Capítulo 8

2.4K 168 68

P.O.V - Liam Payne

Flagrar a Tina beijando o Harry me deixou consumido de um ódio que eu não sei explicar de onde veio.

Essa garota é minha, nenhum outro homem tem o direito de tocá-la e eu vou fazer com que ela entenda isso. Não quero ter de castigá-la outra vez, sua pele é sensível e ela se machuca facilmente mas não posso deixar que ela pense que está tudo bem, que eu não me importo de vê-la com outro, porque eu me importo e nem sei o porque.

Nós não temos nada, ela tem o direito de fazer o que bem quiser com a sua vida, eu mesmo tenho uma noiva então não posso cobrá-la. Eu deveria pensar desse jeito, mas a verdade é que ela não pode fazer o que quer, não pode sair por ai beijando outras bocas, ela me pertence e nenhum outro homem vai tocá-la como eu a toco, eu não vou deixar.

...

Após devorar toda a sua intimidade com a minha boca, coloco ela em cima da pia e abro bem as suas pernas penetrando um de meus dedos sem dó nem piedade, dando fortes estocadas e ouvido seus gemidos de prazer se transformarem em gemidos de dor. Eu não quero machucá-la, mas ela precisa aprender a me obedecer e a ser só minha. Seus olhos estão fechado e quanto mais ela grita, mais eu acelero os movimentos e acabo por penetrar mais um dedo fazendo-a soltar um grito estrondoso, percebo quando ela está prestes a chegar ao seu limite, rebolando em meus dedos e quando ela está prestes a explodir, eu paro.

Nunca desejei tanto um corpo como eu desejo o dela, nunca pensei que fosse querer seus lábios colados nos meus a todos os instantes. A analiso por alguns segundos e depois coloco uma mecha de cabelo atrás de sua orelha, sinto-a arrepiar com o meu toque e por impulso levo meus dedos até seus lábios e os acaricio. Quero fodê-la mas que tudo na vida, fico duro só de pensar nela de quatro pra mim, eu a fodendo com toda a força necessária enquanto ela geme meu nome sem parar.

Abro uma das portas de seu armário e pego uma lata de leite condensado, desço ela da pia e sento em uma cadeira,, tiro a calça junto com as boxers e deixo meu pênis grosso e grande a mostra, vejo sua expressão mudar para assustada.

" O-o que você vai fazer ? "

" Eu não vou fazer nada, você vai. " Falo, lançando-lhe um sorriso malicioso.

" Estou com medo. "

" Não fique, o daddy não vai te machucar, isso faz parte do seu castigo. "

Pego em sua mão e a forço para baixo, fazendo com que ela fique de joelhos em minha frente e ela me encara inocentemente, o que me faz querê-la ainda mais, me inclino um pouco para frente e depósito um beijo doce em seus lábios, em seguida posiciono sua mão em meu membro fazendo movimentos de vai e vem, depois de alguns segundos ela começa a acariciá-lo sozinha. Retiro sua mão e despejo o leite condensado por todo o comprimento.

" Me chupa. "

" Não ! Eu não sei fazer isso, daddy, nunca fiz. "

O Chefe || L.PLeia esta história GRATUITAMENTE!