pôde perceber que ela esteve chorando muito, e que estava vermelha de raiva - Você não precisava ter chamado minha mãe!

O loiro ficou indignado ao ouvir aquelas palavras.

— O quê? Você queria que aquele cara te estuprasse então? Pelo visto sim, não é?

— Você não tinha que ter chamado toda aquela gente! A minha mãe me obrigou a contar toda a história do Daniel pra ela! Sabe o que é ter que admitir que o cara que você achava ser perfeito, tentou arrancar sua roupa a força?

— Não, eu não sei! Mas olha, eu sei que ouvi muito bem quando você me defendeu, era mentira tudo aquilo que você falou, então?

Lívia fechou os olhos. Não era mentira, e era horrível ter que admitir isso. Ela ainda estava machucada com toda a situação, e ter que gritar para o mundo que o cara que ela odiava há alguns dias atrás, tinha se tornado meio que um "anjo da guarda" na vida dela, era bem complicado com a sua personalidade forte. Respirou fundo antes de abrir os olhos novamente e encarar os de Rafael.

— Não, não era mentira. - Admitiu por fim. - Quer saber? Eu já estou cansada de lutar contra isso. Tenho que admitir, você é um cara legal e me ajudou muito. Obrigada, Rafael. Pronto, era isso que você queria ouvir?

Rafael sorriu e fitou o chão. Logo depois voltou sua atenção para os lábios da menina, e assentiu.

E lá estava Lívia, mais uma vez entregue aos beijos de Rafael. E num piscar de olhos, o ano tinha acabado. Mas os dois estavam tão focados naquele momento, que mal perceberam os fogos lá fora, que traziam cores para o céu. E não perceberiam tão cedo, se não fosse por Lívia ter se soltado de Rafael, por falta de ar. A morena sorriu timidamente, encarando o chão.

— Então... Feliz ano novo? - Ela perguntou, ainda tímida.

— Feliz ano novo. - Rafael respondeu, rindo fraco ao ver a menina ficar corada.

❄❄❄

— Sua mãe me convidou para ir pra Angra com vocês - Rafael falou rindo.

Ele não esperava nenhuma reação da menina. Estava com medo de que ela não gostasse da ideia, mesmo que tivessem passado os últimos minutos se beijando.

— E você vai, certo? - ela levantou uma sobrancelha.

— Só se estiver tudo bem pra você. Ah, e se você me prometer que não vai me atirar no mar...

— Ah, mas esse era justamente o meu plano!

HATER | Cellbit - Rafael LangeOnde as histórias ganham vida. Descobre agora