Lia, a pessoa mais azarada do mundo

7.2K 490 146

    A semana agitada estava me deixando maluca, muito mais do que eu era antes. 

    Pelo fato de daqui a algumas semanas eu estaria me formando, todas as turmas do terceiro ano estavam tentando arrecadar fundos para a festa pós-cerimônia. Tínhamos direito de levar um convidado nessa festa e bem, eu escolhi levar meu namorado. Nossa, ainda não me acostumei com esse termo para me referir a Rafael.

     Falando no mesmo, depois de tanto tempo ele voltou para Carazinho, afinal, sua família ainda morava lá. Sem falar que ele estava um tempo sem postar vídeos, me senti um pouco culpada por te feito seus inscritos esperarem tanto. Em partes -a maioria delas- , eu fui o motivo dele ter atrasado o canal.

    E nesse exato momento, estava sentada com Lola do meu lado no grande auditório da escola. A coordenação mandou todos os alunos para o lugar pois disseram que havia uma surpresa. A surpresa? Bem, não foi o que todos esperavam...

- Eu quero morrer! - Lola se esparramou na poltrona e fez seu drama básico. Aposto que metade dos alunos ali, presentes, fizeram o mesmo. 

    Uma fileira de cadeiras no palco era ocupada por pessoas mais velhas. Pareciam estar entre os 26 a 29 anos. Ainda não compreendia o porquê de estarmos ali junto as outras turmas do terceirão, mas tentei relevar quando vi que a nossa incrível diretora - sintam o toque de ironia- estava em um debate interno tentando nos fazer calar a boca. Aposto que duas opções se passavam na cabeça dela: nos mandar calar a boca educadamente ou pegar uma metralhadora e fuzilar todo mundo. 

    Graças aos deuses, ela escolheu a primeira opção.  

     Mas acho que também não pegaria bem pra ela aparecer nos noticiários como a diretora psicopata que fuzilou todos os alunos do terceiro ano pois eles não calavam a boca. 

- Que anel é esse no seu dedo? - Lola indagou. E para quem está em dúvida, não gente, eu não contei pra minha melhor amiga que estava namorando. E admitindo assim, me sinto péssima. 

      Olhei para os lados tentando encontrar Yuri, meus olhos procuravam desesperadamente sua presença. Sabia que Lola iria fazer um escândalo e isso era o que eu menos queria no momento. A ruiva me deu um beliscão, aposto que iria ficar vermelho.

- Qual o seu problema? - estava incrédula. Ela me fuzilou com os olhos. 

- Acho que meu problema seja que minha MELHOR amiga não quer me contar algo importante. - olhando em seus olhos achei que ela já sabia do pedido, mas la no fundo, pude ver a dúvida. 

- Tudo bem. - suspirei e me inclinei em seu ouvido. - Rafael me pediu em namoro. 

      Pronto, uma simples notícia para soltar a fera interior da Lola. Acho que aqueles filmes de concursos de belezas não lhe fizeram bem, tenha a breve impressão que ela levou a sério a frase "solte sua leoa interior". 

      Foi por isso que ela deu um grito.

      No meio do auditório. 

       Foi por isso também que eu me enterrei na cadeira, tentando não ser alvo dos olhares questionadores. O que obviamente não funcionou. 

- Senhoritas, aconteceu alguma coisa ai atrás? - a voz da diretora carregava um toque especial de ódio, nem imagino o porquê. 

- Não senhora, estamos bem aqui. Desculpe a intromissão. - Lola falou por nós. Também, a única coisa que ela poderia fazer no momento. 

       Seguido desse pequeno momento, todos viraram a atenção para as pessoas que estavam no palco. Logo mais tarde, descobri que eram antigos alunos que estudaram nessa escola e que hoje, depois de receberem um convite especial, aceitaram vir nos dar palestras e dicas sobre os caminhos que vamos seguir quando terminarmos o ensino médio. Já imaginam que tudo foi um saco né? Por isso, de cinco em cinco minutos Lola me cutucava querendo mais detalhes. E nesses momentos, eu a mandava calar a boca pois queria prestar atenção na palestra -mentira das brabas, estava quase dormindo ali-. 

        Me incomodava um pouco pelo sumiço de Yuri, ele era meu amigo. Infelizmente, não pude me concentrar nesse requisito pois uma pessoal sentou atrapalhadamente na poltrona do meu lado que a poucos segundos estava vazia. A pessoa um pouquinho desastrada era Marina.   

- Olá! - ela deu um pequeno aceno antes de começar a tentar organizar, mais um vez, a papelada que estava carregando. Céus, como ela aguentava? 

- Oi, Mari! - Lola a cumprimentou animadamente, suspirei aliviada, por hora, parecia que ela havia esquecido do assunto namoro. Acho que acabei suspirando rápido demais, em segundos a mesma estava virada pra mim. - Agora me conta tudo, detalhe por detalhe. 

     E mais um suspiro. Tive que contar tudo, afinal, minha melhor amiga merecia saber desses tipos de coisas que acontecem na minha vida. Não é todo dia que o garoto que você gosta te pede em namoro. Mari fazia algumas intervenções em alguns momentos da história, não sabia de tudo desde o começo. Sabia que podia confiar nela, provavelmente ela não sairia por ai contando que eu estava namorando o "famoso" Cellbit.

- Cara, essa foi uma das coisas mais fofas que eu já vi na minha vidinha medíocre! - Lola pulava em seu poltrona, parecia aquelas crianças hiperativas de cinco anos depois que acabam ingerindo acidentalmente uma quantidade absurda de açúcar. 

    Me espreguicei na tentativa de espantar o sono que tentava habitar meu corpo, toda aquelas palestras me deixaram sonolenta. Levantei os braços na tentativa de estende-los e foi ai que a pior coisa da minha vida aconteceu. 

    Centenas de cabeças viraram na minha direção, fiquei confusa tentando entender o motivo. O que eu fiz de errado, afinal?

- Muito bem senhorita...? - a diretora me encarava dando um sorriso assustador. 

- Lilian. - respondi, mas a minha voz saiu totalmente esganiçada, o que fez algumas garotas que estavam na primeira fila darem risinhos. 

- Fico feliz que tenha concordado em fazer o grande discurso do terceiro ano no dia da formatura. Aposto que ficaria feliz em nos ajudar com outras coisas também. - a megera me direcionava um sorriso cheio de segundas intenções, minhas mãos fecharam em um punho. 

- Na verdade... - tentei falar mas ela me interrompeu e começou a falar sobre o que queríamos para o futuro, não conseguia me mexer. Meu cérebro tentava de todas as formas assimilar que eu faria um discurso no dia da formatura. Na frente da escola todas. Na frente de todos os meus colegas. Na frente de meus pais e dos responsáveis dos meus colegas. 

     Ah cara, me pergunto porque o destino gosta tanto de me castigar, será que eu fiz muita merda na outra vida? Peguei meu celular e liguei para o primeiro número que me veio na cabeça e que sei que poderia me acalmar: Rafael Lange.

→↓←

hellou gatinhas! Como estão? vejo que gostaram bastante do capítulo passado haha acho que vou fazer mais ponto de vista do lange <3 

obrigada pelos mais de 100 votos em cada capítulo, fico muito feliz com isso!!!!! Já disse como eu amo vcs? Tipo, de montão \o/ 

teve alguns capítulos que umas pessoinhas reclamaram de alguns erros. Gente, eu escrevi a maior parte da história pelo celular (são 22 capítulos ao todo), acabo usando muito o corretor pra fazer sair mais rápidos, assim acabo errando umas bobeirinhas. Tento ao máximo trazer o melhor pra vcs, mas até mesmo os melhores escritores deixam um errinho passar. Mesmo assim, essa semana vou arrumar um tempinho e vê se corrijo a maioria dos erros

então, estão gostando da história até agora? deixe seu voto e seu comentário! Eles me fazem pular a casa toda de felicidade \o/ 

pessoinhas, alguém ai é larry shipper? bem, eu e minha abiguinha letzz-et estamos escrevendo uma história larry e se gostarem, dá uma passadinha no perfil dela pra ver. Ela se chama Bus e aposto que vão gostar <3

obrigada por tudo amores, ainda não sei como agradecer por ter vcs sz sz sz 

não leu Alasca? ta louca menina? corre lá no meu perfil pra ler. É com o senhor cellbitos \o/ e não, ele não é viado na história. 

ME PEDIRAM PRA FAZER UM Q&A DE CLOUDS, ENTÃO ME MANDEM PERGUNTAS E TODAS AS DÚVIDAS QUE TEM SOBRE A HISTÓRIA, PROMETO RESPONDER TODOS! MANDEM PERGUNTAS PRA LERDA DA LIA, PRO VIADO DO CELLBIT, PRA LOUCA DA LOLA, PRA TODO MUNDO! 

Clouds → Rafael Lange | CellbitOnde as histórias ganham vida. Descobre agora