Capítulo 40

3.4K 417 115

Nina Novaes.

Quando todos olham para mim ao invés de para tela, sinto as minhas bochechas esquentarem e engulo em seco. Só percebo que estou tremendo quando minha mãe aparece ao meu lado e segura em meu braço. Está sorrindo e diz algo que não consigo ouvir, mas depois volta a olhar para a tela quase tão rápido quanto eu.

Como eu disse, Alex estava no aeroporto. Seu braço estava estendido a frente, provavelmente segurando o celular, de modo que só conseguíamos vê-lo até os ombros e, atrás, o encosto da cadeira e as portas de vidro do local. O som do piano é baixo em comparação ao ruído que vem da filmagem, mas ninguém se importa, porque estão tão emocionados quanto eu. Quando Alex começa a falar, sinto um arrepio invadir o meu corpo e me lembro de como sinto falta da voz dele.

– Eu não sei como começar, Sofia. Primeiro porque você está rachando o bico da minha cara e segundo porque vai rodar isso num salão pra, sei lá, cinquenta pessoas? Todo mundo acha que eu sou um babaca por não estar aí e... Bem, eles têm razão – Alex para e bufa, enquanto todos riem. – Certo, corta essa parte. Agora é sério! Vou contar até três e então você pode, hm, por o vídeo... Tá? Um. Dois. Três. Ei, anjo! Desculpe por só aparecer agora. Devo ser a última pessoa a falar com você no seu dia, porque a Sofia não deixou que eu me manifestasse antes para não estragar a surpresa. Ela acha que você vai ficar emocionada e me perdoar por ter um sido um idiota. Por não ter acordado com você hoje e participado do "feliz aniversário, tututu" que ela costuma fazer. Por não ter planejado com você esse dia numa noite qualquer pós-plantão. Por não ter estado com você nas últimas semanas e, principalmente, por ter te dado ouvidos, aceitado aquela proposta e entrado naquele avião quando tudo o que eu queria na verdade estava aí com você. É estranho dizer queria. Tudo o que eu quero está aí com você. Ah, a propósito, a Sofia me perguntou sobre "a nossa música" e eu me lembrei da música daquele cara ruivo que tocava no rádio quando estávamos na minha sala. Inclusive foi naquela noite que eu percebi que estava apaixonado por você. No dia seguinte estraguei tudo porque estava meio... Assustado, talvez. Mas, o que importa, é que aquela música passou a ser nossa e, agora, sei que está tocando pra todo mundo. Não são todos que sabem o que ela significa, mas posso afirmar que tem muito a ver com o que está acontecendo comigo e com você. Há uma parte que diz "espere pela minha volta para casa". E é exatamente o que eu quero dizer – depois de uma pequena pausa, ele finaliza: – Feliz aniversário, anjo. Eu te amo.

E a gravação para. No segundo seguinte o salão irrompe em aplausos. Devo estar chorando feito uma descontrolada, porque quando passo as mãos pelo rosto, metade da minha maquiagem sai com elas.

Quando por fim focalizo minha mãe, começo a procurar sentido nas palavras de Alex.

– Mãe? O quê que...

Antes que eu pudesse completar a pergunta, um burburinho começa a se formar e eu olho para as pessoas ao redor. Encontro a mãe de Alex e a vejo sorrir para mim, depois menear a cabeça para um ponto adiante. Olho para lá e, no mesmo instante, uma luz (sabe-se lá de onde) ilumina ninguém menos, ninguém mais do que ele próprio. Estou tão chocada que nem sequer consigo dizer nada, imagine suprir a minha vontade de correr até ele e me jogar em seus braços. Levo dois segundos para acreditar, tamanha é a minha perplexidade. Aquilo não podia ser real. Parecia um filme de tão bem armado.

Alex estava de jeans escuro, camisa social branca e um paletó preto jogado sobre o ombro esquerdo. O cabelo loiro estava bagunçado de uma maneira tão linda que faz meu coração doer. Sua mão está segurando um microfone na altura do peito e, quando finalmente percebo isso, Alex o leva até a boca e diz:

Bu.

Todos ao redor começam a rir, inclusive ele, que abre aquele sorriso destruidor para mim, mas nem rir eu consigo. Minha cara deve estar engraçadíssima, porque ele ergue uma sobrancelha, como quem diz "e aí?".

Anjo (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!