23 - Auto Publicação, Vanity Press, E-books, Financiamento Coletivo

500 25 5



23  - Auto publicação, Vanity Press, E-books e Financiamento Coletivo

Este capítulo é um pouco extenso para evitar possíveis ataques de tubarões brancos da costa Australiana (não sabe do que estou falando, leia o segundo parágrafo do capítulo 22)

Há uma certa confusão quando se fala em editora independente e editora por demanda no estilo vanity press, por parte dos escritores iniciantes. As editoras independentes são aquelas que fazem o trabalho citado no capítulo anterior, as vanities vão imprimir seu livro do jeito que você mandar para elas, ou seja, vão fazer o trabalho gráfico e cobrar por isso, mais nada, algumas oferecem uma revisão ortográfica básica incluída no preço.

Excluir o trabalho do editor e do agente literário no processo de publicação é sempre um risco muito grande, são profissionais que conhecem o mercado, conhecem o que está sendo publicado, conhecem seu público alvo melhor do que você, leem muito e diversos gêneros, atualizam-se constantemente. Portanto, pense duas vezes antes de optar por este caminho e se o fizer procure evitar ao máximo cometer os erros que eles não cometeriam. Publicar um material sem qualidade técnica, sem nicho de mercado (sem leitores potenciais), desatualizado ou que se parece muito com centenas de outras obras, seja na parte conceitual, seja no estilo e que não ofereça nada de realmente original ou literariamente criativo.

1 - Como funciona a publicação por demanda ou "vanity press"

Vanity press – "vanity" significa vaidade, por isso o material que estas editoras/gráficas exploram é a vaidade do criador. A urgência de ser lido, reconhecido, amado. Generalizando, pois existem exceções, elas trabalham visando unicamente o lucro, não importa a qualidade do material, não há interesse em penetrar no mercado das tradicionais ou das livrarias, pois todos os custos e o lucro virá do escritor amador e de sua "vaidade" em dizer-se um autor publicado.

Não se iluda se elas têm o nome de: clubes, associações, grupo independente dos escritores etc. Estamos num país capitalista. Você irá pagar pelos serviços através de uma fatura antecipada ou com vencimento para 30, 60, 90 dias, que estará em seu nome. Então, se é para correr riscos, vamos analisar até que ponto podemos ir, pois esse é o mesmo raciocínio destas empresas. E não estou dizendo que é errado, num país capitalista é a forma correta de fazer negócios.

Nas vanities, o autor paga posteriormente pelos serviços referentes à primeira tiragem dos exemplares que se destinarão ao lançamento do livro ou venda direta pelo autor, estes serviços, no entanto, variam de editora para editora, algumas oferecem todos no pacote, inclusive revisão, outras oferecem somente os serviços de gráfica e capista e o registro no ISBN. Outras ainda encobrem o fato de que são somente prestadoras de serviços e dizem pagar pelos custos, quando na verdade o autor é atrelado a um contrato de compra de exemplares.

Depois destes exemplares entregues, qualquer nova solicitação pode ser feita através da editora, por demanda, ou seja, a editora imprime um exemplar por pedido. O preço de venda do livro fica a cargo da editora e a margem de lucro do escritor. Nestes casos o preço de mercado costuma ficar pouco competitivo, 30 ou 40% mais que outro com a mesma qualidade ou qualidade superior lançados por editoras tradicionais.

Em ambos os modelos, você encontrará vanities que imprimirão qualquer coisa que pedir, como 800 páginas de livro sem revisão, sem conflito, com personagens copiados de livros famosos.

Fique atento:

1 – Verifique o portfólio da empresa que irá contratar e tente receber um "feed back" de outras pessoas que publicaram com eles.

Quero Ser EscritorLeia esta história GRATUITAMENTE!