Capítulo 01

4.1K 96 20

Alfonso escutou uma vozinha o chamando, estava cansado havia passado o dia anterior procurando emprego, após o jantar ficou terminando um dos trabalhos da faculdade e ainda estudou até as três da madrugada para a prova que teria na noite seguinte. Sabia que no dia seguinte com as três entrevistas durante o dia, não restaria tempo para mais nada, o sono estava tão bom, mas aquela voz estava ficando cada vez mais próxima. Quando finalmente após um esforço sobre humano conseguiu abrir os olhos viu a irmã Joice de dez anos o sacudindo mais uma vez.

Joice: Poncho você vai chegar tarde mamãe vai ficar brava. - resmungou ela puxando o cobertor

Alfonso: Já vou - resmungou - me deixa mais cinco minutos.Joice se afastou gritando o nome da irmã
Joice: Maitê, Maitê ele não acorda, ele não que acordar.

Alfonso respirou fundo, jogou o cobertor para o lado, sentou-se na cama, respirou fundo mais uma vez tentando se livrar do desanimo, levantou-se e foi para o banheiro. Não tinha jeito mesmo.

Buscava desesperadamente um emprego, o pai havia falecido há seis anos deixando a família com dividas até o pescoço, a mãe Ruth trabalhava em casa de família para colocar o básico na mesa para os quatro filhos. Alfonso estudava administração, estava no segundo ano da faculdade, bolsista era dono das melhores notas da sala, mas tinha que manter as notas ou perderia a bolsa, era um rapaz esforçado, único filho homem de Ruth o orgulho dela. Com vinte e três anos o rapaz puxava a responsabilidade para si, sabia que a mãe não aguentaria tudo sozinha. Maitê era ajuizada, com seus dezoito anos começava a buscar um emprego também, queria ajudar a mãe e aliviar o senso de responsabilidade do irmão, conseguiu um emprego de babá por meio período duas vezes na semana, estava muito feliz, mas ela mal conseguia comprar os livros do ultimo ano da escola quanto mais ajudar em casa com o pouco que recebia. Mas como nem toda família é perfeita Ruth tinha mais duas filhas menores, Joice de dez anos que era uma mocinha obediente que fazia o que podia, mas não podia-se dizer o mesmo de Raquel de quinze, essa era a dor de cabeça da família. Adorava as roupas de marca, as saídas para baladas com as amigas. Mesmo não podendo entrar em bares por causa da idade, ficava fora até altas horas da noite deixando Ruth e Alfonso de cabelo em pé. Muitas vezes chegava em casa embriagada após virar a noite fora em boates pela cidade com as amigas.

Maitê acabava de colocar sobre a cama a camisa bem passada e a calça social de Alfonso para que ele se vestisse e seguisse para a entrevista na revista do bairro. Era uma revista pequena, o salario não era muito, mas já era alguma coisa até ter algo melhor. Os estágios pagavam muito pouco, na revista ele ao menos teria um salario um pouco maior, daria para pagar as contas de agua, luz e telefone e ainda sobraria algum para o gás. Animado com a possibilidade de conseguir a vaga ele se vestia com cuidado para não amassar a roupa passada carinhosamente pela irmã, a revista precisava de alguém para ajudar a editar as reportagens, tirar os erros de português, arquivar documentos e isso ele com certeza saberia fazer sem dificuldades, além disso, o novo emprego não atrapalharia o horário da faculdade e sobraria o final de semana para estudar para as provas e preparar os trabalhos.

****

Anahí havia acordado a pouco e estava no balcão da cozinha tomando seu café com leite, a raiva ainda estampada em seu rosto não deixava engolir nada além disso. Raquel aquela perua filha da mãe pagaria pela boca grande, como ousou contar ao seu pai que ela estava tentando passar a noite com o namorado Pedro Henrique, Thissi e Henrico nem sabiam do namoro da filha quanto mais dos planos de transar com o namorado. Agora lá estava ela proibida de sair de casa por um bom tempo, a escola era o único lugar para onde poderia ir, ainda assim escoltada, bufou. Seu pai nunca mais a deixaria respirar, mas aquela garota levaria uma surra que também a deixaria sem respirar por muito tempo. Bem que Dulce havia avisado Raquel queria Pedro Henrique e agora sem a possibilidade de sair para as baladas com certeza ela teria perdido a guerra.

Queria Muito Te Odiar - Livro 01Leia esta história GRATUITAMENTE!