Capítulo SETE

114 18 2

O segundo beijo.

-Nossa. Você brilhou e foi lindo. Vicente hoje foi tudo lindo.- Sol fala para Vicente depois de chegar no seu quarto. Vicente já tinha deixado Rouge na cama.
-É. Foi estranho essa parte. Mas eu adorei o que aconteceu antes. Adorei ter te beijado.
Sol abaixa a cabeça.
-Eu nunca senti isso.- Ela agora olha nos olhos de Vicente. - Foi mágico!
Vicente se despede dela dando um beijo na testa.

Sol troca de roupa e se prepara para dormir.
-Ela tá melhor- Borboleta avisa.- E lá? Como foi?
-Foi ótimo! Eu dei meu primeiro beijo.Com o Vicente. Foi maravilho!
-Ah... Que legal. Meu primeiro beijo foi com uma menina.
-Sério?
- Sério.
- O que sentiu?
-Era uma vizinha. Tínhamos 11 anos. A gente tava brincando de mamãe e papai. De casinha... alguém tinha que ser o papai... Enfim, não me lembro... Vou dormir. Essa conversa meu deu sono.
As três dormiram.
No meio da noite Sol sentiu algo diferente. Em seus sonhos, ela teve uma visão. A visão mostrava e dizia o seguinte:

Você é teimosa.
Você não tem pai nem mãe. Eis sua mãe: Shirla. Todos a chamam de mãe e a consideram como uma.Mas você, não. Você a rejeita! Todos irão saber quem é você. E isso vai ser ruim. Você não pode ficar com Vicente. Vai machuca-lo. Você sabe disso. Você sabe do que vai acontecer. Você não é a mocinha desta história. Você sabe disso também.

Sol acorda com os olhos arregalados. Ela respira fundo.
De repente a porta se fecha.
Sol acha estranho pois a porta estava fechada. Ela percebe que tem mais alguém alí além dela e das meninas.
Por minutos ela dá uma olhada para ver se está tudo bem. Volta a dormir. Mas sente alguém pegar em seu cabelo. Uma mão macia de criança. Ela vira para ver quem é, mas não vê ninguém. Ela sai de sua cama e vai até a cama de Rouge dormir com ela.

* * * *

Sol e as meninas acordam.

-Ainda não acredito que bebi tanto!- Diz Rouge depois que Sol contou o que aconteceu na noite passada.- Mas e seu beijo? Foi bom mesmo?

- Foi.Melhor do que eu esperava.
- Me diz uma coisa , Sol. Você viu que isso iria acontecer? Teve uma visão do seu beijo com o Vicente? - Borboleta perguntou.

-Sim. Mas faz muito tempo. Quando tinha uns 12 anos eu sonhava com o príncipe encantado e tive uma visão de como iria ser meu primeiro beijo. Então eu o vi. Vi um moço alvo me beijando em uma festa exatamente como ontem.

- Que demais! Saudades de beijar- Rouge fala com tristeza.
- Mas o garoto aberração tá doidinho pra te beijar - Borboleta fala rindo.
-Ele é bonitinho. Mas eu amo meu namorado. Ai! Que saudade dele.- Rouge fala quase chorando.
-Meninas, é possível alguém de fora entrar nos quartos? Eu acho que alguém entrou aqui. Alguém estranho.
-Ai que sinistro.- Rouge fala amedrontada- Quem pode ser?
- É impossível alguém entrar sem nossa permissão. Ah não ser os líderes. E a Shirla... Quem você acha que esteve aqui? - Borboleta pergunta.
- Eu não sei. Mas logo irei descobrir.

Alguém bate na porta.
Quando Sol abre ela encontra uma barriga sarada, músculos fortes e uma cor morena tentadora que pertence a S1.

- O que você quer?
- Shirla quer falar com você, queridinha.- Ele fala mexendo no maxilar.

-O que ela quer comigo?
-Ela tem dúvidas sobre seu poder. Aliás, todos nós temos. O Águia te espera também. Vamos logo que hoje ainda tem treinamento.

Sol, assim como todos daquele lugar, sempre vestia roupas pretas.
Ela seguiu S1, que estava sem camisa, em direção a um elevador. Os dois entraram.

Em silêncio, S1 observa Sol. Sol olha para aquele corpo que a deixava com desejo.
Sol foi arremessada para os braços de S1.
- Não pode fazer isso. Me deixe! - Ela fala.
-Admita que não quer sair.

Sol não fala nada. Eles estão próximos, perto demais! Um sente a respiração do outro. E logo os lábios carnudos de S1 tocam os de Sol. Um beijo quente e molhado provoca arrepios em Sol. S1 encosta Sol, toca em suas mãos. Os dedos interlaçados. Corpos juntos. Colados.O elevador sobe e desce. Sol põe suas mãos no peitoral de S1, ele a observa e em seguida a beija com fervor.

O elevador abre e os dois tentam se recuperar.

- A esquerda.Uma porta prata. Com um S enorme em cima.- ele fala ofegante.

Sol tenta decifrar tudo o que aconteceu no elevador, em sua mente.

Ela entra na sala e quem a recebe é Águia, que aparenta estar ainda mais velho com seu rosto descamando.

-Sente-se - Ele fala.
- Obrigada, senhor. Não quero.

Shirla entra na sala por uma porta que estava no interior daquele lugar.
Ela olha para Sol com um olhar de repreensão:
- Vamos logo com isso, Águia. Pegue o Soro da Verdade!











Não se esqueçam de favoritar e comentar, galera! Isso é importante. A opinião de vocês é muito importante! Beijos

CLARIVIDÊNCIA- Senhorita DestinoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora