Flashback ON

Termino de comer o pastel que tinha pedido a um auxiliar e continuo a ouvir a conversa fiada do namorado da minha mãe para a mesma. Até que fui envolvida, de repente, nela.

"Não, achas, Luanna?" Perguntou-me o George com um sorriso animado a bailar nos lábios.

"Hm, eu... Eu..." Não prestei atenção a nada!

Acho que a minha mãe se apercebeu disso então continuou a falar, desviando a atenção de mim para ela.

"Bem, querida, eu tenho algo bastante importante para te dizer..." Levantou-se, ajoelhou-se perante a minha mãe e suspirou.

ISTO NÃO PODE ESTAR A ACONTECER!

Arregalo os olhos quando o vejo retirar do bolso do casaco uma caixinha bordeaux.

"Aceitas fazer-me o homem mais feliz e sortudo do mundo, casando comigo? Pode parecer uma loucura mas garanto-te que é a melhor de todas as que já cometi."

A minha mãe estava estupefacta, como eu, totalmente sem reação e vermelha por ter todos da pastelaria a olhar para ela e ansiosos por ouvir a resposta. Ela olhou para mim e entristeceu.

"Luanna, tu... tu queres conversar? George, não te importas?" A minha mãe falou no seu tom bondoso habitual.

"Claro que não, e-eu, hm... Levem o tempo que quiserem."

Espera, o quê? Não é suposto ela dar a resposta? O “mas” da relação deles sou eu? Céus, não, nem pensar!

"Não, mãe! Este é o teu momento, e eu apoio-te sendo a tua resposta sim ou não. Tu mereces mais que ninguém e eu não quero ser o motivo da arruinação do casamento. Eu amo-te mãe, garanto-te que estou orgulhosa de ti e feliz. Vocês amam-se, é o essencial, acho que é o suficiente para me terem do vosso lado sempre. Aceita de uma vez por todas."

"Deuses, Luanna, meu anjo... Obrigada, apenas precisava dessas palavras para ter a certeza que o meu “sim” era assegurado. Eu aceito, George. Aceito hoje e todos os dias da minha vida."

Os olhos escuros da minha mãe brilhavam; não só por estarem vidrados mas pela beleza do momento.

Se ela está bem eu, melhor estou em sabê-lo.

Flashback OFF

"E então? Um bom senhor?"

"Meu padrasto." Orgulhosamente falei.

Eu tenho orgulho do George Pattinson. Acho que nunca consegui reconhecer isso, apenas. Não é tão mau como a mãe do Harry e a Martha descreveram, eu acho.

[...]

"Estou, Niall? Onde estás? Longe do Harry?" Pergunto.

"Sim, não te preocupes, Luanna. Avisei-o há dez minutos que tu o esperavas em casa dos pais dele e ele disse que sabia, porém, permaneceu sentado a ver a lista da tour. Acho que está preocupado com algo, se queres que te diga. Estava estranho, entristecido e tu sabes como este dia é o melhor de todos!" Suspiro. Afinal não é só com a Christine. "Entretanto, o Simon chamou-o e foram para uma sala sozinhos e até agora ainda não saíram de lá. Não me parece que vão sair de lá tão cedo."

"Porquê?!"

"Já ouvi o Harry a gritar “não!”, o Simon a gritar “cala-te e acalma-te”. A coisa não está boa."

"Oh, céus, eu só espero que ele esteja a tempo aqui. Obrigado, Niall, a sério. Até amanhã."

"Até amanhã, Luanna."

Desligo a chamada e regresso á sala de estar onde estava maior parte das pessoas, familiares e amigos, concentrados. Principalmente a Gemma que era com quem eu queria falar.

"O meu irmão vem ou não, Luanna?"

"Estive agora a falar com o Niall e parece que algo está errado... Estou tão nervosa, Gemma!" Bufo, pegando ao colo a minha filha que pedia os meus braços por estar sempre a ser atacada com abraços, elogios e carícias.

"Calma, já sabes como ele é. São 21h. Ainda temos tempo!"

Respiro fundo e assinto.

"Tens razão."

"O papá faz anos, mamã?"

"Sim, anjo, eu disse-te hoje de manhã."

"Mas eu ainda não lhe dei os parabéns. Onde está?"

"Eu não sei, exatamente mas hm... Ele estará aqui em breve, Felicity."

"Oh... Está bem." Abraçou o meu pescoço quando uma prima do Harry se aproximou para acariciá-la.

Nunca mais vi aquela miúda que andou no mesmo infantário da minha filha. Pergunto-me como estará...

1 hora depois.

"Bem, vamo-nos sentar na mesa. Luanna, ligas ao Harry a pedir que se apresse?" A mãe dele questionou.

"Eu ligo, Luanna, vai sentar-te e serve a pequena." A Gemma diz, esboçando-me um curto sorriso.

Assim o fiz. Servi uma comida diferente e do seu gosto a Felicity.

Mas não demorou muito para eu ser interrompida.

"Luanna, o Harry hm, quer falar contigo." A Gemma entregou-me o seu telemóvel e sentou-se ao lado da mãe.

Encaminhei-me á sala de estar, a duas divisões da sala de jantar e encosto o dispositivo na minha orelha.

"Harry? Diz-me que já estás a chegar, as pessoas têm fome e estão a ficar impacientes com o teu atraso. Há crianças que já têm sono, falo pela Felicity."

"Eu, hm, Luanna... Aconteceu um problema..."

"O quê? Está tudo bem?" Preocupei-me com o seu tom de voz.

"Eu e o Simon tivemos um desentendimento com uns organizadores da tour e acontece que temos que resolver as coisas ou as datas nem hoje são colocadas online. Não chego a tempo do jantar... Peço imensa desculpa..."

"Tu o quê?! Tens noção do quanto me empenhei? Toda a gente se empenhou e à última da hora desistes dos planos! É só uma noite. Só te pedia uma noite e era o teu aniversário e mesmo assim há trabalho, estás a gozar comigo, Harry? Mais uma vez... Quando conseguirás arranjar tempo para aqueles que dizias ser os teus bens mais preciosos?"

"Luanna, eu sei, mas ouve-me eu...-" Interrompo-o, arreliada.

"Não, chega de perdões, não há nada para falar."

"O que é que isso quer dizer?"

"Depende da forma como interpretas. A Felicity queria dar-te os parabéns pessoalmente mas parece que nem ela nem eu vamos a tempo."

"Luanna, tem calma, deixa-me explicar!"

"Parabéns, Harry." Deixo as lágrimas presas caírem e suspiro com a frustação.

Desligo a chamada.

\\\///

MUITAS INFORMAÇÕES NUM SÓ CAPÍTULO? gostaram deste? o que acharam da atitude do Harry? e o que acham que a Luanna queria dizer — acabaram?

COMENTEM ANJINHOS, DOUBLE UPDATE BC MERECERAM

Dear Me.

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!