Capítulo 5 - O meu amor

485 62 17
                                              

Agradeço imensamente a quem está lendo, comentando e dando estrelinhas. A história ainda está no início, as pessoas a estão descobrindo aos poucos, assim cada leitor aqui é muito importante, mais até que nas outras histórias. Assim peço um esforço especial a vocês, comentem e deem estrelinhas se estiverem gostando, só assim sei se estão gostando e continuarei a postar.

O meu amor

"O meu amor tem um jeito manso que é só seu

E que me deixa louca quando me beija a boca

A minha pele toda fica arrepiada

E me beija com calma e fundo

Até minh'alma se sentir beijada

O meu amor tem um jeito manso que é só seu

Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos

Com tantos segredos lindos e indecentes

Depois brinca comigo, ri do meu umbigo

E me crava os dentes

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz

Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

O meu amor tem um jeito manso que é só seu

Que me deixa maluca, quando me roça a nuca

E quase me machuca com a barba mal feita

E de pousar as coxas entre as minhas coxas

Quando ele se deita

O meu amor tem um jeito manso que é só seu

De me fazer rodeios, de me beijar os seios

Me beijar o ventre e me deixar em brasa

Desfruta do meu corpo como se o meu corpo

Fosse a sua casa

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz

Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz"

Chico Buarque

A sensação da adrenalina em alta no meu corpo era impressionante. Tudo porque, mais uma vez, eu estava nos braços de Kent. Sentia os seus lábios me beijarem e o seu corpo pressionar o meu contra a cama. Ele me atraíra para aquilo, eu sabia, com sua força física e a tentação que eu tinha por ele, Kent me prendera em sua armadilha.

Kent me beijava com urgência, como se ele precisasse desesperadamente me sentir. Os seus lábios pulsavam nos meus, sua língua invadia a minha boca se movendo de maneira frenética. O seu gosto, dessa vez, estava misturado com o de uma bebida doce e alcoólica, eu não sabia qual era, não tinha o costume de beber. E o seu cheiro, nossa! O seu cheiro era ótimo!

Depois de um beijo longo e profundo, ele começou a me beijar em outros lugares. Foi deslizando o seu rosto enquanto sua barba me arranhava levemente causando sensações intensas por todo o meu corpo. Sua boca alcançou o meu pescoço, ele passava a sua língua e me beijava devagar . Aquilo era demais e eu não consegui conter os meus gemidos. Por momentos alcançou a nuca, e um arrepio percorreu a minha espinha, atingindo o meu corpo por inteiro. O que era aquilo?

Então sua boca foi deslizando novamente pelo meu corpo. Dessa vez ,ele foi para o colo, atingiu o decote do meu pijama desabotoando o primeiro botão da camisa. Mas ele estava com pressa e com um puxão, arrebentou o resto dos botões. Encontrou meus seios nus. Devagar começou a beijar, a chupar e até mordê-los delicadamente, dando uma atenção especial ao meus mamilos. Novos arrepios me dominaram, eu gemia mais.

O jogo da vingança (completo)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora