"Acordo" no dia seguinte, na verdade, eu não dormi, passei a noite inteira olhando para o nada. Eu odeio ficar brigada com meu irmão, assim como sei que ele odeia ficar brigado comigo. Vou até o banheiro, faço minhas higienes, tomo banho, coloco uma roupa simples, desço e fico assistindo TV até escutar um barulho em baixo da casa.

Sabia que ele não ia conseguir dormir também! Vá falar com ele! -Disse meu subconsciente e quase o vejo cruzando os dedos para que tudo dê certo.

Subo as escadas sem fazer barulho, coloco uma calça legging preta, um top cinza, faço um "rabo de cavalo" alto e desço até a academia que tínhamos em baixo de nossa casa.
Rodrigo estava com uma regata preta, uma bermuda vermelha e descalço como eu, lutando contra um boneco de treinamento, e assim que me vê para, mas logo nega com a cabeça e volta a lutar. Dou ombros, me aqueço sentindo o olhar irritado dele em mim, e começo a lutar contra outro boneco do outro lado da academia.

- Que droga! -Dispara Rodrigo socando a cabeça do boneco.

- Daniel não pode vir? -Pergunto pelo treinador dele e ele me olha negando com a cabeça. - Quer uma oponente de verdade?

- Não! -Responde Rodrigo me olhando irritado.

- Você que sabe! -Digo dando ombros e voltando a lutar contra o boneco.

- Vem logo! -Rodrigo disse e revirou os olhos me fazendo rir enquanto caminhava até um pequeno ringue com ele. - Pronta?

- Você sabe que sim. -Digo revirando os olhos e consigo arrancar um riso dele.

- Três rounds? -Pergunta Rodrigo calçando as luvas como eu.

- Pode ser. -Digo sorrindo.

Colocamos os nossos protetores bucais e começamos a lutar. Tudo o que nós dois sabemos de luta, aprendemos com nosso pai, e ele tinha razão, realmente Rodrigo era muito bom na luta de contato em pé, o que fez ele ganhar o primeiro round, mas ele tinha razão em outra coisa, eu era a melhor na luta de chão, o que me fez conseguir o segundo round.

- Esqueci dos avisos do pai sobre seus talentos no chão. -Dispara Rodrigo enquanto nos preparávamos para o terceiro round.

- Pensei que só me queria como oponente, e não me elogiar. -Provoco com um sorriso travesso e ele coloca o protetor bucal enquanto levantava irritado me fazendo rir.

Começamos o terceiro round, mas eu estava com uma vantagem, ele estava se movendo pela raiva, o que fazia com que ele não pensasse direito nos movimentos, me dando tempo o suficiente para desviar deles. Depois de muito desviar, acerto um soco, não muito forte, ele só precisava se ligar, no queixo dele que por um descuido deixa o protetor bucal cair.

- Droga! -Rodrigo disse indo pegar o protetor e eu tiro o meu.

- Para de lutar usando a raiva! Use a cabeça, Rodrigo! -Digo colocando o protetor de volta e ele acerta um chute baixo na minha coxa me fazendo sorrir.

Estávamos lutando igualmente agora, os dois com a cabeça na luta, mas quando ele consegue acertar um soco bem forte no meu ombro eu o bando e encaixo um mata leão nele que bate na hora.

- Venceu! -Diz Rodrigo rapidamente e eu o solto sem entender.

- Por que bateu tão rápido? -Pergunto curiosa.

- Eu te machuquei? -Pergunta Rodrigo ajoelhado ao meu lado.

- O que? -Pergunto completamente confusa.

- O soco! Me desculpe, Kate. -Disse Rodrigo olhando meu ombro como se procurasse um machucado e eu acabo rindo com a atitude fazendo ele me olhar com uma sobrancelha arqueada.

Desistindo por AmorLeia esta história GRATUITAMENTE!