Capitulo 15 - Eu sou um monstro que come monstros!

436 66 8

Olho para o índio e em seguida para Dodge.

—Ah então este é seu amigo secreto? É para ele que está trabalhando agora? Será que você não entende? Não tem escolhas para você garota, meu tio é um original, ele vai vir atrás de você, não pode fugir. —Ele solta meu pescoço.

—A propósito estou atrás de Jack. Meu pai deu as ordens. —Informa Dodge, o lobo rosna.

—Não vou admitir que vá atrás de Jack. Eu me esgotei de ouvir suas imposições e as advertências de Alan. E quando eu retornei para casa avistei uma linda garota vasculhar os pertences da minha querida vovozinha. Foi então que tive a cintilante ideia de usá-la como troca de liberdade! Se encostar num fio de cabelo de Jack, irei matá-la. —Solto as palavras sutilmente pulando de alegria por dentro.

—Não. Está blefando! —Dodge não acredita. Cato um colar dela que guardei em meu bolso e mostro.

—Foi você que a presenteou? Parece bem caro! —Ameaço balançando o mesmo. Os olhos de Dodge transmitem pavor e tormenta.

—Parece que alguém aqui está contrariado. —Caco o.

—Por favor não a machuque! —Pede constrangido.

—Saia de aqui preciso trabalhar!

—Vitoria por favor não a machuque, não a machuque. —Bato a porta e me encosto preocupada com Jack.

+++

Me junto ao índio e retornarmos à caça pelo livro, remexemos em todas as extremidades da casa e não atingimos resultados. Finalmente Jack chega, abro a porta e o abraço.

—Que bom que chegou!

—Sequestrou Gabriela?

—Jack eu não tive escolhas. Estamos em vantagem pois temos Dodge no nosso time. Jack entre! Eles sabem de mim, Dodge chegou me aterrorizando, eles vão atrás de você. —Digo nervosa.

—Não vão não. Vai dar tudo certo. Vamos encontrar este livro e acabar logo com isto. Onde está a garota?

—Eu não vou te dizer. —Digo fixando os olhos em Gabriela que está amarrada em uma cadeira ali mesmo na sala, sua boca está tampada de modo que ninguém possa escuta-la, o índio a deixou invisível para os outros, exclusivamente só nós podemos vê-la.

—Tudo bem vamos começar logo a procurar! —Diz Jack.

+++

***Alan

O detetive Jack veio me advertir que irei me recuperar, ainda assim tento convencê-lo de aprisionar a garota.

—Jack! Apenas seja sincero comigo. Por que não pode prende-la? —Pergunto.

—Eu prometi a Vitória que manteria sigilo, mas acho que você deve saber. Refere-se de um registro, uma obra muito valiosa.

—O livro de Emmy, tudo não passa de uma vasta calúnia Jack. Simplesmente não existe! —Digo.

—Preciso ir. Desculpa. —Ele sai desprezando-me, não atribuo importância pois sei que mais tarde nos esbarraremos.

Ao cair da noite dirijo-me a delegacia. Desligo todas as câmeras e aguardo uma visita. Escuto a campainha, cato minha arma e abro a porta.

—Olá Alan.

—John! —Guardo a arma e cumprimento estendendo a mão, ele me ignora.

—Você frustrou-me com a garota, presumia que fosse como eu.

—Deveria ter me advertido que ela é um híbrido.

—O que queria que eu fizesse. Você já devia depreender-se desta situação, ela é neta de Emmy.

—Relata o velho, abro a porta onde há acesso para as celas. Os vampiros começam a gritar.

—Ei vocês! Eu posso ajudar tirem-me daqui! Eu faço parte da equipe! —Grita Thomas.

—Ora, ora. Primeiro Emmy, depois você e agora Vitória. Vocês não aprendem mesmo não é.

—Deixem minhas filhas fora disto. Nós temos um trato! —Pede ele.

—Vamos John escolha logo. —Peco impaciente.

—ME TIRE DAQUI! DEIXE EU AJUDAR! ME TIRE DAQUI! ME SOLTEM! —Grita Thomas batendo nos vidros da cela, aperto o botão que solta verbena pelo teto, todos começam a gritar.

—A culpa é do Thomas! Eu vou querer esta daqui! —Diz John apontando para uma garota ruiva descabelada. Abro a cela.

—Que tipo de monstro é você? Me deixa em paz! —Pede a vítima gritando desesperada, ela está acorrentada também no pescoço. Saio e os deixo a sós.

—Eu sou um monstro que come monstros! —Ouço John soltar as palavras levemente, em seguida a vítima é devorada, caminho sereno aos timbres dos gritos deles.

No dia seguinte o vampiro Joe encontra seu filho e o aprisiona dentro da minha casa, em buscas de respostas dá-lhe uma lição.

—Me conta tudo o que você sabe? —Ameaça o pai amarrando o garoto na cadeira, ele usa cordas de verbena.

—Você quer dizer nada. —Responde o garoto, o pai severo dá-lhe um soco no rosto.

—Vamos tentar de novo. Conte-me tudo iniciando com o sequestro de Gabriela.

—EU JA DISSE QUE NAO SEI! —Agora Joe perde sua paciência e o solta da cadeira, em seguida dá-lhe vários socos no rosto, o garoto cai, Joe lhe chuta na barriga e nos braços.

—ME SOLTE! EU JÁ DISSE QUE NAO SEI!

—VOCÊ É UM FRACASSADO DODGE! SUA TAREFA ERA TRAZER JACK A MIM! MAS VOCÊ NÃO FEZ POR CAUSA DE UMA GAROTA? SEU ORDINÁRIO! —Grita Joe espancando ainda mais seu filho, viro-me escondendo da brutalidade.

—Mas agora você irá consertar! —Ordena Joe, viro-me e ele faz uma ligação com o celular de Dodge.

—Uma troca! Peça uma troca! —Joe entrega o celular ao filho que ainda está caído.

—Sim senhor!

—Vitoria. —Diz Dodge calculando suas palavras.

—DESTRÓI O LIVRO, ELES ME PEGARAM. DESTRÓI! —Grita Dodge, seu pai dá-lhe mais uma estalada.

—Princesa?

—Quem fala? —Ouço Vitória Perguntar.

—Prazer! Joe! É encantador falar com alguém como você!

—Do que precisa?

—Uma troca. Dodge pela garota. —Vitoria sorrir ao telefone.

—Acha que me importo com seu filho?

—Tem razão nem eu me importo. Mas vamos melhorar então o acordo. Traga Gabriela e eu entrego sua prima Aly. —Ele desliga o telefone.

+++

***Vitória

—Precisamos conceder isto, se trata de Aly. —Briga Jack.

—Fique aqui e eu vou atrás de Júlia. Não o deixe sair. —Peco ao índio.

Saio apreensiva, vou até a praça onde eventualmente Júlia passeia. Avisto a de longe com uma garota ruiva tirando sílfides.

—Julia, venha temos que ir. —Puxo o seu braço.

—Ei para mim solta! Não pode chegar assim me puxando não, ficou maluca?

—Júlia venha comigo agora!

—Não, Vitória pare! Me diz o que está acontecendo?

—Você quer saber o que está acontecendo? Aly foi sequestrada, aquele detetive Alan não é quem diz ser! Jack já sabe de tudo e está lá em casa, ele pode te explicar, mas agora temos que ir se não vão levar você também! Ele prendeu nosso pai por que ele recusou a vender nossa casa e agora Alan sequestrou Aly para conseguir isto e vai fazer com você também se não me seguir AGORA! —Grito.

Híbrido - O Despertar Leia esta história GRATUITAMENTE!