13 - Corrida

154 15 0

     Envolvo a caixa entre meus braços e saio correndo a caminho do carro. Chegando nele percebo melhor o estrago da batida, não foi muito grande. Entro nele, rodo a chave e ele funciona. Dou ré sem dificuldade e dirijo em direção ao centro de uma cidade que fica aqui  perto, onde se localiza o aeroporto mais próximo.

9

Vejo a hora no relógio do carro, segundo as minhas contas eu tenho menos de uma hora para chegar ao aeroporto. A estrada está livre, o que facilita a minha locomoção. Aumento a velocidade e ligo o rádio na tentativa de me acalmar um pouco, mas não sinto muito efeito.

Acerca de alguns quilômetros de distância do aeroporto, o trânsito está completamente parado. Olho o relógio mais um vez,  falta uns trinta minutos, ou eu vou andando, ou não vou conseguir chegar a tempo.

Com sorte, consigo colocar o carro no acostamento. Deixo caixa no carro para conseguir correr com mais facilidade, fecho a porta de qualquer jeito e começo a correr freneticamente, como eu nunca corri antes.

Alcanço o aeroporto em dez minutos, extremamente cansado, mas pelo James eu aguento mais. Assim que entro no aeroporto,  vejo a tabela de embarque e desembarque em uma tela grande. O único voo com destino a Londres sai em quinze minutos, o portão de embarque é o 14. Já estive aqui uma vez e sei onde fica esse portão, e é pra lá que eu vou.

 Ignoro o conforto da escada rolante e subo ela como uma escada normal. Corro mais um bocado entre as lojas e companhias aéreas, as pessoas me olham correndo e deve pensar "Quem é esse garoto de blusa vermelha, suado e todo arranhado? Por que ele esta correndo assim? Ele louco?", mau sabe eles que estou louco de amor.

Para ter acesso aos portões de embarque todos devem apresentar as passagens e passar pelo detector de metais, mas isso demora um tempo, uma coisa que não tenho no momento, assim como a passagem. Só me resta uma alternativa.

 Respiro fundo e saio correndo o mais rápido que ainda consigo, empurrando todos que aparecem na minha frente. Consigo passar pelo detector, mas um guarda corre logo atraz de mim. Outro guarda aparece na minha frente pedindo para eu parar, não penso, simplesmente escorrego por debaixo das pernas dele como em um filme de ação, eu mesmo fico impressionado com o que acabei de fazer, mas não paro de correr.

Já consigo ver o James de costas, na fila do embarque.

- JAMES!! - bero sem parar de correr - JAMES!!!

Ele se vira em minha direção, reconhecendo a minha voz. Eu me jogo nos seus braços como uma criança pequena e ele me acolhe de forma carinhosa. É tão bom poder sentir o seu corpo novamente, o perfume da sua nuca e os seus braços em volta da minha cintura. Não tenho certeza, mas ele perece sorrir feliz por me ter em seus braços outra vez. Mas quando termino de abraça-lo, ele fecha a cara, mesmo assim faço o que vim fazer.

9
▶10

- James eu atravessei a cidade no carro batido da minha mãe, corri quilômetros até aqui por causa do trânsito, desvie de dois guardas que vão aparecer aqui a qualquer momento. Tudo isso pra te dizer que eu te amo mais do que eu achei que poderia amar alguém. Eu vim pra dizer que você não pode me deixar aqui de novo, porque dessa vez eu não sei se vou aguentar.

Seus olhos enchem de água, mas ele persiste em segura-las ali mesmo.

- Joe aceite o fato de que eu não te amo - ele não me convence.

- Para de mentir James, a Diana me contou sobre o beijo que ela roubou de você, você falou que a a única boca que podia tocar a sua era a minha...

- É mentira, não amo você - a voz dele fraqueja.

Os guardas do aeroporto se aproximam de mim, mas a Sra. Cameron faz um sinal com a mão para eles esperarem.

- Por favor James, me diz porque está fazendo isso comigo? - as minhas lágrimas voltam a surgir.

- Você não me merece Joe - as lágrimas que ele tentava segurar começam a escorrer pelo seu rosto - Por causa da minha incompetência, por causa desses olhos que não enxergam - ele aponta os dedos pro seus olhos com raiva - Por causa disso você quase morreu, eu quase perdi você para sempre.

- Não é bem assim James.

- Será que você não entende Joe? EU SOU CEGO!! - ele grita alto.

- FODA-SE - grito trazendo a sua cabeça para perto da minha, encostando as nossas testas - Você é muito além de dois olhos James! Eu não me apaixonei por eles, eu me apaixonei pelo que você é, pelo coração que bate aqui - eu coloco a mão no seu peito esquerdo - Mas se o problema for os meus olhos, eu tiro eles. Só não diz que não me ama, só não me deixe outra vez.

- Joe me desculpe por ter magoado você, mas eu estava tentando te proteger.

- James a única coisa que você pode fazer para me proteger é estar ao meu lado, e isso basta.

- Isso não foi o bastante na sexta-feira - ele se refere ao tiro.

- Isso já passou James, e eu só estava defendendo você do mesmo jeito que você me defendeu quando o Kevin mexeu comigo na escola e você bateu nele.

- As situações foram bem diferentes - ele debate.

- Para de inventar desculpas e me beija.

Ele sorri, me agarra pela cintura com firmeza e me beija, o melhor beijo da minha vida, me sinto vivo de novo, como se ele estivesse devolvendo a parte de mim que ele levou com ele quando terminamos. Estava com medo de nunca mais sentir esse gosto maravilhoso que só a sua boca tem.

10

Algumas pessoas ao nosso redor aplaudem o nosso beijo, mas não dou importância, porque quero aproveitar esse beijo ao máximo.

- Senhor? - o guarda do aeroporto se refere a mim, e a minha consciência faz eu soltar os lábios do James por um instante e escuta-lo. - O senhor precisa se retirar da área de embarque agora mesmo.

- Você vem comigo? - pergunto ao James.

- A partir de hoje,  Sempre. - ele sorri - Mãe você tem algo contra? - ele pergunta se virando para ela.

- Não, o Joe ama você de verdade e é com ele que você tem que ficar. Quero pedir desculpas a você Joe pelas coisas horríveis que falei, você me provou o contrário ao se jogar na frete de uma bala para salvar a vida do meu filho e pelo que você fez agora - é a primeira vez que sinto sinceridade nas suas palavras.

- Não se preocupe, eu sei que você só estava tentando proteger  o seu filho, então eu a perdoo.

Quando saímos do aeroporto a Sra. Cameron pega um táxi para voltar para casa, ela disse que vai ligar para minha mãe e dar as notícias para ela, pois eu e o James decidimos ir para a floresta no carro da minha mãe, queremos ficar sozinhos e terminar a nossa conversa.

Além dos seus olhosLeia esta história GRATUITAMENTE!