Capítulo 29

4.6K 403 144

Nina Novaes.

A terça-feira passou normalmente para mim. Fiz duas cirurgias sozinha e acompanhei Alex em outra, almocei com Nanda já que Alex passou o horário dele numa outra cirurgia e fiz todas as verificações necessárias. Mas somente quando faltava menos de uma hora para dar meu horário de ir embora, é que fui atender o último paciente pela última vez.

Denis Mendes.

Ah, droga. Tentei me preparar psicologicamente o dia inteiro para me despedir dele e agora não parecia ter adiantado de nada.

Caminhei ao lado de Alex silenciosamente até o quarto do pequeno. Ele também estava triste. (E feliz ao mesmo tempo, é claro.) Denis foi para nós quase um cupido.

A porta estava aberta e nós espiamos antes de entrar. A mãe dele estava com a mala pronta e folheava uma revista qualquer sentada na poltrona. Denis, que estava deitado em seu devido lugar, tinha um bonequinho em cada mão e brincava de lutinha.

- Com licença - Alex diz antes de entrar no quarto e chamar a atenção deles. Denis abre um sorriso ao nos ver e larga os bonecos no mesmo instante, assim como sua mãe larga a revista.

- Boa tarde, doutores.

- Oi, médico de crianças - Denis cumprimenta dando um sorrisinho de lado. - Oi, médica mais legal de crianças.

Não consigo conter a risada e vou até ele, lhe dando um beijo na bochecha

- Oi, bonito. Como você se sente?

- Muito bem, doutora! Minha mamãe nem precisa mais me ajudar a ir no banheiro! Já me sinto um homem de novo.

- Isso aí, campeão! Independência - Alex diz divertido enquanto pega o estetoscópio para verificá-lo. - Só não pode ir achando que pode fazer tudo sozinho de novo por enquanto, viu? Você ainda precisa de muitos cuidados, né mãe?

- Com certeza! Já expliquei tudinho pra ele, doutor Alex.

- Explicou também que nada de futebol pelos próximos meses, certo?

- Ah, doutor! - Denis resmunga, cruzando os bracinhos. - Meu time deve estar mais do que ruim sem mim!

- Deve mesmo! Mas eles aguentam mais alguns meses sem você, porque sabem que quando você voltar vai estar melhor do que já era - respondo por Alex, que agora estava ocupado anotando alguma coisa no prontuário.

- Vou mesmo?

- Claro que sim! Quem não estaria depois dessas férias todas? Aposto que seus amiguinhos vão querer ser que nem você.

- Forte e lindo? Que nem diz a mamãe? - dou uma risadinha de sua espontaneidade e sua mãe me acompanha.

- Forte, lindo, divertido, sincero e melhor de tudo: Muito saudável!

- Caramba! Eu sou demais mesmo!

Agora nós três rimos, fazendo com que ele dê um sorriso satisfeito.

- Você é sim, cara. Agora me diz, está sentindo alguma dor? - Alex pergunta cortando nosso papo, afinal Denis precisava receber a alta.

Anjo (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!