Pencils also break

9.7K 885 485

Amoooooooooores! Como vocês estão? Bem? Joinha? Legal? Então, dessa vez eu demorei, mas eu vim com um cap relativamente maior e carregado de sentimentos e algumas descobertas.

Queria agradecer a todos que estão lendo, votando e comentando, todo comentário que respondo e voto que vejo me sinto mais entusiasmada a compartilhar algo tão intimo com vocês.

Eu quero dedicar o cap para a Raissa que faz aniversário hoje, Rah, parabéns boto cor de rosa! Quero dedicar para a Stella e Duda do grupo de Secrets pelas conversas sobre a fanfic que me iluminaram. Enfim, boa leitura e me digam se estou conseguindo chegar até vocês de um jeito bom.

TT: @lylasexual
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

     Mistério.

     Substantivo masculino. Tudo que tem causa oculta, desconhecida ou é incompreensível, inexplicável; enigma.

     Conjunto de doutrinas ou práticas que apenas os iniciados podiam conhecer. Na religião cristã, dogma, verdade de fé inacessível à razão.

     Segredo.

     O mistério pode ser encantador. Por inúmeras vezes ele está fantasiado pelas milhas do planeta. Em algumas, escondido atrás de um sorriso encantador e olhos brilhantes, outras, perdido por uma escuridão sem fim. Como uma agulha no palheiro.

     Aventurar-se em busca de desvendar os mistérios que a vida nos proporciona deveria ser, de longe, a maior aventura de toda a galáxia.

     Pense comigo: se você é corajoso o suficiente para se jogar em um breu sem saber onde ele acaba você deveria ser o mais valente e destemido de toda a existência. Você pode imaginar quantas pessoas já desistiram por medo do desconhecido? Por medo de se machucar?

     Se você tivesse a chance de descender um mistério, um único mistério em toda a sua vida, qual você desvendaria? Eu, particularmente, a desvendaria.

     Ela não tem medo do escuro ou de como as coisas podem ricochetear contra ela. Ela não tem papas na língua e não espera pela permissão de ninguém. Ela não senta e espera que o mundo fique claro. Ela levanta e cria a luz.

     Não ela.

     - Camila... - fora interrompida.

     - Eu estou bem. - a jornalista confirmou pela terceira vez o que Lauren lhe questionou em todo o caminho de volta. - Não se preocupe. - depositou uma pequena carícia no joelho da escritora que escorregou sua mão para cima da mão de Camila e a apertou. - Estou bem. - afirmou novamente.

     A questão é que Lauren não sabia o que havia acontecido. Elas tiveram uma manhã fantástica e a forma como Camila permaneceu tão quieta e concentrada durante a volta para casa intrigavam a escritora.

     - Prometa. - Camila suspirou e tentou afastar sua mão da de Lauren, mas a mesma a segurou, sendo firme em seu pedido. - Olhe para mim e prometa. - a jornalista encarou-a fixamente nos olhos e ela não precisava dizer nada, Lauren sabia que Camila não poderia prometer. - Camila... - murmurou manhosa.

     - Não se preocupe. - a jornalista aproximou-se de Lauren e beijou carinhosamente sua temporã esquerda. - Cuide-se. - sentou-se corretamente em seu banco e a escritora assentiu. Soltou o cinto e curvou seu corpo para a frente, espalmando a bochecha de Camila com uma mão e a afagando antes de depositar um beijo carinhoso na outra bochecha.

ReadLeia esta história GRATUITAMENTE!