Parte 5 - Final

28 4 5

Sentei-me ao seu lado e coloquei minha mão sobre a dela o que a fez olhar para nossas mãos.

-Eu sei que não é o lugar e nem o momento, mas... - Pensei escolhendo as palavras. - ...eu tentei te esquecer, só que não deu. Eu sei que errei...

-Artur. –Sua voz saiu como um sussurro. – Podemos conversa outra hora, por favor? Eu prometo te escutar até o fim, mas agora sinceramente não dá.

Sua voz saiu embargada e por fim não conseguiu segurar o choro.

-Minha mãe acabou de morrer. Volta outra hora. –Ela me fitou do os olhos marejados em lágrimas.

-Me permita ficar do seu lado pelo menos. Eu serei seu ombro amigo quando quiser chorar. – Ao dizer isso ela se debruçou sobre mim e chorou e eu a abracei protegendo-a tentando assim dar alivio na sua dor.

Os dias de dor foram longos, mas sempre estive ao lado dela para enfrentar todos eles.

Com alegria poderia voltar ao meu trabalho após passar por momentos turbulentos e finalmente pude ter o amor na minha vida e jamais deixarei escapar de mim.

A paisagem era uma praça e havia pessoas e folhas secas por todos os lados o cenário era fantástico.

-Não acha que se as folhas secas fossem varridas a paisagem ficaria mais limpa e bonita? – Aquela voz me dava paz.

-Na verdade não. Sempre gostei da beleza natural das coisas. Se o criador fez com que as folhas secassem e caíssem também prefiro desse jeito, assim como gosto desse rostinho natural. – Me aproximei dela e dei um leve beijo. –Eu te amo. –Sussurrei no seu ouvido e ela sorriu radiante.

-Você pode me fazer um favor? – Ela falou com um homem que passava.

-É claro. –Respondeu o senhor.

-O que está fazendo? – Perguntei curioso.

Ela tirou minha câmera do tripé e entregou ao homem e logo em seguida veio para perto de mim.

-Não temos nenhuma foto juntos. Quero uma foto nossa. –Sorri e a beijei novamente.

Posicionamo-nos e a foto foi tirada, Amanda pegou a câmera agradecendo ao homem e analisou a foto.

-Agora eternizamos um momento juntos. Toda vez que eu olhar essa foto nunca poderei te esquecer. – Ela falou feliz.

Peguei a câmera e olhei pra tela.

-Uma fotografia nossa. Essa foi uma ótima ideia.

Sorrindo a abracei e seguimos andando lado a lado.

Eu não precisava de uma fotografia para lembrar-me dela, toda nossa história, sua doce voz e seu rosto de boneca estavam gravados nas páginas memoráveis do meu coração.




Fotografias - ContoLeia esta história GRATUITAMENTE!