22 - Aparências e embates (Parte 02)

Começar do início

— Você não me deixa opção, Perna de Magia. Não vim até aqui para sair de mãos abanando. Só esperava que você fosse me ajudar nisso. Não sua irmã aqui. Que seja. Tanto faz.

Toni arrastou-se feroz, tentando a todo custo alcançar o homem ao lado de sua irmã. Não queria, não podia ficar sem fazer nada, não daquela vez. Sua impotência lhe causava uma agonia que ele jamais pensou ser possível sentir. Todas as sua falhas passavam diante de si: a primeira falha com Adri, que lhe retirou a visão de um olho. A incapacidade de construir sozinho o próprio barco, que ocasionou a companhia de Ren, e o roubo de sua vida. E agora, novo lapso com Adri, pois não conseguira impedir sua transformação em algo que não era mais ela mesma. Implorou a todos os deuses que conhecia para que o ajudassem, que lhe dessem forças, porque ele era um desgraçado.

O som começou de súbito. Aquele barulho, agora ensurdecedor, enchia os céus e a terra. As engrenagens girando, metal contra metal, rangendo, enroscando-se. Todos os presentes contiveram inconscientemente a respiração, cabeças zunindo com o ruído. Toni já havia escutado-o com uma intensidade similar, mas nada como agora. Sentiu-se oprimido, como se fosse ser esmagado contra o chão. Elias encontrava-se com os olhos arregalados, mas as sobrancelhas muito unidas, numa máscara de assombro que seria cômica, em qualquer outra ocasião. Até mesmo Adri alargou ligeiramente os olhos, como se aquilo não fosse esperado.

Quando aquela voz, tranquila, se fez ouvir, o tempo ficou diferente. Vago, pastoso. A origem inicial foi a Floresta Regular, mas em pouquíssimos segundos, o som parecia vir de todos os lugares. Até mesmo o cenário dava a impressão de estar desfocado, impreciso, como se estivesse atrás de um vidro sujo.

— Não permita que a culpa seja o seu condutor. Ícarus já mencionou isso. Você deve ser guiado pela determinação. Conjure a perna e vá até ele.

Toni reconheceu aquela voz, mas passou longe de registrar isso. Respondeu automaticamente.

— Não consigo! Por mais que eu tente, não consigo juntar energia suficiente! Ele roubou de mim! Não posso!

— Acalme-se. Os magos da atualidade acostumaram-se a depender unicamente do poder de seus Corações de Magia. Você é diferente, mas sua habilidade não pode funcionar plenamente no atual contexto. Esta terra já está quase recuperada do imprevisto ocorrido há quinze mil anos. Os níveis ainda estão bem abaixo do normal, mas não haverá dano se eu liberar a energia da natureza para que você restaure a perna e lute com plena capacidade.

— Liberar a energia da natureza...? Do que você está falando?

A voz caiu em silêncio, no qual Toni pôde sentir a pressão nos ouvidos, o firmamento ecoando aquela máquina gigante. De repente, o ressoar aumentou dois ou três tons, fazendo seu crânio vibrar com o zumbido. Teve a impressão de que, quando voltasse a falar, a voz iria lhe explodir os tímpanos. Mas ela retornou com a mesma brandura.

— A magia original provém do mundo, Antonio Maro. O Coração de Magia retém apenas uma parte limitada desse poder. Você precisa treinar mais esses olhos. Observe ao seu redor, apure a vista, que é o seu dom. Concentre-se e conseguirá ver a magia que reside em tudo. Você só conseguiu desfazer o selo da Spell que controlava o Lenmenthe porque apurou ao máximo a sua visão. Use isso a seu favor.

Toni fez o que a voz dizia. Olhou. O mundo em suspenso. Respirou fundo. Demorou um pouco para começar a notar os primeiros sinais. Uma névoa brilhante, que em alguns pontos transformava-se em minúsculas esferas luminosas, podia ser avistada rodeando as árvores, arbustos e moitas, flores, grama, terra. Flutuava no ar, rodopiando suavemente.

Ao girar a cabeça em direção a Floresta Regular, perdeu o fôlego.

Ali a magia não se tratava de um simples nevoeiro. Parecia uma muralha compacta, enorme e resistente, com um fulgor intenso que envolvia toda a extensão, girando em velocidade considerável. Perguntou-se como nunca notara aquilo antes. Toda aquela energia não podia ser emitida apenas pela floresta e um único Avesso.

Perna de MagiaOnde as histórias ganham vida. Descobre agora