Capítulo 5

4.9K 509 100

Nina Novaes.

Já passava das 22:30 quando finalmente cheguei em casa. Meu corpo doía, devido a corrida pela manhã e pelo dia exaustivo de trabalho. E mesmo cansada, eu estava extremamente feliz! Ainda não conseguia acreditar que passei o meu dia numa sala de cirurgia, ajudando tantas crianças e, mais que isso, suas famílias também. Era muito melhor do que se quer um dia imaginei.

Me joguei no sofá a fim de checar meu celular, abandonado na bolsa desde o meio dia. Havia várias mensagens, ligações da minha mãe, da Sofia e do Marcelo.

Retornei a ligação da minha mãe que estava um tanto quanto preocupada por não ter a atendido e ela me fez contar todos os detalhes do hospital. É claro que eu omiti certos detalhes, mas no geral contei tudo. Depois de quase vinte minutos com minha mãe, liguei para Sofia.

- Você estava até as dez horas da noite com o gostoso do Alex e simplesmente me diz que não tem o que me contar? Não me faça ir até aí arrancar os detalhes de você, Nina Novaes!

Sim, a Sofia já sabia o quão bonito era o Alex pois como qualquer pessoa normal, assim que eu achei o Facebook dele, mandei a foto para ela no whatsapp.

- Não é como se estivéssemos juntos por opção, nós estávamos em uma cirurgia...

- E daí? Juntos da mesma forma! Anda, desembucha!

Depois de arrancar todas as informações de mim, ela sossegou e me contou suas novidades: havia se matriculado para a especialização em cardiologia hoje e começaria daqui duas semanas. Fiquei ainda mais feliz do que já estava, pois cada uma de nós estava realizando todos os nossos desejos. Ainda me faltava a especialização, é claro, mas não estarei perdendo tanto já que comecei a trabalhar.

Depois, finalmente, liguei para o Celo.

- Nina, agora não é exatamente uma boa hora.

- Por quê? Tá trabalhando?

- Não, tô na casa da Luiza.

- Que Luiza, tá louco?

- Na verdade eu a conheci hoje... Acabei vindo pra cá, já que você não estava em casa - fiz uma careta ao finalmente entender o que ele estava fazendo na casa da periguete. - Ela foi à cozinha agora.

- Hm, ok. Boa noite então.

- Não fica brava. Amanhã passo aí, mas hoje eu tenho muito que aproveitar. Ela tem mó corpão, você precisa ver.

- Argh, me poupe. Preciso ver o caramba. Tchau, Marcelo.

Desliguei sem esperar uma resposta, tinha ficado irritada. Não que eu fique com ciúmes quando ele vai "aproveitar", mas era desnecessário me dizer que a outra tinha "mó corpão". Argh. Nessas horas eu entendo quando ele não gosta que eu fale de homens com ele.

Fiquei fuçando as redes sociais (ainda irritada) e quando me dei conta, já eram onze e meia da noite. Corri para comer alguma coisa e tomar um banho, precisava descansar o corpo e a mente urgentemente. Quando finalmente me deitei, escutei barulho de mensagem no celular.

"Tenha uma boa noite, anjo. E sonhe comigo ;)
Alex."

Eu não sabia o que exatamente essa mensagem significava, talvez até não significasse nada, mas dentro de mim, alguma coisa explodiu no momento em que li seu nome.

Tentei manter a pose de durona, mas como não dormir com um sorriso no rosto depois dessa? Agendei seu número rapidamente e preferi não o responder, pois sou difícil. Sim, beeeem difícil.

Anjo (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!