Previsão

361 10 0

Capítulo 1

Previsão

Abri os olhos leve e lentamente. Eu estava bem tranquilo. Na realidade, era comum eu estar. Esse sonho não foi uma mudança da minha maldita rotina, mas uma parte dela. Sim... Já tive esse tipo de sonho milhares de vezes e, para falar a verdade, acredito que é isso que ainda me mantém são.

          Olhei o relógio e vi uma situação ainda mais comum do meu dia a dia.

          — Atrasado...

          Como se me faltasse senso de urgência, demorei quase dez minutos somente para sair da cama. Para me vestir foi algo em torno dos vinte.

          Verdades sejam ditas. Quem falou que nós temos que sair correndo com o nosso café da manhã na boca quando estamos atrasados, cheio de emoções para um novo dia de aula? Maldita ficção que tenta nos enfiar goela abaixo essas fantasias idiotas. Sou só um garoto normal que depois de perceber que vai chegar atrasado simplesmente aceita isso.

          — Isamu, o almoço tá na geladeira. Não se esquece de levar a chave.

          Minha mãe fechou a porta e ligou o carro apressada. Provavelmente ela também estava atrasada para o trabalho. Tal mãe, tal filho, não?

          Akemi Fatou. De fato, o nome pode soar meio estranho, mas minha mãe é japonesa e meu pai é francês. Essa junção improvável criou os nomes mais impronunciáveis possíveis.

          Isamu Fatou. Este sou eu. Não estou acostumado a escrever meu nome em japonês, mas sei que quando traduzem errado o meu sobrenome para kanjis, estes têm alguma coisa a ver com competições e flores, de fato, uma aberração de nome.

          — A onda de assassinatos que ocorreram no último mês deixou mais uma vítima. Desta vez, porém, o corpo de uma jovem garota foi encontrado no topo do Brandenburger Tor. As autoridades já começaram a se mobilizar, mas pouquíssimas evidências foram deixadas na cena do crime. A vítima, de origem americana, era imigrante e o sistema político está procurando não tornar o caso em um escândalo internacional.

          O programa de notícias começou a falar novamente sobre o caso dos "Agentes do Destino", um grupo de malucos que dizia estar seguindo as "ordens do destino" e executando friamente aqueles que eles consideravam ser "um inimigo da ordem". Para falar a verdade, coisas como essas acontecem em diversos países desenvolvidos, mas desde que nos mudamos para a Alemanha esse foi o primeiro escândalo fanático que ouvimos.

          — Mais maluquices, hã?

          Falei comigo mesmo, uma mania minha que poderia ser dita como um reflexo dos meus sonhos malucos.

          — Parece até um trabalho de Johan Liebert.

          Uma referência foi lançada ao ar. Uma outra mania bem irritante. Me desculpe por usar o nome de seus personagens em vão, mestre Urasawa. Eu realmente deveria parar com isso. Se alguém me ouvir vou parecer alguém completamente sem chances de ser civilizado... Não que eu me importe. Depois de terminar o café da manhã peguei o almoço na geladeira e fui em direção à rua. Ainda que eu soubesse que estava atrasado, se eu perdesse o próximo trem, o último da hora, só iria chegar ao fim do dia. Isso não seria nada bom. Já basta estar alguns minutos atrasados, imagine ficar horas.

          Obviamente preferiria ficar em casa. O que vou fazer na escola? Vai ser a mesma coisa de sempre. Absolutamente a mesma coisa, aulas inúteis, pessoas fúteis e um tédio maçante.

A Borboleta na TormentaLeia esta história GRATUITAMENTE!