Capítulo 03 - Sol

1.3K 195 4

Quando o sol manifesta-se lembro-me de retornar logo para casa.

Prontamente já sabia que não seria um dia bom. Vou para o meu quarto e meu pai resolve bater na porta.

—Vitória. Vou sair, cuide da sua irmã.

—Vai aonde?

—Não é de sua conta. Faça ao que te peço.

—Ok. —Grito deitada na cama.

Percebo algo errado, desde que cheguei senti o cheiro de todas as pessoas na casa, mas com ele era diferente, esforço-me para ouvir seu coração, mantinha-se batendo uniformemente ao meu. Ser vampiro não denota ter que morrer logo ele pode ser como eu.

—Está bem? —Pergunta desconfiado.

—Sim, sim. —Respondo com medo, por fim ele distancia-se da casa e eu considero averiguar, mas o sol do dia me impede. Se Thomas expressa-se ser vampiro como potenciava andar ao sol?

Devoto meu modo. Trajo roupas compridas, posiciono uma capa preta na cabeça e um óculos de sol, peregrino pela sombra. Saio na rua e todos olham curiosos. Já me vestia estranho por natureza própria, agora então era mais complicado, todos ponderam vagamente.

Avisto meu pai em um bar conversando com vários amigos. Discutiam em relação a casa.

—Elaboramos uma ótima negociação com a casa. Precisa apenas consistir.

—Disse um homem mais velho de cabelos brancos, uma bengala e óculos escuros. Espio tudo de longe e consigo ver e ouvir bem.

—Eu estou com vocês. Mas quero fazer parte do bem maior. Não quero apenas minha recompensa financeira, ambiciono algo a mais. —Expressa meu pai.

—Podemos acolher. Desde que você se associa ao tráfico —Anuncia outro homem semelhante ao velho, também usava óculos escuros, porém seu cabelo não era tão branco.

—Tráfico? —Pergunto baixinho. Alguém me cutuca, é um garoto magrelo. Me assusto. Ele veda minha boca para não fazer ruído.

—Marcos o que está fazendo?

—Te ajudando. Quer saber o que eles estão planejando? É um tráfico, de drogas, sei por que faço parte. Perdi a Gabriela em decorrência disto, mas não tenho alternativas, meu pai impõe e eu acato. —Cochicha a mim.

—E quem te mandou aqui?

—Meu irmão —Evidentemente foi hipnotizado. Não sabia ao certo se era possível então resolvo sondar. Gradualmente descubro mais Vampiros.

—Diz para o seu irmão que quero dialogar com ele —Hipnotizo Marcos e ele sai de lá.

Deu certo, admito que estou apreciando meus novos domínios. Em minutos ele volta.

—Futuramente! —Responde Marcos.

—Está bem pode ir.

Retorno para casa e me preparo para o encontro. Faço um lanchinho e umas pesquisas antes, não sei do que ele pode ser capaz. Alguém bate na porta e eu abro.

—Olá Dodge

—Olá Vitória

+++

—Não vai me convidar para entrar?

—Pergunta Dodge. Ele é alto, bonito e forte. Seus cabelos são negros como a minha, sua pele é clara também similar, e seus olhos são castanhos claros. O garoto também é dedicado a moda e só veste roupas de marcas famosas como Nike e Adidas.

—Não seja irônico...

Híbrido - O Despertar Leia esta história GRATUITAMENTE!