Capítulo 05 - A Coroa

Começar do início

—Após três anos consecutivos vencendo o nosso concurso houve um fecho divergente para Gabriela.

—O que? Eu sempre ganho! Eu sou a princesa aqui. Ninguém é melhor do que eu! —Grita ela.

—Eu disse que ia ganhar! —Fala Tania entusiasmada.

—Garota se toca você não é melhor não! —Diz a irmã.

—Diz isto para o tapa que te darei agora! —As irmãs se chocam e uma puxa o cabelo da outra.

—Olhe para você! É uma frustração, veja o que as drogas te fizeram, está indevida. —Diz Gabriela, a outra enraivecida puxa seus cabelos, enquanto isto Aly e Júlia estão a gargalhar e filmar tudo por um iPhone.

—Do que você está sorrindo? —Grita Gabriela.

—Você copiou o meu vestido! E você, não vai vencer, é negra! —Diz Gabriela apontando pra minha irmã. Ela lesionou Júlia, foi um ato de pura covardia. Todos começam a gritar e defender minha irmã.

—O que é? O que vocês vão fazer? Não podem me prender. Eu tenho dinheiro, tenho muito dinheiro, não preciso deste lixo de cupom. Vocês me devem respeito, meu pai é o chefe deste lixo que vocês chamam de cidade.

—Preconceituosa. Isto é crime! Você não passa de uma racista ridícula. —Grita Aly furiosa, minha irmã está paralisada.

—O que vocês vão fazer? Meu pai não irá mesmo me prender. —Orgulhosa balança o ombro.

—Não. Mas eu vou! —Jack põe a algema em sua mão e depois na mão de Gabriela. Todos aplaudem.

—Você está cometendo um erro. Sabe que não pode fazer isto.

—Não estou não. Já que você é tão racista vamos ver se consegue ficar ao lado de um negro como eu! Isto te serve de lição, estou pegando leve em consideração a seu pai que é um bom homem. E agora você vai ouvir o nome da garota que fez você perder e virar a ridícula da cidade. —Todos gritam e aplaudem Jack, também fico comovida.

—Posso pedir pro meu namorado te dar um tiro se for preciso. —Ela ameaça. Todos começam a gritar. Sem entender descubro que aquelas palavras também me ofendeu.

—E mesmo, então por que não chama ele aqui? —Desafia Jack. Olho para Dodge que está alguns passos distante de mim e balanço a cabeça pedindo para que não revida. A garota cruza os braços esperando Dodge aparecer mas não acontece.

—Clarice pode continuar por favor. —Pede Jack.

—Sim senhor. Bem este ano a coroa vai para —Ela abre o papel com o resultado. Todas as garotas estão ansiosas.

—Vitória. —Todas as garotas me encaram incompreendidas.

—Não pode ser! —Diz Aly sensibilizada.

—Sofri Bullying à toa —Reclama Júlia.

—Venha Vitória, a coroa é sua! —Caminho até o palco, todos estão aluídos com o desfecho.

Clarice põe a coroa em minha cabeça. Jack bate palma sozinho, mas logo em seguida Aly faz o mesmo, depois minha irmã e aos poucos os outros exceto Gabriela e Tania.

—Polícia militar todos parados! —Grita o policial arrombando a porta.

—O que está havendo? Por que minha filha está algemada? —Pergunta Alan o pai de Gabriela e Tania.

—Eu posso explicar senhor. —Gagueja Jack.

—Depois garoto, temos problemas maiores agora. —Logo Jack solta a garota, todos começam a gritar.

—Tudo bem pessoal. Minha filha será castigada mais tarde, mas agora quero que me ajudem a encontrar os rebeldes. Não precisam ter medo, vocês só têm que tocar nesta água. —Informa ele.

Desço o palco e procuro caminho ate Dodge.

—Temos que sair! —Informa ele.

—O que? Por que?

—Verbena!

—Porta dos fundos?

—Tem dois guardas lá.

—Precisamos ir! —Digo e caminho até a porta, golpeio um dos guardas com um jarro que vejo ali logo o outro tenta atirar em mim, mas corro e quebro o seu pescoço, Dodge mata outro e se alimenta.

—Bom apetite! —Digo e fujo.

Cativei um prêmio, tornei-me uma princesa aos olhos deles. Quando minha irmã chega em casa ponho a coroa na cabeça dela.

—O que houve com você? Sumiu após a coroação! —Pergunta Júlia desconfiada.

—É que eu passei mal, um dos policiais me trouxe para casa. —Minto  e aprecio seu alegre sorriso ao se ver no espelho com a coroa na cabeça.

—Preciso te dizer Vitória. —Diz minha irmã.

—Diga-me.

—Eu sei o que você é!

[...]

Híbrido - O Despertar Leia esta história GRATUITAMENTE!