Capítulo 28

5.7K 388 194

Nina Novaes.

Segunda-feira.

Passo pela entrada do hospital tão nervosa que chego a ter um déjà vu do meu primeiro dia de trabalho. As pessoas voltaram a me olhar pelos corredores como se eu fosse uma estranha, provavelmente pelo ocorrido no baile. E também não era para menos diante do que aconteceu. Eu, no entanto, só esperava não ser convocada pelo Ramon ou qualquer outro membro da diretoria.

Alex insistia em dizer que eu estava sendo dramática, porque nada disso aconteceria. Também disse que eu provavelmente imaginaria que todos estavam olhando para mim, mas eles estavam mesmo. Ah, e falando em Alex, esse era o segundo motivo para eu estar tão nervosa. Eu definitivamente não sabia como lidar com ele no hospital. Com o Willian era quase tão simples como respirar, porque nós nunca fomos mesmo de ficar de gracinhas, até porque não trabalhávamos na mesma área. Nós só almoçávamos juntos, rolava um beijinho no estacionamento e mensagens no celular à noite. Mas e com o Alex? Ele estava longe de ser tão comportado!

O terceiro motivo, porém, era falar com o próprio Willian. Era óbvio que ele estava magoado comigo e tinha toda a razão. Eu não sabia exatamente como, mas precisava me redimir de alguma forma. Não esperava, é claro, que ele voltasse a ser a mesma pessoa comigo, tão fofo e de bem com a vida, mas ao menos gostaria de receber um "oi" dele caso me visse, ao invés de fingir que não me conhecesse. Alex disse que, por mais pé no saco que Will fosse, ele não era imaturo a esse ponto, mas eu preferia não arriscar e fazer o meu papel de adulta ao menos uma vez na vida.

Passo pela recepção normalmente e vejo Nanda atolada de coisas para fazer e famílias para atender, o que me leva a perguntar se haveria alguma emergência para hoje. Ainda assim me dirijo ao elevador e aperto o número quatro, chegando ao andar da pediatria e assim me dirigindo a recepção, no momento vazia. Dou uma olhada no quadro de cirurgias, notando o meu nome em três delas (inclusive a que eu sonhava em fazer) e começo a rir, tendo a certeza de que o próprio Alex havia cuidado disso.

─ Bom dia, doutora ─ uma recepcionista novata diz ao chegar ali. Precisava decorar o nome dela, mas estava ficando cada vez mais difícil.

─ Bom dia, ahn...

─ Laura! ─ ela responde prontamente. ─ O Dr. Alex pediu para avisá-la que está no quarto do Denis Mendes, mas que não é nada grave e que eles a aguardam para as últimas verificações.

─ Últimas verificações?

─ Sim! O Denis apresentou melhora nas últimas horas e é provável que tenha alta amanhã mesmo ─ ela sorri e eu tento fazer a mesma coisa, mas estou meio espantada para isso.

Quer dizer, não é que eu não ficasse feliz pela notícia. É claro que eu ficava! Mas eu sentiria muito a falta dele... Principalmente das suas observações muitíssimos inteligentes.

─ Tá certo, Laura, obrigada! Só vou deixar minhas coisas no vestiário e já os encontro.

Ela sorri de novo e assente.

Logo depois que deixo as coisas no meu armário e me apronto, bato à porta do quarto de Denis e sou recebida pela mãe dele, que agora exibia um sorriso enorme.

─ Ah, aí está ela! ─ ela diz, pegando as minhas mãos e me trazendo para dentro do quarto. Denis está sentado na cama e aguardava quietinho enquanto Alex o examinava. Os dois sorriem para mim ao me ver. ─ Esse garoto não para de falar em você, doutora! Está apaixonado!

Dou um sorrisinho sem graça e abro a boca para responder, mas Alex é mais rápido:

─ E quem não se apaixonaria?

Anjo (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!