Eu gostei disso

9.1K 596 417

Quando o fôlego acabou, a sanidade veio como uma bala. Finalmente me dei conta que estávamos em uma sala cheia de pessoas, e a maioria eram Youtubers. Abri meus olhos logo tendo vista dos olhos azuis de Rafael, ainda me surpreendia com o sentimento que eles passavam enquanto olhavam para mim. O contato visual acabou quando metade das pessoas presentes na sala começaram a gritar, a maioria das coisas que falavam eram "achei que o cellbit era viado" ou "desencalhou, finalmente" e até "meu menino cresceu tanto, aprendeu com o mestre" - esse último foi do Alan, só podia ser. 

Escondi meu rosto em seu moletom, queria abrir um portal e me esconder ali para sempre. Rafael coçava a nuca e estava muito vermelho, eu riria se não estivesse quase na mesma situação. Novamente o homem que obviamente era um dos organizadores do evento entrou apressando a todos, não acredito que ficaram só para observar eu e Rafael se beijando. 

- Lembre do que te falei, okay?! - o loiro deu um beijo na minha bochecha e praticamente saiu correndo da sala, acho que em partes pelo seu atraso e pela vergonha. Continuei petrificada no lugar, era meio difícil assimilar tudo isso.

- Ei, Lia, acho que você não tomou café né? - neguei, realmente, na pressa de me arrumar acabei pegando só uma maçã. Meu estômago roncou fazendo Maethe e Gabs rirem. -  Isso realmente foi uma resposta!

- Não percebi tamanha fome que eu estou até agora. 

- Quando estava entrando com o Felps vi uma lanchonete. - Gabs deu a ideia de irmos lá, mas uma coisa me preocupava, pela minha expressão Maethe percebeu o que era. 

- Lá é cheio Gabs? Lia ainda não é muito acostumada a essas coisas. - Maethe minha salvadora. 

- Ele é bem afastado do palco principal, acho que agora deve estar bem vazio. Então... Vamos? - a proposta era considerável, sabia que se alguma coisa acontecesse Maethe e Gabs não iriam me deixar só.

- Claro!

Saímos da sala de Youtubers e seguimos Gabs que estava nos guiando, o lugar do evento era enorme, me perderia facilmente aqui. Depois de muito andar chegamos em uma pequena praça de alimentação, como Gabs disse o lugar estava bem vazio exceto alguns pais que queriam uma folga da confusão e vinham descansar. A lanchonete que Gabs citou era a que mais chamava atenção, acho que pelo seu letreiro chamativo. Sentamos em uma mesa do lado de fora mesmo e olhamos o cardápio, um garoto na faixa dos seus 16 anos veio nos atender:

- Bom dia, o que desejam senhoritas? - enquanto fazíamos nossos pedidos os olhos castanhos do garoto não desviaram de mim, aquilo era bastante incômodo. Quando ele foi levar os pedidos dei graças, aquilo era bastante desconfortável.

- O garoto está totalmente na sua, Lia! - Maethe, acho que você esta meio bêbada querida.

- Concordo, viu o jeito que ele ficava encarando ela? Era tipo "vem cá gata, entrei na puberdade agora mas posso te mostrar o homem que sou". - abafei uma gargalhada enquanto as duas loucas na minha frente riam bem alto. Gabs você não precisava dar corda.

- Para gente, vocês estão fumando alguma coisa? - botei a mão em suas testas. - Estão meio quentinhas, acho que pode ser febre, por isso estão falando tanta besteira.

- Lia, ta na cara que o menino está te dando o maior mole!

Quando Maethe acabou de falar, o garoto apareceu. Ele equilibrava uma bandeja com nosso pedidos, assim que pousou os mesmo sobre a mesa, me encarou e deixou um guardanapo em forma de rosas do lado da minha mão que estava pousada na mesa. Não sabia o que falar.

- Lia, está arrasando corações hein! - as meninas começaram a me zoar quando o garoto saiu de perto, logo as mandei calar a boca e comerem.

Durante todo o meu "café da manhã" o menino me encarava atrás do balcão que estava a alguns metros da nossa mesa, tentei de todos os modos me esconder dele, no fim estava parecendo a menina de O Chamado com o cabelo quase cobrindo o rosto todo.

Clouds → Rafael Lange | CellbitOnde as histórias ganham vida. Descobre agora