CAPÍTULO 58: PRÓXIMOS

Começar do início

— Está querendo dizer que... Ele achava que você também usava seu poder na Loren? E que isso pode ter contribuído para a morte dela? — perguntei

Ele balançou a cabeça positivamente.

Eu fiquei de boca aberta, agora fazia sentindo, ou quase. Se o Lionel sabia que esse poder poderia acabar destruindo a Loren porque ele continuava usando nela? Ou poderia ser que simplesmente tinha sido como um vício? Como o Neythan havia dito, eles não tinham muito controle sobre isso quando se descontrolavam.

— Por isso ele culpa você? Não tem sentido.

— Pense assim, é como... uma criança. Quando fazem uma coisa que os pais não gostam, culpam outra pessoa na maioria das vezes. Ele não queria admitir que matou a Loren então me culpa por isso. Porque ela morava lá em casa e Ele achava que tínhamos alguma coisa e que eu também usava esse poder nela.

— Ele achava que você e a Loren tinham... Um caso? Nossa!

Isso explicava algumas coisas.

— Confesso que ela contribuía para isso, quando ela queria fazer ciúmes nele dizia que estava comigo.

— Por isso ele tem raiva de você. — conclui.

— Exatamente.

Voltei o olhar para o lugar, era um lugar secreto de difícil acesso, isso fazia eu me perguntar se ele já havia levado alguém ali antes, mais especificamente...

— Ela conhecia aqui?

— Não! É um pouco difícil alguém vir para esse lado da cidade.

— Ah!

Ficamos ali por algum tempo conversando, depois fomos dar uma volta para que eu pudesse conhecer o resto do jardim. Cada lugar que passava ficava mais impressionada. Às vezes era estranho saber os lugares tão legais que uma cidade dessas escondia. Depois decidimos ir embora, se meus pais chegassem em casa e eu não estivesse lá nem sabia o que poderia acontecer. Se bem que ainda faltava muito tempo até eles chegarem.

— Adorei o passeio, ou melhor dizendo o lugar. Só que acho melhor eu ir agora.

— Seus pais vão demorar chegar, pode ficar aqui em casa comigo.

— Eu... Não sei. É melhor tomar cuidado posso acabar me acostumando a ficar na sua casa.

— Isso seria ótimo. — Disse ele sorrindo

Meus pais iriam mesmo demorar a voltar e, além disso, eu queria mesmo passar mais um tempo com ele, eu poderia ir embora em seguida antes que meus pais chegassem, acabei aceitando e fiquei por um tempo na casa dele.

— Vou te mostrar uma coisa.

— Mais? — Perguntei arqueando uma sobrancelha

Ele sorriu

— Uma parte da casa que você não conhecia.

— Hum.

Ele me levou até o andar de cima e depois abriu uma porta. Percebi que era o quarto dele. E era bem organizado. Tinha um tom bem claro, a cama era de casal e estava com lençóis claros. Do lado esquerdo tinha uma pequena cômoda, com algumas fotos em cima. Do lado esquerdo em frente à cama havia uma lareira assim como havia uma na sala. O quarto era bem quente e confortante, olhando ali lembrava calmaria. Ao lado dali havia uma porta e ao lado da porta um closet. Fui até a cômoda e olhei as fotos. Em uma delas havia uma mulher e um homem, eram lindos. Na outra foto havia uma garota, que lembrava mais o estilo da Ambre. E a outra... Era uma foto minha.

— Nossa! Eu... Não sei o que dizer.

— Os dois na foto são os meus pais. A outra é a Loren. E a outra... Você já sabe. — Ele sorriu

— Seus pais formam um belo casal, a Loren também é muito bonita. E... Como conseguiu uma foto minha?

— Tenho desde o dia em que descobri que era apaixonado por você. — Disse ele chegando perto de mim.

Tive que me lembrar mentalmente de respirar, ele conseguia me fazer perder a concentração.

— E por que tem uma foto da Loren? Quer dizer, eu sei que ela... Era...

— Eu não sei.

Virei até ficar de frente para ele, ele tocou a minha mão e ficou me observando.

— Eu pensei no que você disse. E... você tinha razão. Talvez, eu deva exigir menos de mim mesmo e aproveitar. — Disse ele tocando o meu rosto.

— Hum. — Foi tudo o que consegui dizer por causa do toque dele, estava perdendo completamente a concentração.

Estávamos a sós no quarto dele, que, aliás, era muito confortável, a lareira estava ligada e o quarto estava incrivelmente confortável. Eu sabia o que poderia acabar acontecendo, mas de alguma forma estava preparada para aquilo. Eu o queria mais do que qualquer pessoa, eu estava pronta para ele, só não sabia se ele estava, pois ele tinha medo de perder o controle sobre si e ambos sabíamos no que isso poderia resultar.

Eu sabia que uma primeira vez deveria ser especial, mas tudo ali já era, ainda mais tendo ele ao meu lado, seria tudo perfeito.

Senti borboletas no estomago com o pensamento, ele continuou a tocar o meu rosto acariciando-o, mas até o momento foi só isso. Eu queria que ele me pegasse e me beijasse logo, estava ansiosa para sentir o calor dele. Ele ficou me observando e deduzi que ele estivesse pensando, então acabei interrompendo.

— Me beija logo. — Eu disse e ele sorriu fazendo isso.

Ele passou o polegar pelo meu rosto me beijando calmamente, eu o puxei para perto retribuindo o beijo e envolvendo-me a ele, ele passou a mão no meu braço delicadamente chegando ao meu ombro e deslizando minha jaqueta que caiu no chão onde havia um tapete felpudo claro.


Toque de SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!