Capítulo 19 - Entre amigos

1.1K 128 34

Era apenas uma luxação no pé direito de Jack e precisaria de uns dias de repouso para recuperação, o que foi difícil de enfrentar num cruzeiro. Pela manhã, num sábado, ela movimentou o pé e não sentiu tanta dor, mas decidiu não usar saltos por enquanto.

Percebeu que o navio se aproximava da praia de Salvador e não queria perder a vista bela, o sol estava quente e o vento refrescante, isso fez com que ela se animasse, então se levantou da cama e percebeu que Alex já havia saído, a cama improvisada no sofá estava arrumada.

Tomou um banho, trocou a roupa social quente que usou durante reuniões no navio por um vestidinho solto florido e uma sandália sem salto, os cabelos ligeiramente presos, protetor solar em toda a extensão do corpo e um gloss labial de morango.

Caminhou pelos corredores do navio até encontrar um pequeno shopping, depois de passear um pouco e comprar presentes para Clair e Nick, foi para a ala exterior onde havia uma piscina, estava cheia de adolescentes e adultos.

Jack foi até a grade e observou o mar, dava para ver a praia e agora que tinha um celular que tira fotos, decidiu registrar algumas coisas e mandar pra Clair. Ela faria perguntas e ligaria umas mil vezes.

Jack estava tão encantada e distraída observando o navio se aproximar da praia de Salvador que nem percebeu Alex ao seu lado, que a observava quieto enquanto o vento bagunçava seus cabelos e seu sorriso iluminava seu rosto. 

Ela levou um susto quando ele encostou em seu braço sem querer:

- Nossa, que susto! – Ela quase gritou, colocando a mão no coração.

Ele riu.

- Desculpe. Estava te procurando.

Ela sorriu, voltando os olhos para a praia.

- Como está seu pé?

- Bem melhor, não dói tanto.

Ele suspirou.

- Já tomou café da manhã?

- Não, por isso estava te procurando.

- Há quanto tempo está parado ai?

- Pouco tempo. - Alex falou, sorrindo de leve.

Jack suspirou, o olhou e perguntou:

- Nós vamos desembarcar na praia?

- Sim.

- Podemos ir até lá?

- Claro.

- O navio não vai deixar a gente para trás? - Ela perguntou, desconfiada.

Ele riu.

- Não, tem um tempo para ficarmos lá.

Jack sorriu, mais aliviada. Eles começaram a caminhar em direção ao restaurante, Alex olhou no relógio e constatou que já era quase onze da manhã.

- Acho que não convém tomarmos café da manhã agora.

Jack olhou as horas e levou um susto.

- Nossa, não achei que estivesse tão tarde.

Ele riu, falando em seguida:

- Bom, vamos almoçar. Tenho alguns amigos que quero que você conheça.

Jack engoliu em seco e disse:

- Tudo bem.

Chegaram ao restaurante e escolheram um a mesa perto da janela enorme de vidro, dava para ver a praia e o vento era bastante agradável. Jack sentia frio na barriga toda hora e quando viu se aproximar os amigos de Alex, não sabia como se comportar, ou seja, estava ali a trabalho ou como ela mesma, uma pessoa comum? 

Respirou fundo e sorriu educadamente, cumprimentando cada um deles. Surpreendeu-se com a facilidade com que a conversa fluiu entre eles, eram pessoas boas, engraçadas e gentis. E Jack os encantou da mesma forma que encantou a família de Alex, até mesmo quando falavam sobre negócios e trabalho, Jack dava sua opinião e mostrava seus conhecimentos, ela sabia do que estava falando e não hesitava em mostrar isso.

Na sobremesa, a moça sentada ao seu lado cujo apelido era Babi, puxou conversa enquanto Alex estava distraído.

- Está gostando de trabalhar com Alex?

Jack sorriu educadamente.

- Sim, estou aprendendo muitas coisas importantes.

- Está quase se formando na faculdade?

- Estou, falta pouco.

Babi sorriu ternamente.

- Sabia que vocês formam um lindo casal?

Jack quase se engasgou com o sorvete, olhou-a com os olhos arregalados de susto...

- Por que diz isso? – Jack murmurou, envergonhada.

- Ué... Vocês não estão juntos? – Disse Babi, um pouco encabulada.

Jack ficou sem reação, não sabia o que dizer, sentiu que gaguejaria.

- Eu... ah... nós...

- Desculpe, não quero me intrometer na vida de vocês. É que Carina está surtando...

Jack a olhou, surpresa.

- Conhece Carina Goulart?

Babi sorriu.

- Barbara Goulart. – Ela estendeu a mão para Jack. – Prazer. Ela é minha irmã.

Jack quase se engasgou novamente.

- Nossa... – Foi o que conseguiu dizer.

Babi sorriu educadamente, tocando de leve em seu braço.

- Pode ficar tranquila, minha irmã e eu não somos tão próximas a ponto de eu querer defender todos os seus atos, sejam eles bons e ruins. Achei ótimo Alex ter conhecido você, só assim Carina dá um jeito na vida e para de agir loucamente.

Jack parecia estática, não conseguia nem piscar.

- Sério? – Jack disse, estática.

- Sim. Ela parece adolescente, pensa que seus atos não acarretaram em consequências, como se não tivesse responsabilidades. Mamãe já não aguenta mais.

Jaqueline suspirou.

- Sinto muito.

- É, eu também. Mas, enfim, só quero que saiba que estou feliz por vocês.

Sem saber se desmentir seria uma boa ideia, Jack sorriu e disse:

- Obrigada.

Babi mudou de assunto e logo Jack se distraiu o suficiente para esquecer a conversa de antes. Pouco depois se despediram, agradecendo o almoço, a conversa e a companhia, restando apenas Alex e Jack.


Rosas de Amor para Jack (Completa)Leia esta história GRATUITAMENTE!