Capítulo 54.

3.1K 210 17

Gente, antes de tudo queria informar que eu estou em uma bad terrível, então não sei se amanhã estarei viva. Por esse motivo, digo que amo vocês. Ok, parei. Votem, comentem ( eu adoro quando vcs marcam uma parte da história pra comentar, eu fico in love com pessoas que fazem isso.) e compartilhem. aaah, e muito, muito, muito obrigada pelas quase 300 mil visualizações. Gente do céu, eu nunca imaginei um livro meu com tanta visualização. Até pq o primeiro q eu criei (q eu até apaguei) Não chegou nem a 70 visualizações. Mas msm assim não desisti e quem diria, 300 mil visualizações! Muito obrigada mesmo amores. Beijao no core de vcs. ❤

Alice.

Acordo animada, afinal, vou ir na rua comprar coisas para decorar a casa pro Natal. Eeeeeeeeeeeh. Sei que está muito em cima da hora, até por que o Natal é depois de amanhã, mas é um mal meu deixar tudo pra última hora.
    Me levanto, escovo os dentes e tomo um banho. Coloco a roupa da foto:

solto meu cabelo, calço uma sandália preta e desço

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

solto meu cabelo, calço uma sandália preta e desço. Chego na cozinha e não vejo ninguém. Mando uma mensagem pro Davi, avisando que sai, mas ele não me responde. Estranho, ele nunca deixa de me responder. Mando uma mensagem pro Adam, tentando saber onde eles estavam, mas adivinha: O lezado não faz idéia, ele está na casa da "amiga" dele. Ok, vou sozinha, faz tempo que não ando no meu carro mesmo. Pego as chaves do carro, e piso no freio acelerando muito.
   Chego no shopping, e começo a comprar as coisas. Vai realmente ficar muito linda a casa. Após terminar tudo, vou pra Praça de alimentação do Shopping tomar um milk shake. Me sento com meu milk shake ja na mão, e pego meu celular. Nada de Davi até agora.. Termino de beber meu milk shake e alguém me pede permissão pra se sentar na mesa, também.

- Posso?- Alguém diz e eu concordo com a cabeça, concentrada no meu celular.- Sabia que..mexer muito no celular pode causar problemas de visão?- Diz e eu olho pro homem na minha frente. Ele era bonito, tinha olhos verdes, cabelos castanhos claro e era forte e alto.

- E eu com isso?- Arqueio uma sombracelha e ele sorri.

- Desculpa, é que eu sou médico e tenho essas manias de...

- Não, desculpa eu. É que eu to meia preocupada.- Interrompo ele e sorrio também.

- Problemas?- Pergunta.

- Muitos, mas é normal isso, acho que com todo mundo.- Pego minhas sacolas, quase deixando cair no chão.

- Precisa de ajuda?

- Acho que.. não precisa.- Respondo, e umas sacolas caem no chão.- É, agora acho que sim.- Ele ri.
       Ele pega as sacolas e me ajuda a levar até o carro.

- Obrigada.- Sorrio.

- De nada.. Poderia saber seu nome?-Ele diz.

- Ai meu Deus, eu não te disse meu nome?-Rio.- Alice.- Estendo a mão pra ele.

- Prazer, Alice. Sou Ruan.- Aperta minha mão.

- Dom Ruan? parei, essa piada foi muito sem graça, eu sei.- Digo e ele ri.

- Pode ser, ue. Mas será que esse "Dom Ruan" pode ter seu número, bela dama?- Ri perguntando.

- Essa "bela dama" tem namorado.- Sorrio.

- Quem disse que é pra isso? -Pergunta e eu fico sem graça. Toma essa, Alice!

- Haha, então pode.- Dou meu numero pra ele e ele me da o dele. Ouço alguém me chamar, e me viro, vendo o Davi atravessar a rua. Agora ele aparece.

- Oi.- Me da um selinho, depois olha pro Ruan.

- Hm, Davi, esse é o Ruan, ele me ajudou a carregar as malas até aqui e Ruan, esse é o Davi, meu namorado.- Apresento os dois, e o Ruan estende a mão pro Davi, que deixa ele no seco. A cara do Davi fazer isso mesmo. Pego a mão do Davi e faço ele cumprimentar o Ruan. Depois disso ele se vira pra mim bravo e com um bico enorme. Eu tenho pena da mãe do Davi, quando ele era criança.

- Vamos?- Pergunta.

- Vamos, foi um prazer te conhecer Ruan.- Sorrio pra ele, estendendo a mão e o Davi segura na minha saia.

- Foi um prazer também, te conhecer.-  Ele aperta minha mão. Logo depois que o Ruan vai embora, eu me viro pro Davi.

- Aonde você estava?- Perguntamos juntos.- Eu perguntei primeiro.- Novamente.- Não, eu.

- Não vou falar.- Cruzo os braços.

- Nem eu.- Diz e eu fico encarando ele.- Se eu te disser, você vai me dizer?

- Não sei, depende da sua resposta.- Falo e ele revira os olhos.

- Eu fui fazer.. compras.- Ele diz e eu levanto uma sobrancelha, de braços cruzados.

- E cadê as sacolas?- Pergunto e ele fica quieto pensando em uma resposta.- Eu so espero que você tenha uma resposta pra mim até a gente chegar em casa, Davi. Entra no carro.- Digo entrando no carro. Isso ta muito estranho, e o Davi mais ainda. To com raiva. Muita.

- E você, o que tava fazendo com aquele cara?- Pergunta.

- Não te interessa.- Digo acelerando.

Apaixonados por Acaso (EM REVISÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!