Eu acordei mais cedo do que o horário que coloquei meu celular despertar, mas não foi por vontade própria, foi porque o aparelho simplesmente berrava insistentemente.

Sentei-me bêbado de sono em minha cama, remexi a minha mesa de cabeceira até que e senti o meu telefone, e puxei-o ao meu ouvido: “Alô?”

"Louis? É Rob. Você não tem que vir para o trabalho hoje. Um cano estourou na loja, temos de arranjar alguém para limpá-la. Amanhã estamos de volta ao trabalho, ok?" meu gerente Rob falava.

"Sim, senhor. Amanhã nos vemos. Boa sorte com o cano. Adeus, senhor", eu respondi de volta. Eu desliguei o telefone e o coloquei de volta à minha mesa de cabeceira.

Eu odiava meu chefe. Ele poderia parecer uma boa pessoa, mas com toda a honestidade, ele era um idiota egoísta que constantemente tentava me fazer falhar. Vendia eletrônicos para ele, e ele sempre me enviava os clientes mais mal-humorados para ver se eu me estressava, para ele gritar comigo por isso mais tarde.

Ele também sempre me pedia para trabalhar mais do que o meu horário normal, e eu não tinha escolha a não ser aceitar. Se eu não precisasse de dinheiro, eu já teria saído desse emprego.

Acabei decidindo que não teria mais como voltar a dormir, então me desenrolei dos meus cobertores e me levantei. Vesti uma calça de moletom cinza, mas continuei com a camiseta azul que eu estava vestido, coloquei um casaco vermelho e botei meu telefone no meu bolso, indo para a sala de estar.

De alguma forma, eu consegui esquecer que eu tinha um menino gato dormindo no meu sofá, e eu soltei um grito de surpresa quando o ouvir fungar assim que pisei na sala. Uma vez que eu me lembrei de Harry, eu ri da minha idiotice, e fui acordar o garoto mais jovem.

Eu gentilmente cutuquei o ser que estava deitado um pouco enrolado em duas almofadas do sofá, com a cabeça apoiada no descanso de braço.

Harry se sentou abruptamente, um pequeno grito escapando de seus lábios, e eu rapidamente me sentei ao seu lado e o saudei: "Bom dia!"

Harry piscou sonolento antes de esfregar seus olhos. Ele não respondeu de volta, simplesmente fechou os olhos novamente, e debruçou um pouco em cima de mim. Muito lentamente, ele foi se aconchegando a mim até que finalmente caiu sobre o meu colo, dormindo novamente. Eu ri de seus trejeitos de gatinho, não sendo capaz de parar de acariciar seus cachos como se fosse um gato. Corri meu polegar suavemente sobre a parte de trás de sua orelha. Parecia aveludado e macio.

Seu ouvido se contraiu um pouco, me assustando, “F-faz cócegas.”

“Eu nunca achei que iria querer um gatinho, mas você é divertido! Eu gosto quando você me deixa acarinhá-lo.”

Harry se sentou, grogue de sono e corou, “Harry pede desculpas... E está com sono.”

"Não, não, está tudo bem... De agora em diante, é geralmente nessa hora que nós vamos ter que acordar para que eu possa levá-lo ao apartamento de Liam, enquanto eu estiver no trabalho", expliquei ao rapaz.

"Por que... H-Harry não pode apenas... Ficar... Aqui?" Harry perguntou, tomando seu tempo para pronunciar cada palavra lentamente.

"Porque o síndico do prédio pode vir aqui ou algo assim e ele vê-lo, ou algo poderia acontecer... Como um incêndio... E então você não saberia o que fazer e você pode se machucar. É... É melhor você ficar com o Liam", eu suspirei.

"Harry não gosta de Liam, porque é lá que Niall está." Harry disse firmemente, cruzando os braços sobre o peito.

"Bem, você não tem que ir pra lá hoje, então não se preocupe com isso", disse eu, em um tom mais ríspido. Os olhos verdes de Harry brilharam, acho que eu o assustei, então eu suavizei meu tom de voz: “Hoje eu não tenho que ir para o trabalho, então podemos passar o dia nos conhecendo.”

Uniquely Perfect ~ Portuguese Version [Book 1]Leia esta história GRATUITAMENTE!