14.

40 1 2

Liam acordou naquela manhã de Sábado totalmente decidido. Estava se sentindo um pouco decadente por não ir mais à academia, então resolveu que iria correr, o que não fazia a muito tempo e era realmente importante para seu trabalho que ele fizesse exercícios. Então, apenas levantou da cama e escovou os dentes. Colocou uma calça preta da adidas, uma blusa cinza e o primeiro par de tênis que viu pela frente. Pegou um pouco dinheiro e colocou no bolso da calça, junto com seu celular e os fones. Desceu as escadas e foi quando se deu conta que havia acordado tão cedo que seus pais ainda estavam dormindo. Quem tomava conta do corpo de bombeiros nos fins de semanas era Phill, mas seu pai sempre passava para ver se tudo estava em ordem assim que a tarde chegava. Pegou sua garrafa dentro do armário e encheu com água bem gelada.

Quando saiu de casa, encostou-se à parede e começou a alongar, ouvindo alguns ossos estalarem e rindo sozinho de si mesmo. Pegou o celular, deixando as músicas no aleatório e colocou os fones de ouvido. Respirou fundo e começou a correr devagar.

Após alguns minutos, Liam se pôs a aumentar sua velocidade cada vez mais, respirando curta e superficialmente pela boca e inspirando quantidades maiores de oxigênio, liberando mais dióxido de carbono, para assim conseguir inspirar o suficiente de oxigênio aos músculos. Ele verificava sua respiração contando seus passos, de forma a inspirar e expirar por cada dois passos.

O suor começava a escorrer pelo seu rosto e suas costas, o que o fazia lembrar de todos os incêndios que já havia apagado. De como já arriscou várias vezes a sua vida, as vezes chegando a milímetros de distância do fogo ou então realmente tendo algumas queimaduras para salvar a vida das pessoas e ele continuaria fazendo isso por quanto tempo pudesse. Até porque seu único arrependimento era de ser impossível salvar todas as pessoas sempre.

Liam diminuiu a velocidade e começou a andar enquanto bebia um pouco de água. Olhou as horas no celular e percebeu que já estava correndo a uma hora. O tempo sempre passava mais rápido com música. Liam jogou um pouco de água no rosto e nas mãos e foi até a padaria. Ele pode sentir o cheiro de pão quentinho de longe e lembrou de sua mãe.

- Bom dia, Poppy. – Acenou para a menina que colocava alguma coisa em ordem pelas prateleiras.

- Liam! – Ela sorriu, o que fez seus grandes olhos verdes brilharem. – Quanto tempo!

- Faz bastante tempo mesmo. Tenho estado ocupado. – Explicou enquanto olhava a variedade de coisas que havia ali.

- Sua mãe vem aqui quase todos os dias e sempre fala de você. – A menina comentou distraída. – Ela diz o quanto você tem se dedicado as pessoas e não só no trabalho. Dona Karen tem muito orgulho de você.

Liam revirou os olhos e sorriu agradecido pelas palavras da menina.

- Como está o Sr. Cooper? – Perguntou e dessa vez foi Poppy que revirou os olhos.

- Você sabe como ele é Liam. Não mudou nadinha. Eu sempre digo "Pai, pode deixar que eu tomo conta dessa parte", mas Alfie é rabugento que só e perfeccionista. Se você tivesse chego alguns minutinhos antes teria esbarrado com ele.

- Entendo. – Liam deu uma risada. – Diga para ele que qualquer hora tento aparecer aqui para termos uma de nossas conversas inspiradoras. Sinto falta delas.

- Pode acreditar que ele sente falta também. Ele sempre diz que viu os filhos de Karen crescerem e que agora que está ficando velho todos estão sumindo de sua vida. – Poppy sorriu ao comentar do pai. – Só um momento Liam. – Ela foi até o outro lado da padaria com um embrulho nas mãos e os olhos de Liam seguiram a menina. – Deseja mais alguma coisa, Timothy? – Sua voz suave ecoou novamente.

One Cure To My HeartLeia esta história GRATUITAMENTE!