THEY ARE KILLING ME

596 69 12


Demons in the walls, demons in the halls

Demons in my mind

Demons you will find


"Por quê me trouxe aqui? Estamos perdendo tempo."

" Algo está me seguindo. Desde o dia em que você me contou sobre você. É uma sombra. Eu não sei explicar, eu só quero que isso tudo acabe. Você me colocou nessa. Nas semanas que fiquei aqui sem dizer uma sequer palavra para você, estava tudo normal, agora eu estou tendo sonhos bizarros com os personagens que descreve às vezes, eu estou com medo, esse lugar era normal até você me dizer sobre.. você sabe, tudo. "

Eu estava séria. De um milésimo para o outro, ele caiu na gargalhada. Mas segundos depois, seus olhos ficaram negros, ele olhou fundo nos meus, e a vontade de desaparecer veio à tona.

" Olhe a sua volta, criança. Acha mesmo que isso é um lugar normal? Eu não chego nem aos pés do que esse prédio esconde. Pare de se iludir com as suas expectativas. Ninguém sai. Ninguém entra. Você é uma formiga tentando atravessar o pacífico, garota. Você veio para cá por que quis, aceite as consequências. Não é a única perseguida por demônios. "

Eu ia dizer algo, mas dois homens viraram o corredor e agarraram Rafael, ele se rendeu completamente, me encarando com aqueles olhos azuis - e normais - seriamente. Era o Lucas. E aquele homem que me pegou para eu ir com Judy... Stowler? Stoqwler? Não me lembro o nome dele. 


E desapareceram virando o corredor. Me encostei na parede e deslizei. Suspirei e pude jurar que tinha alguém ali comigo. Olhei em volta. Nada.  Senti uma respiração contra meu pescoço, fechei os olhos. Olhei para cima.  Aquela sombra estava ali, em cima de mim, e embora não tivesse olhos - nem rosto, aliás -, eu podia sentir que me encarava. Pulei para trás, pude sentir meu coração pulsar fortemente. Eu pisquei, e ele evaporou. Pude escutar uma música tocar pelos corredores, instrumentos totalmente desafinados iam ficando mais altos, como se tivessem se aproximando. Aquele barulho estava se tornando ensurdecedor. Estava vindo da minha mente. Tapei os ouvidos com as minhas mãos, aquilo não abafava, sentia todos aqueles instrumentos vindos de dentro do meu cérebro, e o ritmo ficava mais rápido, os instrumentos desafinados, cai no chão, apertei meus olhos, comecei a lacrimejar, meus tímpanos doíam, eu gritei, mas eu não conseguia ouvir minha voz, e crianças começaram a cantar

Demons in the walls

Demons in the halls

Demons in your mind

Demons you will find

"ME DEIXEM EM PAZ!" Gritei. Mas elas começaram de novo.

Demons in the walls 

Demons in the halls

Demons in your mind

Demons you will find

Gritei mais uma vez. E elas cantaram mais rápido. E piorou.

dnif lliw ouy snomeD

dnim rouy ni snomeD

sllah eht ni snomeD

sllaw eht ni snomeD

dnif lliw ouy snomeD

dnim rouy ni snomeD

sllah eht ni snomeD

sllaw eht ni snomeD

Os instrumentos ficaram mais agudos, e elas cantavam ao contrário. Eu estava apertando minhas mãos contra minha cabeça, gritando. Mas eu não escutava nada. Apenas aquela música ensurdecedora. Nunca pensei que pudesse aguentar um volume tão alto. Sentia que aquilo não vinha do exterior. Mas do interior. 

Do ponto mais escuro da minha mente. E do meu coração.


--------------------------------

ROLA AMIGOS, COMO ESTÃO, TRANQUILOS?

Vou colar esse cap na minha testa .

Continuo?

******** FEEDBACK ********




Asylum || r.l.Where stories live. Discover now