Capítulo 36

3.1K 374 176

Nina Novaes.

Não sei por qual milagre Alex conseguiu sair do hospital junto comigo na sexta, já que ele quase sempre pegava plantão. Parece até que o mundo conspirava a favor da nossa conversa essa noite.

Fomos no carro dele para seu apartamento, pois não queria que Marcelo entrasse lá no meu e nos atrapalhasse. Não hoje. Alex estava descontraído e feliz pela cirurgia de risco que tinha dado certo nessa tarde enquanto dirigia e eu tentei parecer tranquila também, mas pensar que esta talvez fosse nossa última ida juntos para seu apartamento estava me matando por dentro.

Passei o dia tensa e nem consegui me concentrar no trabalho, por esse motivo até cancelei uma cirurgia que faria sozinha hoje. Tinha certeza que acabaria correndo para Alex arrumar meu estrago na menininha.

Ontem a noite fiquei boa parte da madrugada acordada pensando e cheguei a conclusão que eu não podia deixar Alex ficar. Quer dizer, eu sei que não é uma decisão minha, mas eu precisava deixá-lo livre para poder escolher e ir, se preferisse. Eu precisava tirar esse peso da consciência de ser a responsável por ele ter desistido de um dos seus maiores sonhos (como sua mãe mesmo deixou bem claro para mim várias vezes). Estudar e trabalhar fora é um dos maiores sonhos pra qualquer médico. Ainda mais Alex, que é todo bonzão na sua área e com certeza seria muito reconhecido na Califórnia.

Eu ainda tinha a opção de largar tudo aqui e ir com Alex, é claro. O problema é que não era o que eu queria. Loucura, né? Muita gente já estaria de malas prontas, mas eu não conseguia me imaginar morando em outro país. Não é o meu sonho agora. Sem contar que não tenho dinheiro suficiente guardado para me dar ao luxo de ficar sem trabalhar por um tempo. E ser sustentada por Alex em pleno primeiro ano de namoro não é algo que eu me orgulharia. Ele com certeza não acharia problema algum nisso, mas eu tenho os meus princípios, por favor! 

Assim que entramos no elevador e eu me escoro no fundo dele, sento o ar começar a pesar. Alex ficou de frente para mim com as mãos nos bolsos me avaliando e eu não consegui fazer nada além de olhar para seus olhos que me traziam tanta paz e certeza do que eu queria. Eu queria ele. Quis desde o primeiro momento que pus meus olhos nele e sinceramente, queria pra sempre.

Deus, como era difícil! E olha que eu não tinha nem começado a falar.

O elevador abre fazendo com que cortássemos o contato visual. Pego sua mão e ele me guia até seu apartamento, abrindo a porta e logo em seguida a trancando após entrarmos. Caminho até o sofá e coloco minha bolsa lá, ficando em pé. Sinto ele chegando mais perto por trás e em um segundo, seus braços em volta de mim só me mostravam ainda mais que ali era o meu lugar. Ele beija meus cabelos e repousa sua cabeça na minha.

– Anjo... – ele começa e sua voz não passava de um sussurro.

– Alex, eu preciso que você me escute.

– Não, eu não quero escutar você. Porque eu sei que tomou sua decisão e vai me mandar ir para a Califórnia sem você.

Precisei de alguns segundos para processar o que ele dissera. Ele já sabia sem nem eu mesma precisar dizer. Tiro seus braços de mim e me viro de frente para ele, o olhando nos olhos. Ele agora tinha uma expressão cansada, o que me faz automaticamente passar minha mão por seu rosto. Ele fecha os olhos ao sentir meu toque e repousa suas mãos em minha cintura, me trazendo para mais perto dele. Aproveito o momento e o beijo. O beijo com toda a alma que ainda me pertencia, mas que ele levaria consigo com certeza se viajasse. Suas mãos em meu corpo, as minhas em seus cabelos, nossos corpos grudados... Isso parecia tão certo para mim.

Quando separamos nossos lábios, ele cola sua testa na minha recuperando o fôlego. Ainda com os olhos fechados, começo:

– É o seu sonho, amor. Não posso competir com isso.

Anjo (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!